Estudo Bíblico de Gênesis 39

Gênesis 39 é o capítulo que registra a chegada de José ao Egito como escravo. O estudo bíblico de Gênesis 39 ainda revela o serviço de José na casa de Potifar e explica como ele permaneceu fiel ao Senhor ao ser tentado pela mulher do oficial egípcio.

Um esboço de Gênesis 39 pode ser organizado em três partes principais:

  • O privilégio de José na casa de Potifar (Gênesis 39:1-6).
  • A tentação e o plano da mulher de Potifar contra José (Gênesis 39:7-19).
  • José na prisão (Gênesis 39:20-23).

O privilégio de José na casa de Potifar (Gênesis 39:1-6)

Depois do interlúdio de Gênesis 38 que trata da situação decadente de Judá e seus filhos, Gênesis 39 retoma à narrativa sobre José no Egito. Antes, Gênesis 37 já havia explica como ele foi parar no Egito após ser traído e vendido por seus irmãos.

Então Gênesis 39 começa reafirmando que os mercadores ismaelitas negociaram José com Potifar, um homem egípcio que servia a faraó como comandante de sua guarda (Gênesis 39:1). Mas mesmo estando na posição de escravo numa terra estranha, o texto bíblico afirma que o Senhor era com José. Inclusive, essa afirmação é o tema central de Gênesis 39. Por quatro vezes o escritor bíblico enfatiza que José contava com o benefício da presença de Deus (Gênesis 39:2,3,21,23).

Então o improvável aconteceu: um escravo “veio a ser homem próspero” (Gênesis 39:2). Potifar percebeu como José era abençoado e lhe colocou por mordomo de sua casa. O texto bíblico diz que Potifar entregou a José tudo o que possuía e de nada sabia, “além do pão com que se alimentava”. Isso significa que ele não se preocupava com nada, se não com seus assuntos íntimos. A Bíblia ainda diz que desde que José se tornou mordomo de Potifar, a casa daquele homem egípcio foi abençoada por Deus grandemente (Gênesis 39:2-6).

Aqui fica muito claro que jamais José esteve abandonado pelo Senhor. Ele sofreu injustiças, foi vendido como escravo, foi acusado falsamente e acabou sendo aprisionado. Mas o cuidado divino repousava sobre a vida de José no Egito. Ele foi abençoado pelo Senhor na casa de Potifar, na prisão egípcia, e também no palácio de Faraó. Embora aos olhos humanos a situação parecesse estar fora do controle, na verdade Deus estava executando o Seu propósito soberano.

A tentação e o plano da mulher de Potifar contra José (Gênesis 39:7-19)

Gênesis 39 diz que José era formoso de porte e de aparência (Gênesis 39:6). Isso acabou chamando a atenção da mulher de Potifar. O texto bíblico informa que ela colocou os olhos sobre José e desejou ter relações com ele (Gênesis 39:7).

Mas José recusou o convite daquela mulher e explicou que jamais teria qualquer coisa com ela. José disse que nunca trairia a confiança de Potifar que havia lhe colocado numa posição privilegiada em sua casa. José considerou que ter qualquer relacionamento com aquela mulher era uma grande maldade para com Portifar e um terrível pecado contra Deus (Gênesis 39:9).

Embora a mulher de Potifar quisesse adulterar com José, o adultério era considerado uma transgressão muito grave pelos povos do antigo Oriente Próximo. Inclusive, códigos de leis antigos normatizavam as punições que deviam ser aplicadas aos adúlteros. Apesar disso, acima de tudo o compromisso de José era realmente com o Senhor. Ele andava com Deus e entendia a importância de uma vida santificada e moralmente correta.

Entretanto, o texto bíblico registra que mesmo diante da reprovação de José, a mulher de Potifar era insistente. Ela tentava a José diariamente (Gênesis 39:10). Então num certo dia, quando José veio foi tratar de alguns assuntos na casa de Potifar, a mulher do egípcio se aproveitou que sua casa estava vazia e agarrou José pelas vestes para que ele se deitasse com ela. Porém, José fugiu para fora deixando suas vestes nas mãos da mulher (Gênesis 39:11,12).

A mulher não gostou de mais uma vez ter sido rejeitada. Então ela utilizou as vestes que José deixou para trás ao fugir dela, para acusá-lo de assédio. Ela alegou que José foi quem a procurou para ter relações, e precisou gritar para que ele fosse embora (Gênesis 39:13,14).

Aquela mulher perversa guardou as vestes de José até que seu marido chegasse a casa. Quando Potifar chegou, ela acusou José perante ele e lhe mostrou as vestes de José como provar de sua alegação. A Bíblia diz que Potifar ficou irado ao ouvir as palavras de sua mulher (Gênesis 39:16-19).

Receber Estudos da Bíblia

José na prisão (Gênesis 39:20-23)

Gênesis 39 informa que Potifar lançou José na prisão em que os presos de faraó também estavam encarcerados. De certa forma, isso mostra que provavelmente Potifar não acreditou totalmente no testemunho de sua mulher. Alguns estudiosos afirmam que a pena de morte geralmente era a punição aplicada a um escravo que fosse acusado de tentativa de estupro de uma mulher da família de seu senhor.

O escritor bíblico mais uma vez faz questão de enfatizar que o Senhor era com José e lhe abençoou, mesmo na prisão (Gênesis 39:20,21). José achou graça diante do carcereiro, que lhe confiou o cuidado de todos os presos que estavam na prisão.

Assim como Potifar não tinha qualquer preocupação com os assuntos da administração de sua casa, o carcereiro também não tinha qualquer preocupação com a administração dos presos no cárcere. Portanto, Gênesis 39 termina dizendo que tudo o que José fazia na prisão o Senhor prosperava.

Alguns comentaristas sugerem que os eventos registrados em Gênesis 39 e nos capítulos seguintes, prefiguraram a experiência do povo de Israel no Egito. José experimentou um privilégio inicial na casa de Potifar e depois passou por aflição e aprisionamento, até que foi finalmente libertado.

O mesmo também aconteceu com Israel. Enquanto José esteve vivo os israelitas tiveram uma condição confortável no Egito. Mas depois se levantou um faraó que não conhecia José e escravizou o povo. Somente depois de muito tempo é que os israelitas foram libertados e partiram do Egito para formarem uma nação.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Botão Voltar ao topo
Fechar