Biografia e História do Apóstolo João: Quem foi João?

O apóstolo João foi um dos discípulos mais próximos de Jesus e escritor de alguns dos livros do Novo Testamento. João é geralmente conhecido dentro da tradição cristã como “o discípulo amado”. A seguir conheceremos a história e biografia do apóstolo João.

A biografia do apóstolo João

João era filho de Zebedeu e provavelmente de Salomé (Marcos 1:19; 16:1,2; Mateus 27:56). Seu irmão, Tiago, também pertenceu ao grupo dos doze discípulos de Jesus e possivelmente era mais velho do que ele, visto que sempre é citado primeiro (Mateus 10:2-4). O apóstolo João era pescador de profissão, e seu pai foi um homem próspero no ramo da pesca, pois tinha alguns empregados (Marcos 1:20).

A tradição cristã associa Salomé como sendo irmã de Maria, mãe de Jesus (cf. Mateus 27:56; João 19:25). Se essa afirmação estiver correta, então o apóstolo João era primo do Senhor Jesus.

Antes de se tornar um dos discípulos de Jesus, o apóstolo João era um seguidor de João Batista (João 1:35-37). João teve um primeiro encontro com Jesus, e depois de um pequeno intervalo de tempo, se tornou um de seus discípulos regular (Marcos 1:16ss; Lucas 5:10).

A personalidade e caráter do apóstolo João

Alguns acontecimentos registrados nos Evangelhos nos ajudam a entender um pouco sobre como era a personalidade e caráter do apóstolo João. Em certa ocasião Jesus chamou João e Tiago de “filhos do trovão” (Marcos 3:17).

Receber Estudos da Bíblia

Muito provavelmente essa designação apontava para a natureza explosiva dos dois irmãos, no sentido de que normalmente eles eram homens de emoções controladas, mas em determinadas situações a ira logo os ascendia.

Um exemplo disto pode ser visto quando os habitantes de uma vila samaritana se recusaram a hospedar Jesus, e os dois irmãos logo disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para os consumir?” (Lucas 9:54).

Ao mesmo tempo em que tal declaração aponta para um temperamento forte, ela também indica o profundo amor e a grande fidelidade que o apóstolo João e seu irmão nutriam pelo Senhor Jesus. Em dada ocasião, talvez devido à influência de sua mãe, João e Tiago deixaram transparecer certo egoísmo ao pedirem que Jesus lhes concedessem lugares privilegiados em seu reino (Marcos 10:37; cf. Mateus 20:20).

João, o discípulo a quem Jesus amava

No Evangelho de João existem referências acerca de um discípulo a quem Jesus amava (João 13:23; 19:26; 20:2; 21:7,20). É amplamente aceito que tais referências designam o próprio apóstolo João.

Isso significa que ninguém conhecia Jesus mais do que João. Ele caminhou com Jesus diariamente, e na grande noite da instituição Ceia do Senhor, na celebração da última Páscoa, foi ele quem se reclinou sobre o peito de Jesus e lhe perguntou pessoalmente sobre quem seria o traidor (João 13:23).

O apóstolo João também esteve presente em três importantes ocasiões do ministério de Jesus, juntamente com Simão Pedro e Tiago:

  • Quando Jesus ressuscitou a filha de Jairo (Marcos 5:37).
  • Na ocasião da transfiguração (Marcos 9:2).
  • Durante o período em que Jesus esteve no Getsêmani (Marcos 14:33).

Além disso, o evangelista Lucas também nos informa que João e Pedro foram as duas pessoas encarregadas por Jesus de cuidar dos preparativos para a refeição da Páscoa (Lucas 22:8).

No momento da crucificação, o apóstolo João é o discípulo que aparece mais próximo de Jesus no Calvário, e que também recebeu a incumbência de cuidar de Maria (João 19:26,27). Depois, foi ele quem correu juntamente com Pedro ao túmulo de Jesus na manhã da ressurreição (João 20:8).

O ministério apostólico de João

Depois da ascensão de Jesus ao céu, o apóstolo João é mencionado com destaque na Igreja Primitiva. No livro de Atos, ele frequentemente é citado na companhia de Pedro (Atos 3:1; 4:19; 8:14). Conheça a história do apóstolo Pedro.

O apóstolo João foi um dos principais líderes da igreja em Jerusalém (Atos 15:6; Gálatas 2:9). A tradição cristã atribui ao apóstolo João a autoria de cinco livros do Novo Testamento: o Quarto Evangelho (Evangelho de João), três Epístolas (1,2 e 3 João) e o livro do Apocalipse.

É verdade que existem algumas criticas que tentam contestar a autoria por parte de João de algumas destas obras, especialmente do Evangelho e do livro do Apocalipse. Todavia, as evidências apontam de forma muito mais contundente para a verdade de que realmente foi o apóstolo João quem escreveu todos os cinco livros.

A morte do apóstolo João

Apesar de não ser possível afirmar com certeza por quanto tempo o apóstolo João permaneceu em Jerusalém, provavelmente o apóstolo deixou a Palestina no início da Guerra Judaica, antes de 69 d.C., e se mudou para a Ásia Menor.

A tradição cristã de forma muito forte afirma que João viveu por muitos anos na cidade de Éfeso, e que foi nessa mesma cidade que ele compôs suas obras literárias, com exceção do livro do Apocalipse. Saiba mais sobre quem escreveu o Apocalipse.

Em algum momento durante o reinado do imperador romano Domiciano (81-96 d.C.), o apóstolo João foi banido para a Ilha de Patmos. Foi em Patmos que ele recebeu as divinas revelações registradas no livro do Apocalipse.

Com ascensão do imperador Marco Nerva em Roma (96-98 d.C.), o apóstolo João foi liberado para retornar a Éfeso, provavelmente já com cerca de 90 anos de idade. A tradição afirma que o apóstolo João morreu durante o começo do governo de Trajano, isto é, depois de 98 d.C., com idade bastante avançada.

Algumas antigas críticas também já tentaram afirmar que o apóstolo João não é o mesmo João influente em Éfeso, e, portanto, o autor dos livros do Novo Testamento. Tais críticas alegam que o apóstolo João morreu à espada juntamente com seu irmão Tiago por ordem de Herodes Agripa I, ainda nos primeiros anos da Igreja Primitiva, em aproximadamente 44 d.C.

No entanto, tais críticas não se sustentam quando contrapostas às abundantes evidências apresentadas pelas antigas tradições cristãs registradas nos escritos patrísticos. Na verdade a maioria dos estudiosos aceita que a residência e influência do apóstolo João em Éfeso é uma das histórias mais claras e sólidas documentadas nos primeiros anos da Igreja.

Portanto, existem provas suficientes para se acreditar que o apóstolo João realmente morreu em Éfeso, e antes de disso, mesmo com a idade avançada, ele continuou exercendo ativamente seu ministério sendo o bispo-chefe das igrejas localizadas na região de Éfeso, e combatendo as perigosas heresias (especialmente o gnosticismo) que ameaçavam a pregação do Evangelho.

Alguns escritos afirmam que o apóstolo João morreu com idade tão avançada, que em seus últimos dias ele tinha de ser carregado para as reuniões cristãs. De forma curiosa, seu irmão Tiago foi certamente o primeiro apóstolo a sofrer martírio (Atos 12:2), enquanto que João foi o último dos apóstolos a deixar a terra e chegar ao céu.

Tag
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close