A Ressurreição da Filha de Jairo

A ressurreição da filha de Jairo é um dos milagres que apontam para o poder de Jesus sobre a vida e a morte. Conforme relatado no Novo Testamento, durante seu ministério terreno o Senhor Jesus ressuscitou três mortos: o filho da viúva de Naim; a filha de Jairo; e Lázaro.

O milagre da ressurreição da filha de Jairo está registrado nos três Evangelhos Sinóticos (Mateus 9:18-26; Marcos 5:21-43; Lucas 8:40-56). Mateus é quem fornece o registro mais simplificado do milagre, enquanto Marcos e Lucas aprofundam os detalhes desse evento.

Também é interessante notar que a narrativa bíblica sobre esse episódio fala de um milagre duplo. Na verdade no contexto em que envolveu a ressurreição da filha de Jairo, o Senhor Jesus também curou a mulher que tinha um fluxo de sangue. Vejamos neste estudo bíblico como aconteceu a ressurreição da filha de Jairo.

Quando foi a ressurreição da filha de Jairo?

A ressurreição da filha de Jairo ocorreu quando Jesus desembarcou na cidade de Cafarnaum. Ele havia acabado de atravessar o mar da Galileia, vindo da região de Decápolis onde havia libertado um homem endemoninhado (Marcos 5:1-20).

Parece que logo que Jesus chegou à cidade de Cafarnaum, os discípulos de João Batista vieram fazer-lhe algumas perguntas sobre o jejum. Foi enquanto eles conversavam que Jairo se aproximou de Jesus pedindo que Ele curasse sua única filha. Jairo era um chefe da sinagoga. Ele era um homem importante, responsável por organizar e conduzir a liturgia da sinagoga.

A filha de Jairo estava doente

Quando Jairo foi à busca de Jesus, sua filha estava gravemente doente. Contudo, a menina ainda não estava morta. Isso significa que Jairo inicialmente foi buscar uma benção de cura. Diante de Jesus, Jairo se prostrou aos seus pés e insistentemente lhe suplicou para curar sua única filha.

A filha de Jairo tinha doze anos de idade naquela ocasião. A Bíblia também não informa que tipo de enfermidade lhe acometeu. Mas fica claro que a menina estava em estado terminal (cf. Marcos 5:21-23).

Jairo pediu que Jesus fosse até sua casa e impusesse as mãos sobre sua filha. Em todo momento a medida de fé de Jairo é destacada. Nenhum dos Evangelhos mostram Jairo vacilante, mas sempre com a certeza de que se Jesus tocasse sua pequena filha, ela viveria.

Rumo à casa de Jairo

Jesus escutou o pedido de Jairo e foi com ele em direção à casa onde estava a menina. Mas a Bíblia Sagrada diz que uma grande multidão seguia Jesus e o apertava. Aqui vale lembrar que a cidade de Cafarnaum serviu como uma espécie de base para o ministério terreno de Jesus. Talvez isso possa explicar o grande número de pessoas que cercavam nosso Senhor.

Então o milagre sobre a filha de Jairo foi temporariamente interrompido por um segundo milagre. Na multidão que dificultava a caminhada de Jesus estava uma mulher que sofria com um tipo de hemorragia. É interessante notar um detalhe curioso que conecta ainda mais os dois milagres. A filha de Jairo tinha apenas doze anos de idade, e a mulher vinha sofrendo com sua hemorragia por longos doze anos.

A morte da filha de Jairo

Enquanto Jesus trazia as boas notícias de cura para a mulher que tinha sofrido por doze anos de hemorragia, os mensageiros da casa de Jairo traziam as más notícias sobre a pequena menina de doze anos que havia acabado de falecer. A Bíblia diz que Jesus ainda estava falando quando Jairo escutou dos mensageiros de sua casa: “Tua filha já morreu; por que ainda incomodas o Mestre?” (Marcos 5:35).

Os Evangelhos não esclarecem quem eram esses mensageiros. Provavelmente eram parentes ou amigos de Jairo. Mas o que fica claro é que definitivamente eles não acreditavam que aquela situação poderia ser revertida.

Enquanto a filha de Jairo estava doente, ainda parecia haver alguma esperança. Mas agora que a morte tinha se confirmado, os mensageiros da casa de Jairo pensavam que não havia mais nada que pudesse ser feito. Realmente segundo o conceito deles seria impossível que Jesus pudesse ressuscitar a filha de Jairo. Isto fica claro na pergunta final que eles fizeram a Jairo: “Por que ainda incomodas o Mestre?”.

Sob essa perspectiva, parecia até que a interrupção da mulher hemorrágica tinha tragicamente exaurido as chances de vida da filha de Jairo. Mas a Bíblia diz que Jesus não deu importância para a notícia trazida por aqueles mensageiros. Ao contrário disso, Ele confortou o chefe da sinagoga dizendo: “Não temas, crê somente” (Marcos 5:36).

Jesus retomou seu caminho rumo à casa de Jairo, apesar da má notícia. No entanto, antes Ele despediu a multidão e os seus discípulos, com exceção de Pedro, Tiago e João (Marcos 5:37). Quando chegou à casa de Jairo, Jesus viu as pessoas que se reuniam alvoroçadas ali. Essas pessoas choravam e pranteavam muito (Marcos 5:38).

Conforme o costume da época, o sepultamento ocorria imediatamente após a morte. Então o cortejo fúnebre da filha de Jairo tão logo aconteceria. Por isso as pessoas estavam aglomeradas na casa de Jairo, incluindo as carpideiras profissionais.

A filha de Jairo estava morta ou em coma?

Logo que entrou na casa de Jairo, Jesus disse para as pessoas alvoroçadas que estavam ali: “Por que chorais? A menina não está morta, mas dorme” (Marcos 5:39). Algumas pessoas não interpretam corretamente essa declaração de Jesus e afirmam que a filha de Jairo apenas estava em coma.

Mas obviamente a menina estava morta! Primeiro, as pessoas que estavam na casa de Jairo tinham atestado que a menina havia morrido (cf. Lucas 8:53). Segundo, quando Jesus ordenou que a menina se levantasse a Bíblia diz que “seu espírito retornou” (Lucas 8:55). Terceiro, Jesus declarou algo parecido sobre a morte de Lázaro. Ele disse aos seus discípulos: “Nosso amigo Lázaro adormeceu” (João 11:11). Mas logo depois Jesus afirmou claramente: “Lázaro está morto” (João 11:14).

Portanto, não há qualquer dúvida de que a filha de Jairo realmente estava morta. A declaração de Jesus dizendo que a menina estava dormindo era uma revelação do acontecimento extraordinário que estava por vir. Por isso Ele questionou as pessoas que choravam. Aos olhos humanos aquela era uma ocasião de lamento e tristeza, mas aos olhos do Filho de Deus aquela era uma ocasião de grande júbilo e contentamento. A filha de Jairo haveria de despertar da morte como quem desperta de um breve cochilo.

Também vale notar a aparente falta de sinceridade das pessoas que estavam ali. Quando Jesus anunciou que a menina estava apenas dormindo, as pessoas deixaram de prantear para caçoar dele. A expressão original indica um tipo de deboche.

Aquelas pessoas queriam humilhar Jesus. Talvez pensassem que Ele estivesse delirando, afinal, o cadáver da menina estava ali e o retorno à vida era impossível. De fato essas pessoas não compartilhavam da mesma fé de Jairo. Eram pranteadores profissionais que podiam alternar entre o lamento comovente e a zombaria descarada.

Jesus ressuscita a filha de Jairo

Jesus mandou que todas as pessoas que tumultuavam a casa de Jairo saíssem. Ele permitiu apenas que o pai e a mãe da menina, além de seus três discípulos mais próximos, ficassem. Então eles entraram no aposento onde a filha de Jairo estava. Foi aí que Jesus a tomou pela mão e disse: “Talita cumi, que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te” (Marcos 5:40).

Certamente há um toque de ternura muito grande nessa ordem. Jesus pronunciou essas palavras em sua própria língua, a mesma que a menina também se comunicava. Portanto, provavelmente essas palavras eram as mesmas que a mãe da menina rotineiramente usava para acordá-la. A diferença é que pronunciada pelos lábios do Filho de Deus, essa simples ordem foi um desafio à impossibilidade e um triunfo sobre a morte.

Tão logo a filha de Jairo, uma menina de apenas doze anos, estava novamente viva. Aquela que estava completamente sem vida, agora estava andando pela casa. Por isso todos ficaram muito admirados (Marcos 5:42).

Após ter ressuscitado a filha de Jairo, Jesus ordenou que dessem de comer à menina. Ele também pediu que ninguém divulgasse o que havia ocorrido. É provável que naquela região a divulgação da ressurreição da filha de Jairo desencadearia ações que ainda eram inapropriadas para aquele momento de seu ministério. Ainda não havia chegado o tempo do grande clímax de sua obra na terra.

Receber Estudos da Bíblia

Lições sobre a ressurreição da filha de Jairo

Vamos destacar aqui três lições principais sobre a ressurreição da filha de Jairo. Em primeiro lugar, o milagre da ressurreição da filha de Jairo é uma prova clara acerca da divindade de Cristo. Somente Deus tem o poder sobre a vida e a morte. Se Jesus ressuscitou dos mortos a filha de Jairo, então Ele é Deus.

Além do mais, é notável a forma com que isso acontece. Todas as vezes que as Escrituras registram uma ressurreição, sempre fica claro um contexto de grande intercessão e súplica. Os homens de Deus intercederam a Ele para que alguns mortos fossem ressuscitados (cf. 1 Reis 17:20-22; 2 Reis 4:32-35; Atos 9:40).

Mas foi diferente em todas as vezes que Jesus ressuscitou um morto. Em todas elas nosso Senhor simplesmente deu uma ordem. Ele disse ao filho da viúva de Naim: “Levanta-te” (Lucas 7:14); Ele disse à filha de Jairo: “Menina, levanta-te” (Marcos 5:41); Ele disse a Lázaro: “Lázaro, sai para fora” (João 11:43). Por que isto? Porque Ele mesmo é o Dono da vida. Entenda por que Jesus é Deus.

Em segundo lugar, o milagre da ressurreição da filha de Jairo nos ensina muito sobre a verdadeira fé em Jesus. Jairo nos ensina essa lição. Sua fé havia sido testada de forma extrema. Primeiro ele foi buscar ajuda para a filha doente, mas nesse tempo ela acabou morrendo. Então imediatamente ele passou a rogar pelo milagre da ressurreição.

Quando lhe disseram que sua filha estava morta e que ele não deveria mais importunar o Mestre, Jairo preferiu dar ouvidos a Jesus. Ele recebeu com sinceridade as palavras de conforto e encorajamento: “Não temas; crê comente, e será salva” (Lucas 8:50).

Em terceiro lugar, a ressurreição da filha Jairo é o desfecho final de uma sequência progressiva que aponta para a verdadeira identidade de Jesus. Nessa sequência ele demonstrou seu poder sobre os demônios, sobre as doenças e sobre a morte. Concordo com W. Hendriksen que diz que “Jesus é a Esperança dos que vivem sem esperança. Ele mostrou isso ao homem que não podia ser dominado (Lucas 8:26-39); à mulher que não podia ser curada (Lucas 8:43-48); e ao pai a quem foi dito que não mais podia ser ajudado (Lucas 8:40-42; 49-56)”.

Close