O Que Significa “Um Será Levado, e Outro Deixado”?

O versículo que diz que “um será levado, e outro deixado” fala sobre como as pessoas serão separadas diante da manifestação do juízo do Senhor. Enquanto umas serão tomadas, outras serão deixadas.

Na verdade o texto bíblico diz: “Então, dois estarão no campo, um será levado, e outro será deixado. Duas estarão trabalhando no moinho, uma será levada, e outra será deixada” (Mateus 24:40,41).

O texto paralelo no Evangelho de Lucas é ainda mais específico e diz que duas pessoas estarão juntas numa cama, e uma será levada e outra será deixada (Lucas 17:34). Isso deixa claro então que essa separação poderá afetar os mais íntimos laços de relacionamento.

Mas aqui surgem algumas perguntas: Por que um será levado, e outro deixado? O que significa ser levado ou ser deixado? A pessoa que será levada será levada para onde?

Essas perguntas podem ser facilmente respondidas no próprio contexto do capitulo bíblico. A declaração de que “um será levado, e outro deixado” aparece num texto bíblico que registra o discurso do Senhor Jesus Cristo a respeito do fim dos tempos. Esse discurso profético ficou conhecido como o Sermão Escatológico de Jesus.

Basicamente no sermão o Senhor Jesus tratou de responder a pergunta de seus discípulos que queriam saber sobre quais seriam os sinais do fim dos tempos (Mateus 24:3). Nesse sentido então Jesus falou de uma série de acontecimentos que serviriam como sinais da aproximação de sua vinda e da consumação dos séculos.

Mas curiosamente a interpretação mais popular do versículo que diz que “um será levado, e outro deixado” parece não observar de forma adequada o contexto em que esse versículo aparece. Grande parte dos cristãos entende que esse versículo se refere ao arrebatamento da Igreja, e que “ser levado” significa então ser arrebatado, enquanto “ser deixado” significa, obviamente, ser deixado para trás no arrebatamento.

Quem interpreta esse versículo assim, entende que ele é um texto paralelo a 1 Tessalonicenses 4:16-17, onde o apóstolo Paulo realmente fala sobre como os crentes serão arrebatados para encontrar o Senhor nos ares. Mas o que de fato diz o contexto desse versículo?

Quem será levado e quem será deixado?

Se o versículo 40 de Mateus 24 diz que “dois estarão no campo, um será levado, e outro deixado”, os versículos anteriores (38 e 39) parecem esclarecer de forma muito clara o que isso significa. Os versículos 38 e 39 de Mateus registram como o Senhor Jesus Cristo comparou os dias finais da presente era aos dias que antecederam o dilúvio, lá no tempo de Noé.

Então Jesus usou o exemplo das pessoas que desprezaram o aviso do juízo de Deus através de Noé, como figura das pessoas que também desprezarão os avisos acerca da vinda do Senhor no fim dos tempos. Nesse sentido Jesus observou que as pessoas da sociedade pré-diluviana viveram suas vidas normalmente, como se não tivessem de prestar contas a ninguém.

Jesus diz que aquelas pessoas não perceberam nada, até que Noé entrou na arca e as águas do dilúvio precipitaram sobre elas. Nesse ponto o Senhor Jesus diz: “eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e os levou a todos” (Mateus 24:39).

Note que Jesus diz que o dilúvio “levou” ou “tomou” todas aquelas pessoas. Todos conhecem a história do dilúvio e sabem muito bem que apenas a família de Noé foi salva do julgamento de Deus sobre aquela geração.

Então de forma natural o texto bíblico continua esse raciocínio afirmando que no fim dos tempos as pessoas estarão envolvidas em seus compromissos, quer trabalhando (dois estarão no campo e duas no moinho) quer descansando (dois estarão numa cama), o juízo de Deus virá e um será levado, e outro deixado.

Mas se a frase “um será levado, e outro deixado” está diretamente ligada ao que aconteceu nos dias de Noé, então obviamente o contexto está dizendo que quem será levado são os ímpios; enquanto que os justos é que serão deixados.

Um será levado, e outro deixado: será levado para onde?

O dilúvio não levou Noé e sua família, mas levou as pessoas que morreram sob o juízo de Deus. ­­Portanto, a frase “um será levado, e outro deixado” parece não estar falando do arrebatamento dos crentes; mas da separação dos ímpios para o julgamento de Deus.

Isto está em harmonia com o que Jesus ensina na Parábola do Joio e do Trigo, onde primeiro o joio é separado de entre o trigo para ser queimado no fogo, enquanto o trigo é deixado para ser juntado depois e guardado no celeiro (Mateus 13:24-43).

Como fica claro, o versículo que diz que “um será levado, e outro deixado” faz parte de um capítulo que traz uma profecia escatológica. A área da escatologia bíblica nem sempre é fácil. Realmente há muitos pontos difíceis, e por isso há diferentes linhas de interpretação.

Especificamente sobre o arrebatamento da Igreja, alguns cristãos defendem um arrebatamento pré-tribulacionista, enquanto outros defendem um arrebatamento pós-tribulacionista. Ambos os grupos são formados por crentes sinceros.

Geralmente quem relaciona a frase “um será levado, e outro deixado” com o arrebatamento, adota uma interpretação pré-tribulacionista. Mas isso não é regra, porque grandes estudiosos da linha pré-tribulacionista, como o teólogo John MacArthur, por exemplo, também entendem que essa frase fala dos ímpios sendo levados a julgamento, e não do arrebatamento.

Por fim, de fato o contexto bíblico em que essa frase aparece não deixa dúvida de que o ensino de Jesus tinha em vista o juízo de Deus sobre aqueles que desprezam sua Palavra. Os próprios discípulos de Jesus entenderam assim, e após Jesus falar que “um será levado, e outro deixado”, eles perguntaram: “Onde, Senhor?” (Lucas 17:37).

A resposta de Jesus no mesmo versículo é esclarecedora: “Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão as águias”. Em outras palavras, Jesus está dizendo que as pessoas serão levadas a um lugar de destruição e morte.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar