O Perigo da Indiferença Espiritual

O perigo da indiferença espiritual é desprezado por muita gente. O que mais tem crescido nos últimos tempos é o número de pessoas que apenas demonstram ter um compromisso nominal com as coisas de Deus, mas estão longe de levar esse compromisso à prática.

Esse tipo de pessoa fala uma coisa e faz outra. Gente assim vive de fato uma indiferença espiritual crônica. Mas esse comportamento é muito perigo! O próprio Senhor Jesus denunciou esse comportamento em uma de suas parábolas. O significado da Parábola dos Dois Filhos fala exatamente sobre essa questão.

Nessa parábola de Jesus lemos sobre um homem que tinha dois filhos. Esse homem pediu a eles que fossem trabalhar em sua vinha. Um dos filhos disse ao pai que não queria iria ir. Mas ele acabou se arrependendo depois e foi.

Já o outro filho prontamente respondeu ao pedido do pai dizendo que certamente iria trabalhar na vinha. Mas na verdade ele acabou não indo. Jesus então terminou sua parábola perguntando qual dos dois filhos fez a vontade do pai.

Essa pergunta de Jesus foi direcionada aos líderes religiosos do povo judeu de sua época. O objetivo de Jesus era condenar o comportamento hipócrita daquelas pessoas. Elas foram identificadas na figura do filho que disse ao pai que iria trabalhar em sua vinha, mas acabou não indo.

Com toda sua aparência de religiosidade, aquelas pessoas se orgulhavam à vista do povo por um suposto comprometimento com a obra de Deus. Mas no fundo o que havia nelas era só falsidade; só indiferença espiritual.

Por outro lado, Jesus diz que o improvável acontece. Enquanto os líderes religiosos pensavam que podiam enganar a Deus com um comprometimento vazio e superficial, as pessoas que eles próprios desprezavam e rejeitavam, estavam se achegando a Deus com um espírito humilde e arrependimento, e assim atendendo ao chamado do Pai.

Um alerta ao perigo da indiferença espiritual

Através da profecia do profeta Isaías, Deus denunciou a indiferença espiritual do povo. Ele declarou: “Esse povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim. O seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído” (Isaías 29:13).

Mais tarde, Jesus Cristo aplicou essas mesmas palavras aos escribas e fariseus que também viviam uma vida de hipocrisia e indiferença espiritual. Ele disse: “Hipócritas! Bem profetizou Isaías acerca de vocês dizendo: Este povo me honra com os lábios, mas o coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens” (Mateus 15:9).

Esse é um alerta importante a todos nós. Não adianta nada mantermos um compromisso aparente com as coisas de Deus apenas como uma capa que simplesmente serve para esconder uma perigosa indiferença espiritual.

Aqui podemos citar o importante conselho de Tiago contra o perigo da indiferença espiritual. Ele diz: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência” (Tiago 1:22-24).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close