O Que Era o Altar do Holocausto?

O altar do holocausto era um altar que ficava no pátio do Tabernáculo no qual as ofertas dos adoradores israelitas eram queimadas. O altar do holocausto também era chamado de “altar de bronze” ou “altar de cobre” por causa do material que era fabricado. Quando o Templo foi edificado em Jerusalém, ele também recebeu um altar para o holocausto.

O altar do holocausto foi construído por Bezalel, o artesão chefe da construção do Tabernáculo. Bezalel construiu o altar do holocausto de acordo com as instruções divinas dadas a Moisés. Deus revelou a Moisés cada detalhe de como deveria ser o altar. Isso incluía seu formado, suas medidas e os materiais a ser utilizados (Êxodo 27:1-8).

Como era o altar do holocausto?

O altar do holocausto era feito de madeira de acácia (ou cetim) e recoberto de bronze (ou cobre – dependendo da tradução). O altar tinha um formato quadrado e media aproximadamente dois metros e meio em suas laterais. Ele também tinha pouco mais de um metro e trinta centímetros de altura.

Nos quatros cantos superiores do altar do holocausto havia quatro chifres cobertos de bronze e que formavam uma só peça com o altar. Foram fabricados também vários utensílios de bronze para serem utilizados no altar, como: recipientes para recolher a cinza dos sacrifícios, pás, bacias, garfos e braseiros (Êxodo 27:3).

Conforme a ordem do Senhor, uma grelha de bronze também foi fabricada em forma de rede com quatro argolas de metal nos seus quatro cantos. A grelha foi colocada na metade inferior do altar do holocausto, abaixo da beirada do altar até o chão (Êxodo 27:4). Alguns estudiosos acreditam que essa grelha talvez servisse para prover a ventilação do fogo sobre o altar.

O altar podia ser transportado por dois varais feitos de madeira de acácia e cobertos de bronze. Esses varais passavam pelas argolas que ficavam nos cantos do altar. O altar do holocausto era oco, e dentro dele provavelmente havia terra ou pedras não lavradas (Êxodo 20:24).

Quando o Templo de Jerusalém foi construído pelo rei Salomão, um altar de bronze foi projetado com dimensões bem maiores do que o altar do holocausto no antigo Tabernáculo. As laterais do altar do Templo mediam cerca de nove metros; já sua altura era de aproximadamente quatro metros e meio (2 Crônicas 4:1).

O altar do holocausto no Templo foi restaurado algumas vezes (cf. 2 Crônicas 15:8; 29:18-24; 33:16). Mas obviamente o altar acabou sendo destruído quando Jerusalém foi tomada pelo rei Nabucodonosor da Babilônia (2 Reis 25:14). Mas quando o Templo foi reedificado após o cativeiro, um novo altar do holocausto foi construído. Na verdade, antes mesmo da construção do novo Templo, os exilados que retornaram do exílio reconstruíram o altar (Esdras 3:1-6).

Onde ficava o altar do holocausto?

O altar do holocausto ficava no átrio do Tabernáculo. Sua localização posicionava-o logo na entrada principal do Tabernáculo. Toda pessoa que entrava no pátio do Tabernáculo necessariamente contemplava e passava bem próxima do altar do holocausto.

Em sua consagração, o altar foi ungido com óleo, assim como os outros mobiliários do Santuário. Com isso, o altar tornou-se santíssimo, e tudo quanto tocasse o altar passava a ser consagrado ao Senhor (Êxodo 29:36,37,44; 30:28; 40:10; Levítico 8:11; Números 7:10-88). Por ocasião de sua inauguração, uma oferta foi queimada nele a cada dia pelo pecado, durante sete dias (Êxodo 29:1-37). Em seguida as ofertas contínuas foram instituídas. Essas ofertas deveriam ser oferecidas pelos sacerdotes diariamente, duas vezes ao dia, sobre o altar do holocausto (Êxodo 29:38-46).

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

A importância do altar do holocausto

O altar do holocausto tinha um papel fundamental na adoração do Antigo Testamento. Sobre ele eram feitos os sacrifícios de animais e manjares. Então toda oferta queimada era oferecida no altar do holocausto. Em outras palavras, o altar do holocausto era o lugar onde eram feitos os sacrifícios para expiação e comunhão, incluindo as ofertas de holocausto, manjares, expiação pelo pecado, pela culpa e a parte das ofertas pacíficas que também eram queimadas.

Os chifres nos quatro cantos do altar também eram importantes. O sangue dos sacrifícios era aplicado sobre os chifres na consagração dos sacerdotes, nas ofertas pelo pecado e no Dia da Expiação (cf. Êxodo 29:12; Levítico 4:25,30; 16:18). Além disso, os chifres do altar do holocausto proviam proteção para quem se agarrasse neles (1 Reis 1:50). Por exemplo: uma pessoa inocente acusada de assassinato podia se refugiar junto ao altar do holocausto segurando os chifres do altar e suplicando por misericórdia.

Também era significativo o fato de o altar do holocausto ficar estrategicamente entre a entrada do átrio e o acesso ao Santo Lugar. Isso indicava que ninguém podia ter acesso ao lugar mais reservado do Tabernáculo sem antes passar pelo altar do holocausto; ninguém podia se aproximar da presença santa de Deus sem que primeiro dependesse dos sacrifícios apresentados naquele altar.

Nesse sentido o altar do holocausto era um sinal do favor de Deus que permitia que um pecador se aproximasse dele ao ser purificado através dos sacrifícios ali apresentados; bem como também era um sinal da gravidade do problema do pecado e do próprio caráter temporário daquele sistema sacrifical. Todos os dias sacrifícios eram oferecidos no altar do holocausto. O sangue de inúmeros animais inocentes foi derramado naquele altar, sem que com isso o pecador pudesse ficar definitivamente justificado perante Deus.

Receber Estudos da Bíblia

Jesus Cristo e o significado do altar do holocausto

Mas o altar do holocausto, e os sacrifícios oferecidos nele, simplesmente prefiguravam o holocausto perfeito e definitivo que Deus providenciaria para resolver o problema do pecado. Ao interpretar o Salmo 40, o escritor de Hebreus escreve sobre como Deus não se deleitou com holocaustos e ofertas pelo pecado (Hebreus 10:5-8).

Então ele aponta para a obediência de Cristo em cumprir o propósito imutável de Deus, quando no Calvário Ele expiou o pecado de seu povo através do sacrifício de seu próprio corpo. Os sacrifícios no altar do holocausto eram oferecidos dia após dia pelos sacerdotes, mas jamais puderem remover permanentemente os pecados.

Porém, Jesus ofereceu, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, e agora está exaltado à destra de Deus. Ele redimiu, purificou e justificou, de uma vez por todas, todos aqueles que estão unidos com Ele pela fé. Estes, e somente estes, através do altar do holocausto de Cristo onde seu sangue foi derramado, podem se aproximar de Deus com confiança (Hebreus 10:9-22).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close