Conhecendo os Dois Livros de Samuel

Os dois livros de Samuel contam a história do estabelecimento da monarquia em Israel. Na Bíblia, esses livros fazem parte do Antigo Testamento e estão inseridos na seção de livros históricos. Originalmente os livros de Samuel formavam uma única obra que mais tarde acabou sendo dividida em duas (1 Samuel e 2 Samuel). Neste estudo estaremos conhecendo os dois livros de Samuel. Faremos um panorama completo dos dois livros com o resumo de sua mensagem, contexto, propósito e características.

Conhecer os dois livros de Samuel realmente é muito importante para a correta compreensão de todo o Antigo Testamento. As informações contidas nesses livros não apenas explicam a transição do período dos juízes de Israel ao tempo da monarquia, mas também introduzem os livros de Reis e Crônicas. Além disso, os dois livros de Samuel também lançam luz sobre o pano de fundo dos livros proféticos.

Autoria e data dos livros de Samuel

O autor dos livros de Samuel é desconhecido. Algumas tentativas já foram feitas de atribuir a autoria dos livros ao profeta Samuel e seus sucessores, Natã e Gade. Mas a mensagem e as características dos dois livros tornam evidente que qualquer associação nesse sentido é equivocada – embora muito provavelmente o autor anônimo tenha usado materiais escritos desses três profetas na composição de sua obra (cf. 1 Crônicas 29:29).

A dificuldade de estabelecer a autoria dos dois livros de Samuel também se estende à discussão sobre a data e ocasião em que os livros foram escritos. Uma data específica é realmente impossível de determinar. Porém, vários detalhes presentes nos dois livros dão alguns indícios de uma data aproximada para sua composição.

Primeiro, os livros relembram as últimas palavras oficiais do rei Davi antes de sua morte (2 Samuel 23:1). Isso quer dizer que a data mais recuada possível para a composição dos dois livros de Samuel não pode ser anterior à ocasião da morte de Davi.

Segundo, os livros trazem várias referências a Israel e Judá como entidades distintas. Por exemplo: em 1 Samuel 27:6 lemos que o Ziclague continuava sob o controle dos reis de Judá até os dias que o autor bíblico estava compondo sua obra. Obviamente isso significa que os dois livros de Samuel foram escritos depois da morte do rei Salomão e já sob a realidade do reino dividido. Aqui vale lembrar que a divisão entre Israel e Judá ocorreu em 930 a.C.

Terceiro, a data mais recente possível para a composição dos dois livros de Samuel não pode ser superior a 538 a.C; que é a data limite para a composição do livro de Reis. Isso porque o livro de 1 Reis parece continuar naturalmente a história dos livros de Samuel (cf. 2 Samuel 23:1-7 e 1 Reis 1:1).

Portanto, os dois livros de Samuel foram ou escritos ou durante o período do reino dividido, entre 931 e 722 a.C.; ou foram escritos durante o período do cativeiro babilônico, antes da composição do livro de Reis.

A divisão do livro de Samuel em 1 e 2 Samuel

Como foi dito, os dois livros de Samuel inicialmente formavam um só livro. Nos manuscritos hebraicos mais antigos é assim que essa obra aparece. Porém, quando o Antigo Testamento hebraico foi traduzido para o grego na Septuaginta, os tradutores acabaram dividindo o único livro em dois livros. A Vulgata, tradução da Bíblia para o latim, manteve a divisão proposta na Septuaginta. A tradição hebraica continuou considerando os livros de Samuel como um único livro até o século 15 d.C.

Nos primeiros manuscritos hebraicos, o livro único era chamado de Samuel. Evidentemente essa era uma referência ao profeta Samuel como um dos personagens centrais do livro. Curiosamente a Septuaginta juntou os dois livros de Samuel aos livros de Reis e chamou os livros de “Primeiro, Segundo, Terceiro e Quarto Livros dos Reinos”. A Vulgata fez o mesmo e chamou os dois livros de Samuel de 1 e 2 Reis; enquanto que os nossos 1 e 2 Reis foram chamados respectivamente de 3 e 4 Reis.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical.Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

Contexto histórico e pano de fundo dos dois livros de Samuel

Os acontecimentos narrados nos livros de 1 e 2 Samuel ocorreram entre aproximadamente 1105 e 970 a.C. Isso significa que os dois livros de Samuel registram mais de 130 anos de história. Esse período compreende o nascimento do profeta Samuel (1 Samuel 1:1-28); passa pelo reinado de Saul; e termina com as últimas palavras de Davi (2 Samuel 23:1-7).

Então os relatos descritos nos livros de Samuel ocorreram num contexto histórico em que os grandes reinos do antigo Oriente Próximo estavam muito bem estabelecidos. Mas apesar dos desafios do ambiente político internacional, foi naquele tempo que Israel evoluiu de uma confederação tribal que tinha apenas alguma organização sob a autoridade de juízes, para uma nação unida, estruturada e liderada por uma monarquia oficialmente constituída.

O pano de fundo da maioria dos eventos registrados nos livros de Samuel é a região central do território de Israel. Essa região se estendia da região montanhosa de Efraim ao norte, e ia até a região montanhosa de Judá ao sul. As principais cidades citadas nos dois livros de Samuel são:

  • Siló: era a residência do sacerdote Eli e onde ficava o Tabernáculo.
  • Ramá: a cidade onde o profeta Samuel nasceu.
  • Gibeá: o lugar que abrigava o quartel-general do rei Saul.
  • Belém: a cidade natal de Davi.
  • Hebrom: era a capital de Davi quando ele governou Judá.
  • Jerusalém: a cidade conquistada por Davi e que se tornou definitivamente sua capital política e religiosa.

Propósito, teologia e características dos dois livros de Samuel

Os estudiosos observam que o autor de 1 e 2 Samuel possuía dois propósitos principais quando compôs sua obra. O primeiro propósito era de ordem histórica. Ele tinha a preocupação de apresentar um registro fiel da origem e desenvolvimento da monarquia em Israel. Sob esse aspecto ele contemplou a transição da liderança sob os juízes e o estabelecimento do primeiro rei israelita.

Já o segundo propósito do escritor bíblico era de ordem altamente teológica. Ele procurou deixar claro aos seus leitores os erros dos israelitas quando desejaram estabelecer um rei segundo suas próprias ambições. Mas em contrapartida ele também fez questão de enfatizar que era propósito do Senhor constituir um rei sobre Israel segundo a sua escolha soberana.

Então é a partir desse ponto que o escritor de Samuel dedicou toda sua atenção à histórica da casa de Davi; não apenas do ponto de vista histórico, mas, principalmente, do ponto de vista teológico. Ele sinalizou as implicações de cada evento histórico na fé israelita e em sua relação pactual com o Senhor.

Nesse processo, o autor bíblico aplicou muito da teologia de Deuteronômio. Facilmente podemos ver nos dois livros de Samuel referências ao conceito das bênçãos e maldições da aliança conforme a obediência ou a desobediência; bem como vemos os conselhos sobre o caráter apropriado da adoração e as advertências sobre os perigos da idolatria. Os livros também fornecem um bom registro sobre qual devia ser o verdadeiro papel de um sacerdote, de um profeta e de um rei.

Ao mesmo em que os dois livros de Samuel mostram que a casa de Davi foi escolhida por Deus para governar Israel, os textos bíblicos também jamais omitem os graves erros cometidos por Davi. Muito pelo contrário! As maldições trazidas em conseqüência dos pecados de Davi são apresentadas de modo pedagógico. Assim, as gerações futuras poderiam aprender com elas.

Com esse objetivo teológico em mente, o escritor bíblico reafirma que a escolha da casa de Davi por Deus não foi um erro. Na verdade, apesar dos erros dos agentes humanos, a casa de Davi continuava sendo a linhagem através da qual Deus haveria de estabelecer seu governo eterno através do Messias, o grande Filho de Davi.

Resumo da mensagem de 1 Samuel

O livro de 1 Samuel pode ser dividido em três grandes partes. Os personagens principais do livro de 1 Samuel são: Samuel, Saul e Davi. A primeira parte enfoca os preparativos de Deus para estabelecer a monarquia em Israel. Então o livro começa registrando o nascimento de Samuel; o profeta que teria um papel decisivo em todo esse processo (1 Samuel 1).

Também nessa primeira parte o livro de 1 Samuel mostra a decadência e queda da casa sacerdotal de Eli; e ainda registra as graves consequências dos pecados cometidos pelos filhos de Eli que resultaram na captura da Arca da Aliança pelos filisteus (1 Samuel 2-4).

Mas ainda na primeira parte, o escritor bíblico contrasta toda a corrupção religiosa e moral de Israel com o poder e a santidade de Deus. Ele indica como Deus mostrou sua soberania ao castigar diretamente os filisteus; e depois ao conduzir o povo de Israel a uma vitória impressionante sobre a liderança de Samuel (1 Samuel 4-7).

A segunda parte do livro de 1 Samuel mostra a ascensão de Saul como rei de Israel e seu reinado fracassado (1 Samuel 8-15). É nessa seção que o livro de 1 Samuel registra a rejeição de Deus como o grande Rei de Israel por parte do povo.

Aqui vale saber que o estabelecimento da monarquia em Israel não era errado. Na verdade, era cumprimento de promessas anteriores (cf. Gênesis 49:10; Números 24:7-19; etc.). O erro estava na forma como os israelitas desejaram e quiseram impor essa monarquia. Eles queriam um modelo que lhes desse uma sensação de autonomia como as nações pagãs (1 Samuel 8:5); enquanto que o modelo de Deus era o de uma monarquia teocrática.

A terceira parte de 1 Samuel registra a queda definitiva de Saul e a ascensão de Davi como o homem segundo o coração de Deus para ser rei de Israel (1 Samuel 16-31). Por um lado, essa última seção mostra o comportamento pecaminoso, inconsequente e louco de Saul; por outro, essa seção também mostra como Deus capacitou, protegeu e conduziu Davi providencialmente ao trono de Israel.

Breve esboço do livro de 1 Samuel

  1. A história de Samuel como profeta e juiz de Israel (1 Samuel 1:1-7:17)
  2. A história de Saul como o primeiro rei de Israel – incluindo sua ascensão e queda (1 Samuel 8:1-12:25).
  3. A tensão entre Davi e Saul: a transferência do reinado em Israel – incluindo a unção de Davi como rei; o trabalho de Davi na corte de Saul; a perseguição de Davi pelo rei rejeitado por Deus; e a morte de Saul (1 Samuel 16:1-31:13).
Receber Estudos da Bíblia

Resumo da mensagem de 2 Samuel

O livro de 2 Samuel começa exatamente a partir do ponto de onde termina os registros de 1 Samuel. Os primeiros capítulos mostram que depois da morte melancólica de Saul, Davi podia assumir oficialmente o trono e governar sobre todo Israel.

De acordo com o livro de 2 Samuel, Davi não começou governando sobre um reino unificado. Na verdade, primeiro ele governou sobre Judá em Hebrom (2 Samuel 2:1-7). Então só depois ele se tornou rei sobre todas as tribos de Israel formando um reino unificado (2 Samuel 2:8-5:5).

Nesse processo, porém, muito sangue foi derramado. Mas tanto o livro de 1 Samuel quanto o livro de 2 Samuel deixam bem claro que Davi foi inocente na ruína da casa de Saul (2 Samuel 2:8-3:5).

Os capítulos 5 e 6 de 2 Samuel são muito importantes, pois tratam da conquista de Jerusalém. Esses capítulos mostram que Davi conquistou a cidade para ser sua capital e derrotou de forma esmagadora os filisteus. Depois, Davi fez de Jerusalém o centro religioso de Israel, levando a Arca da Aliança para dentro da cidade.

No livro de 2 Samuel também estão registrados os sucessos militares de Davi e as promessas e bênçãos de Deus sobre ele, garantindo-lhe uma dinastia eterna (2 Samuel 7-10). Sem dúvida o reino de Davi foi marcado pela bênção de Deus; mas também sofreu sob a maldição divina. Por isso a segunda parte do livro de 2 Samuel destaca justamente esse aspecto e mostra as consequências do pecado de Davi sobre sua casa e sobre toda nação (2 Samuel 11-20).

Por fim, o livro de 2 Samuel termina com uma conclusão que reúne uma série de acontecimentos que se deram em diferentes momentos da vida e reinado de Davi. Essa conclusão enfatiza que o sucesso de Davi se devia à presença do Senhor com ele; e que ele havia sido abençoado com uma aliança eterna com o Senhor.

Com isso, o escritor bíblico destaca que apesar das falhas de Davi, a casa davídica deveria ser vista como um sinal de esperança pelo povo israelita; pois a certeza do cumprimento das promessas divinas não repousava sobre a força de Davi, mas sobre o conselho soberano d’Aquele que escolheu Davi.

Breve esboço do livro de 2 Samuel

  1. A ascensão de Davi como rei sobre a tribo de Judá (2 Samuel 1:1-3:5).
  2. A ascensão de Davi como rei sobre todo Israel (2 Samuel 3:6-5:16).
  3. O reino vitorioso de Davi (2 Samuel 5:17-9:13).
  4. Os pecados de Davi e suas conseqüências sobre seu reino, família e nação (2 Samuel 10:1-20:26).
  5. Conclusão: epílogo com diferentes acontecimentos da vida de Davi (2 Samuel 21:1-24:25).
Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar