Cristão Pode Usar Anticoncepcional? Evitar Filhos é Pecado?

A Bíblia não fala especificamente sobre métodos anticoncepcionais. No entanto, a Palavra de Deus nos fornece as informações necessárias para entendermos se evitar filhos é pecado ou não. Para tanto, precisamos considerar alguns preceitos bíblicos acerca da família.

A preciosidade dos filhos

Para falarmos do posicionamento bíblico sobre métodos anticoncepcionais, temos que entender a importância com que os filhos são vistos na Palavra de Deus. Em primeiro lugar, os filhos são uma ordenança do Senhor dentro do propósito do casamento. Deus ordenou que o casal deve frutificar (Gênesis 1:28; 9:1).

Em segundo lugar, a Bíblia diz que os filhos são dádivas de Deus (Gênesis 4:1; Gênesis 33:5). O rei Salomão escreve que “os filhos são herança do Senhor; uma recompensa que Ele dá”. Ele também diz que feliz é o pai que possui muitos filhos, pois jamais ficará desamparado (Salmo 127). Isso significa que originalmente os filhos devem ser fonte de alegria, contentamento e segurança para os pais (cf. Provérbios 23:24).

Em terceiro lugar, a Bíblia mostra a esterilidade como um motivo de grande tristeza e vergonha. A falta de filhos nos tempos bíblicos podia resultar em discriminação ou mesmo ser vista como um tipo de maldição (cf. Gênesis 30:1-23; 1 Samuel 1:6-8).

Temos exemplos de vários personagens bíblicos que sofreram muito com a esterilidade. Inclusive, a Bíblia registra em detalhes como algumas dessas pessoas clamaram a Deus para que pudessem gerar filhos. Sob esse mesmo aspecto, quando Deus abria a madre de uma mulher estéril, isto era visto como um grande milagre e sinal da benevolência Divina. Sara, Rebeca, Raquel, Ana e Isabel, mãe de João Batista, são algumas mulheres que viveram esse tipo de situação.

Em terceiro lugar, os filhos fazem parte do propósito de Deus com relação à expansão de seu reino no mundo. Em outras palavras, os filhos são parte importante na tarefa da proclamação do Evangelho. Por isto repetidas vezes as Escrituras aconselham os pais a instruírem seus filhos no caminho da justiça (cf. Provérbios 28:7; 29:3-17). Filhos longe dos caminhos do Senhor também são motivos de descontentamento (cf. Provérbios 17:21-25).

Os métodos contraceptivos (anticoncepcionais)

Existem muitos métodos contraceptivos (anticoncepcionais), naturais e artificiais. Os anticoncepcionais naturais são todos aqueles métodos que não usam nenhum recurso artificial para evitar a concepção. A famosa “tabelinha” é um dos mais conhecidos. A Bíblia menciona uma pessoa, Onã, que utilizou um método contraceptivo natural, o coito interrompido (Gênesis 38).

Já os métodos anticoncepcionais artificiais, como o nome já diz, utilizam soluções não-naturais para evitar a gravidez. Nesta categoria podem ser enquadrados os métodos anticoncepcionais químicos, hormonais, mecânicos etc.

Alguns métodos contraceptivos artificiais são abortivos, ou seja, agem após a concepção causando aborto. Mas a Bíblia não deixa dúvida de que a vida começa na concepção (Salmo 139:13-16; Jeremias 1:5; Gálatas 1:15). Portanto, o aborto é um assassinato, é a quebra do sexto mandamento (Êxodo 20:13). Saiba o que a Bíblia diz sobre o aborto.

Também é inegável que os métodos contraceptivos artificiais são utilizados amplamente para promover a imoralidade sexual. As facilidades concedidas pelos anticoncepcionais encorajaram em muitas pessoas a infidelidade conjugal e a promiscuidade desenfreada.

Alguém que evitou ter filhos na Bíblia

Quando se pergunta se evitar filhos é pecado, logo se lembra do exemplo de Onã. De fato Omã utilizou um método contraceptivo para evitar filhos, e seu fim foi a morte diante do castigo de Deus. A Bíblia Sagrada diz que ele fez o que era mau perante o Senhor (Gênesis 38:10).

Todavia, o caso de Omã deve ser considerado à luz de seu contexto. Onã teve de se casar com a viúva de seu irmão segundo a lei do levirato. Essa lei tinha por objetivo garantir a descendência de um homem que eventualmente morresse sem filhos. Através do casamento levirato, a viúva poderia casar-se com um cunhado, e o primeiro filho do casal seria contado como filho legal do marido morto. Assim a perpetuidade de seu nome era garantida e sua herança preservada.

Onã, no entanto, aceitou o casamento levirato, mas recusou-se a gerar filhos em Tamar, a viúva de seu irmão. Isto significa que ele desrespeitou Tamar. Ele a colocou numa posição que apenas serviu aos seus desejos, então Deus o matou. É fácil perceber que o problema de Onã não foi evitar filhos, mas a motivação que o levou a isto. Ele era um homem mau, perverso e egoísta.

Mas o caso de Onã pode servir de lição para nós cristãos. O exemplo dele deve nos fazer refletir sobre quais são os motivos que nos levam a evitar ter filhos. Há casais que querem evitar os filhos por puro egoísmo. Eles veem os filhos não como bênçãos dadas por Deus, mas como problemas que arruínam suas vidas supostamente perfeitas.

Evitar ter filhos desobedece à ordem para procriação?

Como já falamos, a Bíblia afirma que gerar filhos é uma ordenança Divina dentro do casamento. Mas em nenhum lugar a Bíblia diz que o casal deve gerar o máximo de filhos que puder.

Além disso, o entendimento equivocado deste ponto conduz ao erro em discernir os propósitos do sexo na união conjugal. O sexo foi criado por Deus para ser desfrutado dentro do contexto matrimonial, não apenas para fins de procriação, mas também de satisfação e deleite mutuo entre os conjugues (cf. 1 Coríntios 7:1-5). Portanto, é absolutamente legitimo que dentro do casamento o casal mantenha relações sexuais sem que resulte numa gravidez.

Receber Estudos da Bíblia

Métodos anticoncepcionais afrontam a soberania de Deus? Evitar filhos é uma falta de fé?

Algumas pessoas afirmam que usar anticoncepcionais afronta a soberania de Deus sobre a vida. Essas pessoas dizem que Deus é quem deveria determinar quantos filhos um casal deve ter. Mas quem disse que não é Deus que determina  número de filhos de um casal que utiliza métodos contraceptivos? Essa alegação não faz sentido quando entendemos a doutrina da providência Divina, e reconhecemos que Deus cumpre seus propósitos eternos até mesmo através de nossas ações e escolhas.

Isso significa que o uso de métodos anticoncepcionais não representa um desafio para que o Deus Todo-Poderoso controle todas as coisas, inclusive o tamanho da família. Com métodos anticoncepcionais ou sem eles, Deus continua sendo Aquele que abre e fecha a madre da mulher. No final, Ele é quem determina quando e quantos filhos um casal irá ter.

Outras pessoas alegam que evitar filhos é pecado porque reflete uma falta de fé em Deus. Essas pessoas dizem que o casal cristão pode ter o máximo de filhos que puder sob o conforto de que Deus providenciará o sustento para todos eles. De fato é Deus quem supre as nossas necessidades. Mas em nenhum momento a Bíblia nos encoraja à irresponsabilidade nesse sentido (cf. 1 Timóteo 5:8).

Evitar filhos é pecado?

Podemos concluir que biblicamente evitar filhos não é pecado, desde que o método seja correto e a motivação seja honesta. Os casais cristãos podem recorrer a métodos anticoncepcionais, mas tais métodos não podem ser abortivos. É muitíssimo importante garantir essa condição, e cabe ao casal pesquisar corretamente qual método usar. Qualquer anticoncepcional que atua após a fecundação deve ser terminantemente rejeitado, pois biblicamente isto configura aborto.

Com relação à motivação, realmente existem motivos justos para que filhos sejam evitados. Por exemplo: às vezes é preciso evitar filhos por questões de saúde da mulher; por falta de condições necessárias para garantir a criação adequada de um determinado número de filhos; para o planejamento correto do intervalo entre uma e outra gravidez; etc.

Inclusive, há casos específicos em que filhos são evitados sabiamente em prol do reino de Deus. Existem casais de missionários que partem para regiões extremamente precárias com o objetivo de pregar o Evangelho. Em algumas dessas regiões a ameaça à vida é real, o que tornaria irresponsável submeter uma criança a tal risco.

Assim, dentro do ambiente matrimonial, e desde que pelos motivos corretos, podemos dizer que a Bíblia não condena o uso de anticoncepcionais não-abortivos. Em muitas situações, definitivamente evitar filhos não é pecado. Além disso, como foi dito, o casal cristão deve ser livre para desfrutar da sexualidade dentro do leito matrimonial, sem que isto apresente um desafio ao seu planejamento familiar. O importante é que os cristãos nunca se deixem corromper pela ideologia moderna da contracepção, onde os filhos são vistos como um mal a ser evitado. Os filhos são dádivas do Senhor!

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar