Esdras e Neemias Combatem o Casamento Misto

O casamento misto na Bíblia é a união do povo de Deus com pessoas que não professam a mesma fé. Israel sofreu muito por causa dos casos de casamento misto. Inclusive, muitos personagens bíblicos foram levantados por Deus para combater justamente o problema do casamento misto. Na Bíblia, por exemplo, Esdras e Neemias combatem o casamento misto no período pós-exílio (Esdras 9-10; Neemias 13).

Mas o problema do casamento misto não era algo que surgiu no tempo de Esdras e Neemias. Muito antes de Esdras e Neemias combaterem o casamento misto, o povo de Israel já havia sofrido as consequências dessa prática.

O significado do casamento misto

O casamento foi instituído por Deus como a base da família (Gênesis 2:24). Mas tão logo o problema do casamento misto surgiu na história da humanidade. Muitos comentaristas, por exemplo, entendem que o quadro caótico descrito em Gênesis 6 teve o casamento misto em seu contexto; no sentido da linhagem piedosa de Sete ter se misturado com a linhagem ímpia de Caim através do casamento.

Já no tempo em que a nação de Israel estava constituída, Deus deixou muito claro ao seu povo que o casamento misto era algo reprovável. Isto é o lemos no Pentateuco: “Não se casem com pessoas dessas nações. Não deem suas filhas aos filhos delas, nem tomem as filhas delas para os seus filhos” (Deuteronômio 7:3). Na sequência, o mesmo texto bíblico indica o perigo do casamento misto: “Pois elas desviariam seus filhos de seguir-me para servir a outros deuses e, por causa disso, a ira do Senhor se acenderia contra vocês e rapidamente os destruiria” (Deuteronômio 7:4; cf. Êxodo 34:11-16).

Essas recomendações foram dadas pelo Senhor ao povo de Israel antes de eles entrarem na Terra Prometida. Mas depois de terem entrado em Canaã, a mesma recomendação foi reforçada por Josué. Já idoso, Josué relembrou aos israelitas tudo o que Deus havia feito em favor deles, e os exortou a se dedicarem com zelo ao Senhor e a fugir dos casamentos mistos (Josué 23:11-13).

Aqui vale lembrar que no tempo do Antigo Testamento Israel era o portador da revelação especial de Deus. Israel era a descendência de Abraão e resultado da promessa que Deus havia feito ao patriarca. Em outras palavras, Israel era o povo da aliança através do qual o Messias haveria de vir ao mundo. Então o casamento misto significava misturar a linhagem da aliança com povos pagãos. Significava desprezar a promessa de Deus colocando em risco a pureza da linhagem da qual o Messias prometido haveria de vir.

O casamento misto em Israel

Apesar de todas as recomendações de Deus ao povo de Israel, os israelitas sempre mostraram fraqueza no que diz respeito ao casamento misto. Ainda no tempo de Moisés, a Bíblia diz que o falso profeta Balaão incentivou Balaque a corromper Israel através do casamento misto, fazendo com que as mulheres moabitas se casassem com os israelitas (Números 25:1-9).

Na sequência da história israelita essa ameaça voltou a se repetir muitas vezes. Sansão, por exemplo, que foi um dos maiores heróis do povo de Israel, teve sua vida arruinada por causa de seu envolvimento com mulheres estrangeiras (Juízes 16).

Até mesmo o rei Salomão, conhecido mundialmente por sua sabedoria, se afastou do Senhor por causa da corrupção de seus muitos casamentos mistos com mulheres de nações pagãs (1 Reis 11:1-8).

Um dos exemplos mais claros da Bíblia sobre como um casamento misto pode ser problemático, é o casamento de Acabe com Jezabel, que era uma princesa dos sidônios. Jezabel era uma devota de deuses pagãos, e trouxe seu paganismo para dentro de Israel. Inclusive, ela não apenas se contentou em promover sua falsa religião entre o povo, mas se dedicou em perseguir e a matar os profetas do Senhor (1 Reis 16-22).

Esdras e Neemias combatem o casamento misto

Quando Esdras chegou a Jerusalém no período do pós-exílio, ele encontrou uma comunidade judaica comprometida por causa do casamento misto. Nos anos anteriores, um remanescente havia subido a Jerusalém e, sob a liderança de Zorobabel, tinha reconstruído o templo e restabelecido o culto ao Senhor em Jerusalém.

O processo de reconstrução do templo foi marcado por grande oposição de povos estrangeiros. Mas mesmo o povo judeu tendo visto a falta de compromisso dos povos vizinhos para com o Senhor, ainda assim não demorou muito para que os judeus se misturassem com os povos vizinhos através de casamentos mistos.

Quando Esdras soube dessa situação, ele sentiu grande pesar. Ele rasgou suas vezes, arrancou os cabelos de sua cabeça e barba, e mostrou toda sua indignação publicamente em Jerusalém. Então enquanto se humilhava perante o Senhor, com oração e confissão, o povo se juntou a Esdras e se comprometeu a acabar com os casamentos mistos que misturavam a linhagem da aliança com os povos pagãos (Esdras 9-10).

Mas mesmo depois de o problema dos casamentos mistos terem sido tratados com Esdras, pouco tempo depois o mesmo problema ressurgiu e foi enfrentado por Neemias. Provavelmente Esdras havia se ausentado de Jerusalém – talvez por uma requisição da corte persa ­– e o povo novamente se envolveu com mulheres estrangeiras, principalmente de Asdode, Amom e Moabe.

Talvez naquele contexto os casamentos mistos se mostravam vantajosos para aqueles que queriam obter maiores ganhos financeiros através da associação com os povos vizinhos, favorecendo o comércio entre os povos. Mas Neemias percebeu que a situação era extremamente grave.

Inclusive, os filhos que eram frutos desses casamentos mistos falavam somente a língua estrangeira. Isso obviamente os impedia de aprender a Lei de Deus e a participar da adoração em Jerusalém. Nesse ponto fica claro como os casamentos mistos ameaçavam a unidade e integridade do povo da aliança. O caso era tão absurdo que até mesmo um dos sacerdotes havia se casado com a filha de Sambalate, um dos principais opositores da reconstrução dos muros de Jerusalém (Neemias 13).

Assim como Esdras havia feito, Neemias também combateu o casamento misto e limpou o povo de Judá dos casamentos estrangeiros (Neemias 13:30). Naquele tempo Deus também levantou o profeta Malaquias para denunciar a prática dos casamentos mistos (Malaquias 2:11).

Receber Estudos da Bíblia

O cristão e o casamento misto

O problema dos casamentos mistos também serve de alerta aos cristãos. O princípio de separação do povo de Deus ainda continua válido. O Novo Testamento ensina de forma muito clara que os cristãos devem se casar no Senhor, ou seja, com pessoas que compartilham da mesma fé em Cristo Jesus (1 Coríntios 7:39).

Mas o Novo Testamento também não determina que as pessoas que já estão casadas com um incrédulo, procurem o divórcio. Falando sobre o assunto, o apóstolo Paulo explica que em casos assim o divórcio é uma opção para o crente se a parte incrédula quiser a separação (1 Coríntios 7:15). De fato há muitos casos em que após a conversão de um dos cônjuges, o não-convertido não aceita a situação e pede o divórcio.

Agora os cristãos que estejam considerando a possibilidade de aderirem ao casamento misto, casando-se com alguém que não professa sua mesma fé, isso certamente é um erro muito grande. Algumas pessoas até se casam na esperança de que o cônjuge descrente acabará convertido durante o casamento. Isso, no entanto, raramente acontece.

Infelizmente o mais comum é que a parte crente acabe esfriando na fé – assim como ocorreu com Salomão. Acontecia isso entre os israelitas no Antigo Testamento, e continua acontecendo hoje entre os crentes. O cristão não pode se enganar. Desde os tempos dos filhos de Caim e Sete, o casamento misto é uma artimanha de Satanás para corromper o povo de Deus.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar