Epístola de Paulo a Filemom

A Epístola a Filemom é a mais curta de todas as cartas escritas pelo Apóstolo Paulo, apenas 335 palavras no grego original. Nas listas mais antigas sobre o conjunto da obra paulina, a Carta a Filemom está presente. No século 4 d.C., infelizmente surgiram algumas objeções a essa epístola, não no que diz respeito a sua autenticidade, mas a uma alegada trivialidade de seu conteúdo. Entretanto, a maior parte dos cristãos tem conseguido avaliar corretamente essa carta, reconhecendo nela a grande importância que possui, sua autoridade como divinamente inspirada, bem como as lições práticas que podemos tirar dela.

Nesse estudo, você aprenderá:

  • Quem foi o autor da Epístola a Filemom
  • Qual a data e ocasião em que a carta foi escrita
  • Destinatários e público original da carta
  • Propósito e características
  • Esboço da Epístola a Filemom

Antes de prosseguir, recomendamos que você leia nossos textos sobre quem foi Filemom e quem foi Onésimo.

Autor: Quem escreveu a Epístola a Filemom?

A Carta a Filemom foi escrita pelo Apóstolo Paulo. Não existe nenhum tipo de contestação relevante sobre isso por parte dos estudiosos. A própria epístola no versículo 1 responde satisfatoriamente essa questão, quando o próprio Paulo identifica a si mesmo como autor, com a colaboração de Timóteo.

Paulo, prisioneiro de Cristo Jesus, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom, nosso companheiro de trabalho.
(Filemom 1:1)

Outro versículo que também ressalta esse ponto é o versículo 19, onde Paulo usa a expressão “de próprio punho o escrevo”.

Data e ocasião: Quando e onde a Epístola a Filemom foi escrita?

Sobre a ocasião em que a Carta a Filemom foi escrita, sabemos que Paulo, quando a escreveu, estava preso. Isso fica claro no versículo nos versículos 1, 9, 10, 13 e 23. Ele usa as seguintes expressões: “prisioneiro de Cristo Jesus” (vers. 1 e 9), “Onésimo, que gerei entre algemas” (vers. 10), “me servir nas algemas que carrego por causa do Evangelho” (vers. 13) e “Epafras, prisioneiro comigo, em Cristo Jesus”.

Sabemos também que a Epístola a Filemom foi escrita provavelmente na mesma época em que a Epístola aos Colossenses foi escrita, de forma que também existe a possibilidade da carta ter sido entregue junto com a Epístola aos Colossenses. Isso fica praticamente evidente quando lemos que Onésimo haveria de acompanhar Tiquico, o portador da Epístola aos Colossenses (Cl 4:9) e também da Epístola aos Efésios (Ef 6:21,22), além de que, o grupo que estava com Paulo quanto ele escreveu a Filemom é o mesmo que o cercava quando a Carta aos Colossenses foi escrita, com a exceção de Jesus Justo (talvez se trate de uma omissão de cópia).

Saúda-te Epafras, meu companheiro de prisão em Cristo Jesus,
assim como Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores.
(Filemom 1:23,24)

Aristarco, que está preso comigo, vos saúda, e Marcos, o sobrinho de Barnabé, acerca do qual já recebestes mandamentos; se ele for ter convosco, recebei-o;
E Jesus, chamado Justo; os quais são da circuncisão; são estes unicamente os meus cooperadores no reino de Deus; e para mim têm sido consolação.
Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus.
Saúda-vos Lucas, o médico amado, e Demas.
(Colossenses 4:10-12,14)

Definida então a realidade da prisão de Paulo quando escreveu a Carta a Filemom, duas possibilidades são levantadas sobre o local e a data dessa prisão: Roma em 62 d.C. ou Éfeso em 55 d.C.

A possibilidade mais provável (e também mais aceita) é que Paulo tenha escrito essa carta quando estava preso na cidade de Roma, portanto por volta de 62 d.C. Devemos ressaltar que essa teria sido sua primeira prisão na cidade de Roma. Grandes evidências apontam que essa prisão foi de regime domiciliar, portanto, a mesma mencionada no final do livro de Atos dos Apóstolos (At 28:30), onde Paulo estava sob custódia romana aguardando julgamento. Durante o período de dois anos em que Paulo ficou preso na cidade, ele teria escrito as Epístolas aos Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom. Um dos fatores mais fortes para ser Roma a cidade em questão é o fato de Roma ser a cidade preferida por pessoas fugitivas, devido ao seu tamanho que facilitava a fuga e o desaparecimento de qualquer pessoa, logo, a escolha mais provável tomada por Onésimo. A viajem de Roma até Colossos tinham cerca de quase 2000 km de distância, dependendo da rota.

Quanto a Éfeso, sabemos que essa cidade ficava mais próxima de Colossos (possível cidade de Filemom) e o versículo 22 pode ser considerado o mais favorável à hipótese de ser essa a cidade, porém Paulo pode ter abandonado ou até adiado seu plano de ir de Roma para a Espanha em favor de um rápido regresso ao Oriente. Seja como for, Paulo deixa clara sua expectativa de rápida soltura e sua intenção de viajar até a região de Filemom em um futuro próximo. Tal expectativa favorece ainda mais a interpretação de a cidade discutida ter sido realmente Roma (Fp 1:19,20; 2:23,24; Fm 22). Também sabemos que Filemom não era o único dono de escravos entre os cristãos de Colossos.

Destinatários da Epístola de Paulo a Filemom

Logo nos dois primeiros versículos da carta já fica claro a quem ela foi endereçada. O destinatário principal é Filemom, sendo também citada na Epístola a sua família (Áfia e Arquipo), além da “igreja que está em sua casa”. A forma plural “vós” presente no versículo 3 demonstra que além do destinatário principal, outras pessoas deveriam tomar conhecimento do conteúdo da carta. Talvez o Apóstolo Paulo tivesse a intenção de fazer com que a igreja soubesse do assunto tratado na carta, na esperança de que eles considerassem Filemom responsável por atender ao pedido que ele estava fazendo.

Propósito, tema e características da Epístola a Filemom

Paulo ao escrever a Filemom, tinha o propósito de interceder em favor de Onésimo, o escravo que tinha fugido de seu senhor, Filemom. Parece que Onésimo havia furtado e causado prejuízos a Filemom.

Paulo então faz uma suplica para que Filemom recebesse Onésimo de volta como um irmão em Cristo (vers. 12-16). Para fazer esse apelo, Paulo recorre ao relacionamento estreito e fraterno que ele e Filemom compartilhavam em Cristo. O versículo 10 mostra claramente esse propósito:

Sim, rogo-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões.
(Filemom 1:10)

Nos versículos 15, 16 e 17, Paulo pede que Filemom receba Onésimo não mais como escravo, mas como um irmão amado, tanto humanamente quanto em Cristo, como se estivera recebendo o próprio Apóstolo. A expectativa de Paulo era que Filemom recebesse Onésimo de bom grado (vers. 17), perdoando-o (vers. 18,19) e talvez até o libertando (vers. 21).

Certamente o tema que se destaca nessa carta é o perdão. Nela, podemos ver a tamanha sabedoria do Apóstolo Paulo, sua ternura e sensibilidade. Essa epístola nos mostra como devemos aplicar o ensino do Evangelho aos nossos problemas cotidianos. Paulo seguiu o exemplo de Cristo, e agiu como um mediador por amor a Onésimo, a ponto de se colocar em lugar dele, assumindo a sua divida. Com isso Paulo também apontou para a necessidade da unidade entre os irmãos em Cristo, e da prática fundamental do perdão e do amor. Aqueles que foram libertos pelo sangue de Cristo, sendo perdoados por Deus e provando de Seu amor, devem também prover a liberdade, demonstrando perdão e sendo canais da graça para que o amor de Deus seja revelado através de seu novo modo de viver.

A Epístola a Filemom destaca o poder e a igualdade do Evangelho para a salvação de todo aquele que crê, alcançando senhores e escravos. Também enfatiza a ação providencial do Evangelho que transforma aquilo que parecia não ter mais solução em um meio pela qual o pecador se encontra com Deus.

[ads2]

Esboço da Epístola de Paulo a Filemom

  1. Saudações Iniciais (1-3): Paulo se identifica como o autor da carta e aponta Filemom como o destinatário principal.
  2. Ação de Graças (4-7): Paulo agradece a Filemom pelo amor aos cristãos que ele já havia demonstrado no passado.
  3. Intercessão de Paulo por Onésimo (8-21): Paulo intercede por Onésimo, pedindo que Filemom o perdoe pelo crime cometido, e o receba de volta como um irmão em Cristo.
  4. Pedidos finais e conclusão (22-25): Paulo pede a Filemom que ele prepare uma pousada, na confiança de que poderia ser libertado da prisão em breve, e com a intenção de visitar a região em que Filemom residia.

[ads1]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar