O Que Significam Hora Terceira, Hora Sexta e Hora Nona?

Hora terceira, hora nona e hora sexta na Bíblia são referências ao sistema de contagem de horas adotado pelos judeus e outros povos da antiguidade. Existem várias passagens bíblicas que usam exatamente essas designações para informar o horário de algum evento.

Sem dúvida as mais conhecidas são aquelas que registram a crucificação de Jesus (Mateus 27:25-46; Marcos 15:25-33; João 19:14). O próprio Senhor Jesus fez referência a esse sistema de contagem de tempo na Parábola dos Trabalhadores da Vinha. O dono da vinha saiu a contratar trabalhadores ao raiar do dia, isto é, na primeira hora, depois na hora terceira, na hora sexta, na hora nona e na hora undécima (Mateus 20:1-16).

Outro texto bíblico muito lembrado que usa esse método de medição do tempo está no livro de Atos. O escritor bíblico diz que Pedro e João subiam ao Templo à hora nona para orar quando se depararam com um paralítico (Atos 3:1-8).

Hora terceira, hora sexta e hora nona: como era essa contagem?

Em primeiro lugar, quando falamos em hora terceira, hora sexta e hora nona, precisamos considerar que a contagem do tempo nos tempos bíblicos não era tão exata quanto é hoje. Isso significa que o tempo do dia era indicado em termos mais gerais, pois não havia a precisão que temos hoje.

Os judeus contavam o tempo durante o dia claro a partir do nascer do sol. Normalmente isso ocorria aproximadamente às seis ou sete horas da manhã. A contagem terminava ao pôr do sol, o que acontecia por volta das seis e sete horas da tarde.

Então nesse sistema a hora terceira correspondia a um horário próximo às nove horas da manhã; a hora sexta significava algo em torno do meio-dia; e a hora nona dizia respeito às três horas da tarde. A hora undécima da parábola de Jesus dos trabalhadores da vinha, correspondia às cinco horas da tarde, aproximadamente.

Então os judeus dividiam o dia útil em doze horas. Quando a noite caía, as doze horas aproximadamente entre o pôr do sol e o nascer do sol, eram divididas em três vigílias. Geralmente essas vigílias eram contadas da seguinte forma:

  • Primeira vigília: das 18:00 às 22:00 horas.
  • Segunda vigília: das 22:00 às 02:00 horas.
  • Terceira vigília: das 02:00 às 06:00 horas.

A contagem das horas entre os romanos

Os romanos frequentemente usavam esse mesmo método de contagem de horas. Mas diferentemente dos judeus, os romanos contavam as horas de seu dia civil a partir do meio-dia e da meia-noite. Então os romanos também contavam as horas a partir do nascer do sol, mas computavam seu dia civil de forma diferenciada.

Obviamente isso causa certas dificuldades na interpretação de alguns textos antigos que fazem referência ao modo de contagem das horas. Isso acontece porque nenhum registro daquela época realmente esclarece onde terminava um método e começava outro. Por exemplo: uma referência que fala da hora nona pode significar três horas da tarde (na contagem regular judaica), nove horas da manhã ou até nove horas da noite (na contagem civil romana).

Outra curiosidade acerca das diferenças entre romanos e judeus na contagem das horas está relacionada à divisão das vigílias noturnas. Como foi dito, os judeus dividiam a noite em três vigílias. Já os romanos dividiam a noite em quatro vigílias, sendo: primeira vigília entre 18:00 e 21:00 horas; segunda vigília entre 21:00 horas e meia-noite; terceira vigília entre meia-noite e 03:00 horas da manhã; e quarta vigília entre 03:00 e 06:00 da manhã.

Receber Estudos da Bíblia

Existe contradição na contagem das horas na Bíblia?

Algumas pessoas apontam supostas contradições de horários nos textos do Novo Testamento. Por exemplo: Marcos escreve que Jesus foi crucificado quando era a hora terceira, ou seja, nove horas da manhã (Marcos 15:25). Assim como Mateus, ele também registra que chegada a hora sexta (meio-dia) houve trevas no céu que perduraram até a hora nona (três horas da tarde). Nesse horário foi que Jesus exclamou: Eloí, Eloí, lamá sabactani? (Marcos 15:33,34; Mateus 27:45,46). No entanto, João escreve que o julgamento de Jesus ocorreu na hora sexta (João 19:14).

Obviamente não há qualquer contradição nessas informações. O que acontece é que os escritores bíblicos usaram diferentes métodos de contagem das horas. É amplamente aceito que os Evangelhos Sinóticos usam a contagem judaica, enquanto o Evangelho de João faz uso da contagem civil romana. Então a hora sexta registrada por João provavelmente equivale ao horário próximo às seis horas da manhã, no início do dia.

Dessa forma, João diz que Jesus foi sentenciado por volta das seis horas da manhã, e Marcos complementa dizendo que Ele foi crucificado às noves horas. Portanto, a hora terceira, a hora sexta e a hora nona nos Evangelhos Sinóticos obedecem à contagem tradicional judaica. Já o Evangelho de João adota, provavelmente, a contagem civil romana em todas as suas referências a horários. Isso está de acordo com o fato do apóstolo João ter escrito predominantemente para gentios do final do primeiro século.

Tag

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close