O Que São a Imanência e a Transcendência de Deus?

A imanência e a transcendência de Deus dizem respeito à relação de Deus com a Criação. Quando falamos que Deus é totalmente superior e está acima de Sua criação, estamos afirmando que Ele é transcendente. Já quando falamos que Deus pode ser encontrado ativamente dentro de Sua criação, estamos afirmando que Ele é imanente.

A questão da imanência e transcendência de Deus deve ser abordada da maneira correta para que não seja adotada uma visão distorcida de Deus. Algumas pessoas enfatizam muito a imanência de Deus numa tentativa de mostrar Sua proximidade com a Criação, mas acabam anulando Sua transcendência. Além disso, alguns conceitos equivocados da imanência resultam num tipo de panteísmo disfarçado.

Já outras pessoas, ao enaltecer a natureza singular e soberana de Deus, acabam enfatizando apenas Sua transcendência e ignorando Sua imanência. O resultado disso muitas vezes se mostra num conceito de que Deus está tão separado e longe da Criação que é impossível que aja qualquer aproximação d’Ele.

Então não podemos dizer que Deus é apenas imanente ou transcendente. O correto é que essas duas doutrinas sejam mantidas juntas, porque ambas são ensinadas na Bíblia: “Sou eu apenas Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Poderá alguém esconder-se sem que eu o veja? – diz o Senhor. Não sou eu aquele que enche os céus e a terra? – pergunta o Senhor” (Jeremias 23:23,24).

A imanência de Deus

A imanência de Deus significa que Ele está presente dentro de Sua criação – incluindo a raça humana – e age ativamente nela e por meio dela. No livro do profeta Jeremias, por exemplo, lemos sobre como a presença de Deus preenche todo o universo (Jeremias 23:24).

O profeta Isaías também fala da imanência de Deus ao dizer que contemplou os serafins diante do trono de Deus cantando que toda a terra está repleta de Sua glória (Isaías 6:3). O apóstolo Paulo, ao pregar para os filósofos gregos no Areópago em Atenas, explicou que Deus não está longe de cada um de nós, “pois nele vivemos, nos movemos e existimos” (Atos 17:27,28).

Implicações da imanência de Deus

A doutrina da imanência de Deus nos ensina algumas coisas muito importantes. Em primeiro lugar, quando dizemos que Deus é imanente, também consideramos que Ele realiza parte de Sua obra por intermédio de Sua Criação. Por exemplo: Ele usa a tecnologia e as habilidades humanas para agir neste mundo – como a medicina.

Em segundo lugar, a imanência de Deus também indica que Ele usa diferentes tipos de pessoas e organizações no cumprimento de Seus propósitos. Algumas delas, inclusive, podem nem mesmo ser cristãs. Na Bíblia temos um exemplo disso quando lemos que Deus usou nações como a Assíria e a Babilônia como instrumentos de juízo sobre Seu povo. Por isso reis pagãos como Nabucodonosor e Ciro são chamados em alguns textos bíblicos de servos do Senhor.

Em terceiro lugar, a doutrina da imanência de Deus também deve nos levar a ter uma maior consideração e respeito pelo reino da Criação. O mundo criado pertence a Deus, que se manifesta ativamente nele – de modo que até podemos obter algum conhecimento geral da natureza de Deus. Além disso, apesar de Deus habitar de forma especial apenas nos redimidos, Ele também está presente num nível mais geral em todas as pessoas, visto que todos os seres humanos são refletores da imagem de Deus (Gênesis 1:27).

Receber Estudos da Bíblia

A transcendência de Deus

A transcendência de Deus significa que Ele é infinitamente superior a Sua criação. Nesse sentido, Ele é um ser divino e singular, totalmente diferente de qualquer uma de Suas criaturas. Como define Millard Erickson, o significado da transcendência de Deus implica que Ele não é uma mera qualidade da natureza ou da humanidade; Ele não é simplesmente o mais elevado dos seres humanos. Ele não é limitado à nossa capacidade de compreendê-lo. Seus atributos vão infinitamente além dos nossos.

O mesmo texto bíblico em que o profeta Isaías destaca o testemunho da imanência de Deus no cântico dos serafins, também destaca Sua transcendência. O profeta descreve Deus assentado num alto e sublime trono, ou seja, elevado e exaltado sobre tudo e todos numa grandeza inalcançável.

Ainda através do profeta Isaías, o próprio Deus fala sobre Sua transcendência: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos; nem os vossos caminhos são os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Isaías 55:8,9).

Implicações da transcendência de Deus

A doutrina da transcendência de Deus possui várias implicações importantes para nós. Por exemplo: como seres finitos, jamais poderemos conhecer plenamente a natureza de um Deus infinito e transcendente. Tudo o que sabemos sobre Deus não vem de nossas próprias descobertas, mas do conhecimento que Ele mesmo resolveu nos revelar sobre si.

Além disso, a transcendência de Deus deixa claro que há uma diferença muito grande entre nós e Ele. Numa época em que as pessoas estão buscando afirmações que dizem que elas são equiparáveis a Deus, que não são inferiores a Ele, que são tão justas quanto Ele, que são o ponto fraco d’Ele, a doutrina da transcendência divina vem para mostrar que tais conceitos são frutos do delírio e da loucura pecaminosa do homem.

Mesmo depois de redimidos e glorificados, ainda continuaremos sendo criaturas humanas, enquanto Ele permanece imutavelmente sendo o Deus Todo-Poderoso, Criador e Sustentador de todas as coisas. Nunca seremos como Deus e jamais poderemos tratá-lo como nosso igual.

Por isso a doutrina da transcendência de Deus é também um convite à reverência. Por mais que Deus aja de forma imanente em nossas vidas e por meio dela, por mais que Ele habite em nós e estabeleça um relacionamento conosco, tudo isso é dádiva Sua para nós e devemos sempre nos dirigir a Ele com o temor adequado. Ele não é o nosso mordomo, Ele é o nosso Deus. Não temos direito e condições de exigir nada d’Ele. Embora possamos levar diante d’Ele nossas ansiedades e petições, devemos manter em mente que é a vontade d’Ele que prevalece.

Por fim, a transcendência de Deus também nos leva a crer que Deus intervém de forma direta, especial e sobrenatural neste mundo de acordo com os Seus propósitos. Se a imanência de Deus indica que Ele pode agir por intermédio de nosso esforço, a transcendência de Deus também indica que, de acordo com a Sua vontade, Ele pode realizar milagres que estão além da compreensão humana.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Botão Voltar ao topo
Fechar