O Que Significa Domínio Próprio na Bíblia?

Ter domínio próprio significa controlar-se a si mesmo. A Bíblia é muito clara ao advertir que o domínio próprio deve ser uma virtude característica na vida dos seguidores de Cristo. O ensino bíblico mostra que dominar as inclinações carnais é algo fundamental ao crente.

Há muitas formas de ser uma pessoa descontrolada, e a Palavra de Deus reprova todas elas. O valor do autocontrole fica muito bem expresso nas palavras do rei Salomão quando ele escreve dizendo que “mais vale controlar-se a si mesmo do que conquistar uma cidade” (Provérbios 16:32).

Na Bíblia a ideia do domínio próprio é expressa pela palavra grega enkrateia. Essa palavra – que também pode traduzida como “temperança” – indica “o poder de conter-se a si mesmo”. Então ter temperança e domínio próprio é, essencialmente, a mesma coisa. Em outras palavras, ser temperante e moderado é possuir autocontrole. Essa mesma palavra grega é aplicada nos textos bíblicos para falar do domínio sobre os desejos e práticas sexuais (1 Coríntios 7:9); e para se referir à disciplina que um atleta exerce sobre o próprio corpo (1 Coríntios 9:25).

Algumas pessoas confundem a mansidão com o domínio próprio. Mas na verdade a mansidão e o domínio próprio são qualidades diferentes, embora estejam relacionadas. A mansidão diz repeito ao relacionamento de uma pessoa com seu próximo, enquanto o domínio próprio trata da relação que uma pessoa mantém consigo mesma. Mas claro, obviamente o domínio próprio, ou a falta dele, também reflete em nossos relacionamentos com outras pessoas.

Quando Paulo escreveu aos gálatas, ele mencionou a domínio próprio como sendo uma das virtudes do fruto do Espírito Santo (Gálatas 5:22). Apesar de essa virtude ser diretamente oposta aos vícios da natureza humana listados pelo apóstolo – como a imoralidade, a impureza, a lascívia e outros –, o conceito do verdadeiro domínio próprio vai ainda mais além. Isso quer dizer que uma pessoa que exerce essa qualidade possui seus pensamentos e atitudes submissos e obedientes ao Senhor (2 Coríntios 10:5). Entenda melhor o significado de temperança.

O oposto do domínio próprio

O domínio próprio é o oposto dos vícios das obras da carne. Como exemplo desses vícios, podemos citar aqui a imoralidade e a glutonaria. A palavra traduzida por “imoralidade” é o grego porneia. Esse termo grego é bastante amplo e inclui toda espécie de práticas sexuais ilícitas e imorais.

Quando Paulo escreveu sobre isso, a imoralidade sexual era uma prática comum no mundo gentílico dominado pelo paganismo. Além disso, existia uma estrita associação entre a imoralidade e a idolatria, visto que a prostituição religiosa fazia parte dos cultos pagãos.

Assim como as virtudes do fruto do Espírito são diretamente ligadas e relacionas umas com as outras, os vícios da carne também o são. Ainda em conexão com a imoralidade e a idolatria, temos a glutonaria. Essa palavra traduz o termo grego komos, que expressa o sentido de “desregramento”.

A glutonaria é a busca desenfreada pelo prazer, não apenas através de comida ou bebida, mas também das mais diversas práticas pecaminosas. Para se ter uma ideia, esse mesmo termo grego pode ser traduzido como “orgia” ou “farra”.

Ao utilizar esse termo, Paulo não estava simplesmente valorizando uma dieta equilibrada e reprovando o excesso de comida e bebida; mas na verdade o apóstolo estava se referindo justamente às orgias pagãs que arrastavam multidões no Império Romano. Naquela época, as pessoas tinham o costume de participarem de jantares repletos de excessos. Depois, completamente embriagadas, elas saíam num tipo de procissão pelas ruas com tochas nas mãos e músicas em honra ao deus Baco.

Atualmente os costumes e as práticas culturais podem ter mudado, mas o modus operandi do descontrole pecaminoso do homem continua o mesmo. Saiba mais sobre o que significa glutonaria.

Receber Estudos da Bíblia

Como ter domínio próprio?

A Palavra de Deus nos diz que o homem que não tem domínio próprio é tão vulnerável quanto uma cidade derribada que não tem muros (Provérbios 25:28). Então mais uma vez é importante afirmar que o domínio próprio é uma qualidade indispensável a todo cristão e se estende a todos os aspectos da sua vida.

Mas conforme vimos acima, o domínio próprio é uma das virtudes do fruto do Espírito. Contudo, essas virtudes não podem ser geradas por nós mesmos; elas não repousam sobre nossas próprias habilidades. Isso significa que apenas o Espírito Santo é quem pode produzir em nós tais qualidades.

Então a única maneira de alguém ter verdadeiro domínio próprio é vivendo e sendo guiado pelo Espírito Santo. Quando somos guiados pelo Espírito somos também capacitados por Ele a vivermos uma vida que agrada a Deus, uma vida de constante santificação. Portanto, somente através do domínio do Espírito Santo é que podemos agir de maneira comedida e sensata, e viver de forma moderada.

Quer ter domínio próprio? Então ande no Espírito e seja guiado por Ele.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar