Quem Foi o Cego Bartimeu? Estudo Sobre o Cego de Jericó

O cego Bartimeu foi o homem curado por Jesus em sua passagem pela cidade de Jericó. Apesar de Jesus ter curado outro cego naquela mesma região, Bartimeu foi quem ficou conhecido na história como “o cego de Jericó”.

A cura de Bartimeu está registrada na Bíblia nos três Evangelhos Sinóticos (Mateus 20:29-34; Marcos 10:46-52; Lucas 18:35-43). Esse milagre aconteceu durante a última viagem de Jesus à cidade Jerusalém a partir da Peréia.

Quem foi Bartimeu?

Nada se sabe sobre a vida de Bartimeu além do que é revelado nos poucos versículos bíblicos sobre ele. O nome de seu pai era Timeu, e por isso ele é chamado de Bartimeu. A Bíblia não explica se ele era cego de nascença ou se ficou cego no decorrer de sua vida. O texto bíblico simplesmente apresenta Bartimeu como um cego que mendigava na cidade de Jericó.

Muitas lendas foram reproduzidas envolvendo o cego Bartimeu. Algumas delas tentam trazer detalhes sobre sua vida desconhecida. Uma das mais populares diz que Bartimeu era filho de um militar que foi morto pelo Império Romano e cujo filho teve os olhos cegados como parte da pena imposta a ele. Então teria sido assim que o infeliz Bartimeu supostamente teria se transformado num mendigo nas proximidades de Jericó.

Mas a verdade é que nada disso possui qualquer evidência histórica. Por isso esses relatos não passam de lendas inventadas com a finalidade de trazer mais sensacionalismo à história do cego de Jericó. Felizmente o texto bíblico traz de forma clara aquilo que realmente é importante sobre a vida de Bartimeu: ele foi um mendigo cego que teve os olhos abertos após uma notável profissão de fé na pessoa de Cristo.

O contexto da cura do cego de Jericó

Os três relatos bíblicos sobre a cura do cego de Jericó são muito úteis para entendermos o contexto em que aconteceu esse milagre. Os três relatos naturalmente possuem algumas diferenças entre si. Mas não há qualquer contradição entre eles. Na verdade as três narrativas bíblicas se complementam.

Tudo aconteceu quando Jesus Cristo estava seguindo viagem rumo a Jerusalém acompanhado de seu pequeno grupo de seguidores. Ele havia partido da Pereia, através do Jordão, e Jericó estava em sua rota. Essa cidade havia sido fortificada e estruturada pelo rei Herodes e seu filho Arquelau. Além disso, em Jericó também funcionava um tipo de centro administrativo romano e era um lar luxuoso para os cobradores de impostos que trabalhavam para o Império.

Essa cidade nova e moderna para a época ficava um pouco mais ao sul da antiga Jericó tomada pelos israelitas no tempo de Josué. De Jericó até Jerusalém, o Senhor Jesus e seu grupo ainda teriam que percorrer cerca de vinte e dois quilômetros.

Sendo uma cidade bela e importante, era comum que mendigos se reunissem em suas proximidades para mendigar – especialmente na passagem entre a velha e a nova Jericó. O evangelista Mateus informa que em Jericó Jesus curou dois cegos. Já Marcos e Lucas concentram suas narrativas apenas na história de um deles, a quem Marcos chama de “Bartimeu, filho de Timeu”. Alguns estudiosos sugerem que o fato de Marcos ser o único a denominar o cego de Jericó talvez signifique que Bartimeu tenha se tornado conhecido dos cristãos primitivos.

Marcos também diz que Jesus curou o cego Bartimeu quando saía de Jericó. Já Lucas diz que o cego foi curado quando Jesus se aproximava de Jericó. Muitas possibilidades de responder essa questão já foram apresentadas.

Alguns intérpretes consideram que a expressão utilizada por Lucas indica apenas que Jesus estava nas proximidades da cidade. Outros sugerem que Mateus e Marcos tenham se referido à cidade antiga, enquanto Lucas se referiu à cidade nova. Há ainda outras possibilidades, mas o mais importante é entender que o objetivo principal dos textos bíblicos é enfocar o milagre efetuado por Jesus.

Como o cego Bartimeu foi curado?

Bartimeu era um dos cegos que se sentavam à beira do caminho da cidade de Jericó para mendigar. Ele escutou que Jesus estava passando por ali acompanhado de uma numerosa multidão. É possível que essas pessoas também estivessem seguindo para a celebração da Páscoa em Jerusalém.

Ao saber que Jesus estava por perto, imediatamente o cego Bartimeu começou a clamar: “Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!” (Marcos 10:47). A Bíblia diz que muitas pessoas se incomodaram com os gritos do cego de Jericó e mandavam que ele se calasse. Mas muito determinado, o cego Bartimeu gritava cada vez mais pela misericórdia do Senhor.

Então Jesus ouviu o apelo do homem cego e pediu que as pessoas o chamassem. A multidão que tinha lhe repreendido por importunação, agora teve que lhe dizer: “Tenha bom ânimo! Levanta-te, Ele te chama” (Marcos 10:49). O cego Bartimeu não hesitou e prontamente respondeu ao chamado de Jesus. Ele se levantou, tirou a capa que poderia lhe atrapalhar e foi com pressa na direção de Jesus.

Diante de Jesus, Bartimeu ouviu a maravilhosa pergunta: “O que queres que eu te faça?” (Marcos 10:15). A resposta de Bartimeu expressou aquilo que ele mais queria em sua vida: “Mestre, que eu torne a ver”. Em resposta ao pedido do cego Bartimeu, o Senhor Jesus disse: Vai, a tua fé te salvou (Marcos 10:52). O texto bíblico diz que imediatamente o cego de Jericó passou a enxergar. Depois disso, Bartimeu seguiu Jesus estrada fora.

Receber Estudos da Bíblia

O que aprendemos com a cura do cego Bartimeu?

A história da cura do cego Bartimeu nos ensina muitas lições importantes. Então neste estudo bíblico citaremos algumas delas.

1. Uma lição sobre confiança

Em primeiro lugar, a cura do cego de Jericó nos ensina que uma situação difícil é um convite para a confiança irrestrita no Senhor; não um motivo para duvidar do seu poder e misericórdia. Na sociedade judaica, Bartimeu estava no nível mais baixo em sua posição na vida. Mas ao invés de culpar o Senhor por sua desgraça, o cego de Jericó “enxergou” em Cristo a sua restauração.

2. Uma lição sobre perseverança

Em segundo lugar, a história de Bartimeu nos mostra que muitas vezes aquilo que já é difícil pode se tornar ainda pior. Ele era um cego que dependia de esmolas para sobreviver. Se não bastasse isso, quando ele esteve diante de sua única oportunidade de restauração uma multidão tentou fazê-lo calar. Mas ele não se intimidou e gritou por Jesus ainda mais. Nesse ponto Bartimeu se tornou um exemplo prático do valor da fé perseverante.

3. Uma lição sobre visão espiritual

Consequentemente, em terceiro lugar, o cego Bartimeu nos ensina que a cegueira física nada tem a ver com a cegueira espiritual. Ele era fisicamente cego, mas espiritualmente enxergava mais do que aquela multidão. Ele clamou pela compaixão de Jesus chamando-o de Filho de Davi. Embora não saibamos o quanto ele compreendia do caráter messiânico da pessoa e ministério de Cristo, seu clamor foi uma confissão clara de que Jesus era Aquele de quem as Escrituras testificavam.

4. Uma lição sobre disponibilidade

Em quarto lugar, Bartimeu nos ensina que devemos estar prontos para responder ao chamado do Senhor. Quando soube que Jesus o chamava, Bartimeu ficou de pé num salto e se desfez de qualquer coisa que pudesse lhe atrasar em ir ter com seu libertador. Aos gritos ele havia chamado pelo Senhor, e agora era o Senhor quem o tinha chamando. Ele sabia que aquela era a chance de sua vida.

5. Uma lição sobre comunhão com o Senhor

Em quinto lugar, a cura do cego Bartimeu revela como o Senhor Jesus busca se relacionar com aqueles que clamam por Ele. Obviamente Jesus sabia o que Bartimeu queria, mas mesmo assim lhe perguntou: “Que queres que eu te faça?”. Como diz William Hendriksen, Jesus não apenas queria curar aquele homem, mas também desejava ter uma comunhão pessoal com ele.

6. Uma lição sobre o poder de Deus

Em sexto lugar, o milagre sobre os olhos de Bartimeu nos diz muito sobre a grandeza do poder de Deus. O texto bíblico diz que após a palavra do Senhor Jesus, imediatamente o cego de Jericó enxergou. Não houve qualquer tensão; não houve qualquer dificuldade. Num momento Bartimeu era um homem completamente cego, e no momento seguinte ele era um homem com a visão perfeita.

7. Uma lição sobre humildade e sensatez

Em sétimo lugar, Bartimeu também nos serve como um exemplo de alguém humilde e que tem consciência de seus defeitos. Primeiro, ele clamou pela misericórdia do Senhor. Isso indica seu senso de realidade. Ele reconhecia e entendia sua miséria. Segundo, quando Jesus lhe perguntou o que ele queria, ele pediu apenas o que realmente lhe era necessário.

Curiosamente o mesmo capítulo registra que Jesus fez uma pergunta parecida a Tiago e João. Mas os dois discípulos fizeram um pedido egoísta e audacioso ao Senhor. Eles pediram posições de grande poder e autoridade no Reino de Deus, como se eles fossem merecedores disso. Inclusive, o pedido deles gerou indignação nos demais discípulos (Marcos 10:36-41).

Mas a resposta de Bartimeu foi muito diferente. Antes de tudo, ele pediu por misericórdia, deixando claro que ele não merecia a ajuda de Jesus. Se o Senhor olhasse para ele e escutasse seus gritos, isso seria pura graça. Então quando teve a oportunidade de contar para Jesus o motivo de seu clamor, ele realmente apresentou aquilo que era sua verdadeira necessidade, não seu capricho.

8. Uma lição sobre o verdadeiro caráter da fé

Em oitavo lugar, Bartimeu não foi apenas alguém que acreditou em milagres. Sua fé não era simplesmente uma fé superficial movida por sinais e alimentada por ambições pessoais. Crer em milagres é uma coisa, mas crer n’Aquele cujo poder é a única fonte dos verdadeiros milagres, é outra.

Bartimeu não gritou sobre o que ele queria receber, mas gritou sobre quem ele acreditava ser Aquele que poderia transformar a sua vida. Ele não dizia: “Quero ser curado!”, mas dizia: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. Sim, ele creu genuinamente no Filho de Davi. Ele clamou por sua compaixão e foi restaurado, não apenas fisicamente, mas também espiritualmente. A prova disso foi sua reação após ser abençoado por Jesus: ele glorificou a Deus!

Aquele que confia verdadeiramente no Senhor compreende que nenhum milagre é um fim em si mesmo, mas que é um meio através do qual Deus deve ser glorificado. A glória de Deus sempre é a finalidade última de todo milagre genuíno.

9. Uma lição sobre a divindade de Cristo

Por fim, em nono lugar, a cura do cego Bartimeu é mais um lembre-te acerca da divindade de Cristo e de como Ele cumpriu com perfeição as Escrituras. O milagre em Jericó ocorreu nos momentos finais de seu ministério terreno. O cego Bartimeu foi curado durante a viagem em que Jesus seguia para Jerusalém onde encontraria a inevitável cruz.

Mas mesmo em seus últimos dias antes de ser traído, preso e crucificado, Jesus deu atenção a um pobre homem cego que mendigava a beira do caminho. Assim, uma vez mais se cumpriu a profecia do profeta Isaías: “Então os olhos dos cegos serão abertos” (Isaías 35:5). Bartimeu foi um desses cegos.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Botão Voltar ao topo
Fechar