História do Profeta Samuel: Quem foi Samuel na Bíblia?

Samuel foi um dos maiores líderes do povo de Israel. Ele foi o último e o mais importante dos juízes, como também o primeiro da escola profética (Atos 3:24; 13:20). O profeta Samuel certamente é uma das figuras mais notáveis da Bíblia. A história de Samuel revela que ele era considerado a pessoa mais proeminente desde Moisés nos tempos do Antigo Testamento (cf. Jeremias 15:1).

O significado exato do nome “Samuel” é incerto, mas várias alternativas têm sido sugeridas pelos intérpretes. As principais são: “ouvido por Deus”, “aquele que provém de Deus”, “nome de Deus” e “prometido ou dado por Deus”. A vocalização do nome Samuel em hebraico sugere o significado de “ouvido por Deus”, mas isso é inconclusivo.

A história de Samuel na Bíblia

Samuel era filho de Elcana com Ana. Elcana era um homem piedoso da região de Efraim e de linhagem levítica. Sua mãe durante um longo tempo permaneceu estéril, uma condição que lhe entristeceu muito. Por não poder gerar filhos, Ana era provocada por Penina, a outra esposa de Elcana.

Elcana tinha o costume de todos os anos ir até Siló para adorar e sacrificar a Deus no Tabernáculo. Em uma dessas ocasiões Ana foi até o Tabernáculo e rogou ao Senhor que lhe desse um filho. Ela prometeu que entregaria esse filho ao Senhor, para ser um nazireu de Deus (1 Samuel 1:10ss; cf. Números 6:5).

O Senhor ouviu a suplica de Ana e lhe deu um filho, e depois dele mais outros cinco filhos. Samuel nasceu num dos períodos mais turbulentos da história do povo israelita. Os israelitas viviam sob constante opressão e ameaça da parte dos filisteus, e a nação encontrava-se em um terrível declínio espiritual.

O profeta Samuel como juiz de Israel

Ana cumpriu seu voto ao Senhor, e desde sua infância Samuel serviu no Tabernáculo sob os cuidados do sacerdote Eli. Nessa época ele já usava uma veste sacerdotal e um éfode de linho (Samuel 2:18; 3:1).

A Bíblia diz o Senhor se manifestava a Samuel desde quando ele era ainda muito jovem. Em certa ocasião de sua juventude, Samuel recebeu uma revelação divina acerca da destruição da casa de Eli. O texto bíblico informa que houve certa relutância de Samuel em comunicar a mensagem. Enquanto Samuel crescia, tornava-se evidente que o Senhor era com ele. Assim todo o povo entendeu que Samuel havia sido comissionado como profeta do Senhor (1 Samuel 3:1-21).

Conforme Deus havia falado a Samuel, a casa de Eli foi entregue à destruição, e o povo e a Arca da Aliança foram entregues aos filisteus. Após um intervalo de tempo, Samuel aparece na narrativa bíblica conclamando o povo ao arrependimento e a rededicação da verdadeira adoração em Israel abolindo a idolatria.

Ele foi usado por Deus para conduzir Israel à vitória contra os filisteus em Mispá. Depois ele erigiu um lembrete de tudo o que havia ocorrido com Israel, de como saíram de uma situação de derrota para uma grandiosa vitória por meio da submissão ao Senhor. Esse marco memorial Samuel chamou de Ebenézer, e disse: “Até aqui nos ajudou o Senhor” (1 Samuel 7:1-14).

Então Samuel construiu um altar em Ramá, onde estava a sua casa, e julgou a Israel. Para tanto, ele até estabeleceu um circuito pelas cidades próximas, a fim de exercer sua liderança sobre o povo (1 Samuel 7:15-16).

Samuel e a monarquia em Israel

A Bíblia não fornece muitas informações sobre a vida familiar de Samuel, mas destaca a conduta reprovável de seus filhos. Os filhos do profeta Samuel não seguiram seu exemplo e abraçaram a iniquidade. Eles até aceitavam subornos e pervertiam os julgamentos (1 Samuel 8:3).

Diante desse cenário, e sem vislumbrar um possível substituto para Samuel, o povo começou a pedir uma alternativa. Essa alternativa era a monarquia. Deus já havia prometido dar reis ao seu povo, mas os israelitas não estavam dispostos a esperar a ação divina nesse sentido (cf. Gênesis 17:16; 49:10; Deuteronômio 17:14-20).

Então eles buscaram um rei para si com a motivação errada, conforme suas próprias ambições, e sem se atentar à Lei de Deus. Aquela atitude do povo era uma rejeição direta ao próprio Deus, e não a Samuel. Então o Senhor autorizou Samuel a atender ao pedido do povo. Samuel ainda alertou acerca do preço que os israelitas teriam de pagar por escolher um rei fora do tempo oportuno (1 Samuel 8:11-18).

Então Saul foi o homem escolhido para ser o primeiro rei de Israel. Ele era um homem valente, corajoso, de boa aparência, e tinha certos dons carismáticos para a liderança. Então Samuel ungiu Saul como rei e comunicou essa unção publicamente em Mispá. Após a vitória dos israelitas sobre os amonitas, aconteceu uma cerimônia de coração (1 Samuel 9:1-11:15).

Receber Estudos da Bíblia

O profeta Samuel e Davi

Saul foi incapaz de discernir e valorizar o que era espiritual. Ele advogou para si privilégios sacerdotais ao oferecer pessoalmente sacrifícios. Depois ele violou as coisas consagradas ao Senhor e desobedeceu as ordens divinas na ocasião da vitória sobre os amalequitas (1 Samuel 13:9-15:10).

Diante de tudo isso, Samuel anunciou que Saul havia sido rejeitado como rei de Israel (1 Samuel 15:26-28). Então o Senhor deu instruções a Samuel acerca da sucessão ao trono de Israel. Ele foi enviado à casa de Jessé, onde segundo a direção do Senhor, ungiu Davi como o novo rei de Israel.

O episódio da unção de Davi demonstra com clareza a importância de Samuel em Israel. Os anciãos de Belém tremiam diante de sua presença. Eles reconheciam a autoridade da parte do Senhor que estava sobre a vida de Samuel (1 Samuel 16:4).

A unção de Davi foi o último ato oficial de Samuel registrado na Bíblia. Depois disso, Samuel aparece uma última vez em Ramá, na “casa dos profetas”, presidindo sobre eles. Naquela ocasião Davi lhe procurou ao fugir de Saul (1 Samuel 19:18-24).

A morte de Samuel

Depois da menção em Ramá entre os profetas, nada mais é dito sobre a vida de Samuel. Apenas dois versículos falam de sua morte (1 Samuel 25:1; 28:3). Samuel morreu e foi sepultado em Ramá, e houve grande lamento entre o povo. Isso demonstra que a reputação de Samuel permaneceu limpa até o fim de sua vida.

Samuel morreu antes mesmo de ver Davi, a que ungira como rei, assumir oficialmente o trono de Israel. Depois a Bíblia relata a tentativa patética e pecaminosa de Saul em tentar consultar a Samuel após a sua morte com ajuda de uma feiticeira de En-Dor (1 Samuel 28:15). Numa passagem de difícil interpretação, Saul escutou naquela ocasião uma predição de sua derrota contra os filisteus e ascensão de Davi ao trono.

O profeta Samuel foi uma das pessoas mais importantes da história de Israel, e uma figura notável do Antigo Testamento. Ele foi o primeiro de uma tradição profética em Israel, o último dos juízes e aquele que ungiu os primeiros reis da nação. Seu exemplo de fé atravessou os séculos, e por isso ele é mencionado pelo escritor de Hebreus entre os heróis da fé (Hebreus 11:32).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close