Quem Eram os Gigantes na Bíblia?

Os gigantes na Bíblia eram homens de grande estatura ou simplesmente homens de grandes feitos. Isso porque algumas palavras hebraicas que podem ser traduzidas por “gigantes” também podem significar pessoas valentes e poderosas.

Mas de fato a Bíblia fala que havia alguns homens de grande estatura na antiguidade. Inclusive, os textos bíblicos mencionam os nomes de alguns desses gigantes. Parece que essas pessoas de proporções anormais frequentemente estavam envolvidas em batalhas nos tempos antigos por serem fortes e poderosas.

O significado da palavra “gigante” na Bíblia

Há pelo menos três palavras hebraicas principais que aparecem no Antigo Testamento e que podem ser traduzidas como “gigante”. A primeira delas é a palavra hebraica repha’im, que a Septuaginta traduz muitas vezes com o termo grego gigas, “gigante” (Gênesis 14:5; Josué 12:4; 13:12; 1 Coríntios 11:15; etc.). Os refains eram um povo que vivia na região de Canaã e dentre os quais estavam muitos gigantes.

A segunda palavra que pode ser traduzida por “gigante” é o hebraico gibbor (Jó 16:14). Essa palavra pode tanto se referira a um homem grande em estatura como também a um homem grande em feitos. Nesse último caso seu significado diz respeito a um guerreiro ou a uma pessoa valente.

A terceira palavra que também foi traduzida como “gigante” na Septuaginta é o hebraico nephilim. Essa palavra aparece somente duas vezes no texto bíblico do Antigo Testamento (Gênesis 6:4; Números 13:33). O significado exato desse termo é incerto, mas acredita-se que ele seja derivado de uma raiz que significa “cair” e seu sentido mais apropriado seja “caídos” ou “poderosos”. Dessa forma, a palavra não apenas indicaria uma pessoa grande em estatura, mas, principalmente, uma pessoa grande em poder que “cai” sobre outras pessoas com tirania.

Há ainda outras palavras na Bíblia que designam certos grupos associados ao conceito de pessoas de grande estatura, como: os anaquins, emins e zanzumins – estes dois últimos parecem ser um nome alternativo para os refains (cf. Gênesis 14:5; Deuteronômios 2:11,21).

Como surgiram os gigantes na Bíblia?

Existem muitas teorias fantasiosas sobre a origem dos gigantes na Bíblia que se assemelham em vários aspectos às mitologias dos povos antigos. A maioria dessas teorias é proveniente de uma forma muito tradicional de interpretação do texto bíblico de Gênesis 6.

O texto bíblico parece dizer que os gigantes surgiram do relacionamento entre os “filhos de Deus” e as “filhas dos homens”. A questão é que desde muito cedo rabinos judeus têm entendido que esses “filhos de Deus” eram anjos que tiveram relações com mulheres, e dessas relações surgiram os gigantes.

Mas a ideia de que os “filhos de Deus” eram anjos caídos não é a única interpretação possível do texto de Gênesis. Textualmente eles poderiam ser os descendentes piedosos de Sete; ou até mesmo os reis da época, que comumente eram chamados de “filhos dos deuses”. Além disso, a palavra “gigante” em Gênesis 6 traduz o hebraico nephilim que, como vimos, muito provavelmente significa “caído” ou “poderoso”. Então dificilmente esse texto de Gênesis esteja explicando exatamente a origem dos gigantes em estatura. O mais provável é que o texto esteja falando de pessoas grandes em nome, força e fama. Saiba mais sobre quem eram os nefilins.

Por outro lado, há outros textos bíblicos que notadamente falam da existência de gigantes nos tempos antigos. Mas não devemos pensar nesses gigantes de uma forma muito exagerada. Inclusive, várias fotos espalhadas de esqueletos de gigantes com proporções realmente enormes são comprovadamente falsas.

Os gigantes citados na Bíblia parecem ter sido homens que realmente tinham proporções anormais, cuja estatura poderia superar os três metros de altura; mas não muito mais do que isso (cf. Deuteronômio 3:11; 1 Samuel 17:4). Uma estatura assim não estaria tão distante de casos documentados na era moderna de pessoas que alcançaram mais de dois metros e setenta centímetros de altura. Cientificamente alguns estudiosos sugerem que esses gigantes da Bíblia eram portadores de gigantismo, mas os textos bíblicos não explicam nada a esse respeito.

Receber Estudos da Bíblia

Nomes de gigantes na Bíblia

Na maioria das vezes que a Bíblia fala sobre os gigantes, eles são referidos no sentido coletivo. Por exemplo: os anaquins e os refains. Os textos bíblicos literalmente dizem que os anaquins, que eram os filhos de Anaque, eram descendentes de gigantes; e nesse sentido os refains também são comparados a eles (Números 13:33; Deuteronômio 2:10,21).

Esses povos que reuniam gigantes acabaram sendo derrotados por outras nações, e seus remanescentes se espalharam e se refugiaram com outros povos. Esse pode ter sido o caso da família do gigante Golias, de Gate, que era descendente dos gigantes e se refugiou com os filisteus (cf. Josué 11:22; 1 Samuel 17).

Os textos bíblicos ainda citam pelo nome certos gigantes relacionados aos filisteus; dentre os quais também estava outro gigante anônimo que tinha vinte e quatro dedos, seis em cada mão e em cada pé. Todos esses gigantes foram derrotados por Davi e seus homens (2 Samuel 21:16-22; 1 Crônicas 20:4-8).

Antes de todos esses gigantes, porém, a Bíblia fala de um homem chamado Ogue cuja cama (ou sarcófago – dependendo da interpretação) tinha aproximadamente quatro metros de comprimento por um metro e oitenta centímetros de largura. Ogue era rei de Basã e era um gigante remanescente dos refains (Deuteronômio 3:11). Ele foi derrotado pelo exército de Israel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close