Estudo Bíblico de Gênesis 3

Gênesis 3 é o capítulo que fala da Queda do Homem. Um estudo bíblico de Gênesis 3 revela a origem do pecado na humanidade. Esse capítulo é fundamental para que se entenda a história da redenção e a necessidade da graça de Deus.

Algumas pessoas consideram a história narrada em Gênesis 3 como sendo uma narrativa simbólica. Outras vão ainda mais além e afirmam que Gênesis 3 registra um mito. No geral essas pessoas defendem que o escritor de Gênesis simplesmente criou uma narrativa que explicasse o despertar da consciência humana.

Inclusive, alguns cristãos que tentam combinar a teoria da evolução com o criacionismo bíblico dizem que Gênesis 3 mostra o momento em que o homem evoluiu de sua forma mais primitiva. Mas é claro que esse tipo de interpretação contradiz a Palavra de Deus.

Se Gênesis 3 for considerado como algo simbólico ou folclórico, então todo o restante das Escrituras não fará sentido algum. Além do mais, vários textos do Novo Testamento fazem um paralelo direto com a história registrada em Gênesis 3 e contrastam a desobediência de Adão com a obediência de Cristo (cf. Romanos 5). Então se essa história fosse um mito, inevitavelmente Jesus também seria um.

A tentação (Gênesis 3:1-3)

Deus criou o homem e a mulher e os colocou no Jardim do Éden. Ali havia tudo o que eles precisavam para viver. Eles podiam se ocupar cultivando a terra e guardando o lugar. Bastava apenas que eles obedecessem à ordem de Deus para desfrutar de uma vida de eterna paz e comunhão (Gênesis 2:15).

Não sabemos por quanto tempo essa harmonia permaneceu. Mas Gênesis 3 fala que num dado momento a esposa de Adão, Eva, foi tentada pela serpente. O texto bíblico diz que a serpente era mais sagaz que todos os animais selvagens criados por Deus.

Na Bíblia a figura da serpente simboliza várias coisas, algumas delas completamente opostas. A serpente pode simbolizar a vida, a sabedoria, o caos, a astúcia, o mal, Satanás, e até ser uma figura de Cristo no caso da serpente levantada por Moisés no deserto (cf. Números 21:4-9; João 3:14).

No contexto de Gênesis 3 a serpente serviu como uma personificação do próprio Satanás, o adversário do povo de Deus ao longo da História. Por isso Satanás é chamado no livro do Apocalipse de “antiga serpente” (Apocalipse 12:9; 20:2).

É interessante notar que o tentador se dirigiu diretamente à mulher. A Bíblia não explica por que Satanás tentou a mulher e não o homem. Mas muitos estudiosos veem nesse comportamento um ataque à ordem criada por Deus onde o homem deveria exercer a liderança.

Se esse for o caso, então o tentador induziu a mulher a usurpar a autoridade do homem. Seja como for, mesmo assim o homem é colocado como o principal culpado pela Queda por ter obedecido a sua mulher.

A distorção da Palavra de Deus (Gênesis 3:4,5)

Satanás começou sua investida com uma distorção das palavras ditas por Deus. Ele fez a seguinte pergunta: “É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?” (Gênesis 3:1).

Eva respondeu essa pergunta falando sobre a ordem que Deus tinha dado (Gênesis 3:2,3). Deus havia permitido que o primeiro casal comesse do fruto de todas as árvores do jardim, exceto do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Essa árvore estava plantada no centro do jardim ao lado da árvore da vida.

Deus falou que se o homem desobedecesse a sua ordem e comesse do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, ele morreria. Mas aí a serpente argumentou que se o primeiro casal desobedecesse ao Senhor, certamente não morreria (Gênesis 3:4).

Esse é o modo de agir de Satanás até hoje. Primeiro ele usa a Palavra de Deus de forma distorcida e depois acaba por fazer com que o homem desacredite dela. Na tentação de Jesus no deserto Satanás fez a mesma coisa. Ele citou a Palavra de Deus de forma isolada e fora de contexto aplicando-a de um modo completamente errado.

Daí é possível entender por que tantas comunidades cristãs que distorcem a Bíblia crescem cada vez mais. Todos aqueles que distorcem as Escrituras ao seu bel prazer tem como professor o diabo.

A desobediência (Gênesis 3:6,7)

Eva não resistiu à tentação e tomou do fruto proibido que lhe parecia apetitoso e agradável aos olhos. Ela também deu de comer do fruto ao seu marido. Além disso, eles se entusiasmaram com a possibilidade de serem como Deus (cf. Gênesis 3:5).

Isso significa que Adão e Eva comeram do fruto com a grande pretensão de ser como Deus. Eles não se contentaram em servi-lo e desfrutar de todas as suas bênçãos. Eles não quiseram ter eterna comunhão com Deus e viver sob sua proteção. Mas ao comerem do fruto, eles provaram que o que realmente queriam era tomar o lugar de Deus.

Esse comportamento revela o conceito do pecado. Eles falharam em confiar em Deus, assumiram uma posição de descrença, transgrediram a lei divina e afirmaram uma ilusória autonomia. O pecado de Adão e Eva é conhecido como Pecado Original.

A tentativa de se esconder de Deus (Gênesis 3:8-13)

Gênesis 3 informa que logo que o primeiro casal comeu do fruto da árvore que Deus havia proibido, seus olhos se abriram. Eles perceberam que estavam despidos. A nudez na Bíblia geralmente aponta para um estado de fraqueza, necessidade e humilhação. Por causa do pecado, o homem que havia sido criado como a coroa da criação agora estava numa situação miserável e humilhante.

A Bíblia diz que Deus andava pelo jardim na viração do dia (Gênesis 3:8). Provavelmente isso significa um tipo de teofania. Quando Adão e Eva escutaram os passos do Senhor que andava pelo jardim, rapidamente tentaram se esconder dele. Suas consciências os acusavam e os condenavam. Então eles desejaram fugir da intimidade com Deus que anteriormente desfrutavam.

Deus perguntou onde o homem estava (Gênesis 3:9). Sendo onisciente, obviamente Deus sabia onde o casal estava escondido. Mas frequentemente Deus ajusta a sua linguagem às limitações humanas como forma de interação. Foi isso o que aconteceu no Éden. Diante da pergunta de Deus, o homem percebeu que não poderia mais se esconder.

Em seguida mais uma vez Deus fez uma pergunta ao homem. Ele queria que o homem lhe confessasse quem havia lhe dito sobre sua nudez (Gênesis 3:11). O homem tentou colocar a culpa na mulher e a mulher tentou colocar a culpa na serpente (Gênesis 3:12,13). Além disso, ao dizer a Deus “a mulher que me deste por esposa”, Adão também estava acusando o próprio Deus. Esse é o típico comportamento do pecador. Também é importante notar que em nenhum momento Deus fez qualquer pergunta à serpente; Deus simplesmente destinou Satanás a julgamento (Gênesis 3:14,15).

O castigo (Gênesis 3:14-24)

Na sequência, Gênesis 3 revela o juízo de Deus sobre Satanás (Gênesis 3:14,15), sobre a mulher (Gênesis 3:16) e sobre o homem (Gênesis 3:17-19). Mas nesse meio há também a revelação da promessa de salvação para o povo de Deus (Gênesis 3:15).

Deus amaldiçoou a serpente e predisse sua ruína (Gênesis 3:14,15). Aqui é importante entender que o texto traz uma dupla referência que envolve a serpente e, principalmente, Satanás que se personificou na serpente. Assim, em última análise o juízo de Deus foi dirigido a Satanás.

O juízo de Deus sobre a mulher resultou na frustração de seu relacionamento natural dentro do lar. Ela teria que conviver com um processo de parto doloroso e estar subordinada ao seu marido (Gênesis 3:16).

É verdade que antes mesmo desse castigo o homem já havia sido colocado por Deus numa posição de liderança (cf. Gênesis 2:18). Mas o problema é que agora a mulher teria de ser submissa não mais a um líder moralmente puro, mas a um líder corrompido pelo pecado. A plena harmonia do relacionamento conjugal agora estaria também prejudicada pelo pecado.

Já o juízo de Deus sobre o homem resultou na frustração de sua atividade como provedor (Gênesis 3:17-19). O homem não teria mais o mesmo relacionamento farto e prazeroso com a terra de onde ele tira seu alimento. Tudo seria penoso e fatigante porque a maldição por causa do pecado atingiu também a terra.

Além disso, Deus também anunciou que o homem teria que lidar com as consequências de sua desobediência até o momento em que tornaria ao pó da terra (Gênesis 3:19). Foi então que a morte física se tornou uma realidade. Depois Deus preparou vestimentas de pele para que Adão e Eva pudessem vestir (Gênesis 3:21).

Alguns estudiosos entendem que como essa provisão de Deus implicou na morte de um animal, talvez já fosse uma indicação do sacrifício expiatório pelo pecado. Por fim Deus expulsou o casal do jardim e colocou querubins para guardar o caminho da árvore da vida (Gênesis 3:23,24).

Receber Estudos da Bíblia

Conclusão do estudo de Gênesis 3

Gênesis 3 registra o evento mais desastroso da história da raça humana: o dia em que o homem desobedeceu a Deus e tentou usurpar o seu lugar. Adão e Eva tiveram sua fidelidade a Deus testada e fracassaram. Ao cair nas artimanhas da serpente, eles demonstraram fidelidade a Satanás.

Adão e Eva tinham recebido de Deus tudo o que precisavam. Como foram criados como seres racionais e dotados de responsabilidade moral, eles tinham total condições de obedecer à ordem de Deus. O direito à vida e comunhão com Deus dependia de sua obediência. Por isso a teologia chama esse estágio de aliança das obras.

Vale lembrar que Deus colocou a árvore do conhecimento ao lado da árvore da vida. Curiosamente o homem podia comer livremente do fruto da árvore da vida, mas ele preferiu o fruto que conduzia à morte através de sua desobediência.

Após desobedecer a Deus, o homem foi contaminado pelo pecado. Sendo ele representante federal da raça humana, Adão lançou toda a humanidade no estado de rebelião contra Deus. Por isso a Bíblia diz que não há um justo se quer, pois todos pecaram.

Então com sua natureza pecaminosa, o homem se tornou incapaz de desejar e fazer aquilo que Deus se agrada. Dessa forma a aliança das obras não poderia mais lhe servir como meio de salvação eterna.

Cristo em Gênesis 3

Mas em Gênesis 3:15 Deus anunciou uma Nova Aliança, a Aliança da Graça, que seria cumprida por Cristo através do qual o homem poderia ser justificado e santificado.

O apóstolo Paulo diz que através da ofensa do primeiro Adão todos os homens se tornaram pecadores. Mas a graça de Deus através da obra de Cristo foi muito maior do que a desobediência, o julgamento e a condenação de Adão (Romanos 5:12-21).

Jesus Cristo, o segundo Adão, triunfou onde o primeiro Adão fracassou. Enquanto a ofensa do primeiro Adão trouxe morte, os méritos do segundo Adão trouxeram vida. À luz de todo o Novo Testamento, Gênesis 3 revela que Cristo é o Cabeça de um novo povo que é redimido de seus pecados e justificado diante de Deus através de sua obra na cruz. A esse povo Ele restaura o caminho à árvore da vida (cf. Apocalipse 22:2-17). Saiba mais sobre Gênesis 3 lendo um estudo completo sobre a Queda do Homem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close