Por Que Jesus Ressuscitou ao Terceiro Dia?

A Bíblia afirma que Jesus ressuscitou ao terceiro dia (Lucas 18:33). Esse “terceiro dia”, à luz dos textos bíblicos, foi o primeiro dia da semana, isto é, o domingo (Marcos 16:2). Mas muitas pessoas ficam em dúvida sobre como Jesus ressuscitou ao terceiro dia se ele morreu na sexta-feira.

Aqui é preciso admitir que a cronologia do ministério de Jesus sempre é tema de debates acadêmicos. Especialmente com relação à sua morte, alguns poucos estudiosos sugerem que talvez a crucificação tenha acontecido na quarta-feira ou na quinta-feira, ao invés da sexta-feira. Então algumas pessoas que ficam em dificuldade diante da informação bíblica de que Jesus ressuscitou ao terceiro dia, acabam preferindo adotar uma dessas alternativas.

Além disso, essas pessoas ainda apontam uma passagem bíblica em particular para tentarem afirmar que jamais Jesus poderia ter sido crucificado numa sexta-feira e ressuscitar num domingo. A passagem em questão é aquela em que o Senhor Jesus recorre ao sinal do profeta Jonas e diz: “Pois como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do monstro marinho, assim também o Filho do homem estará três dias e três noites no coração da terra” (Mateus 12:40).

Mas essas alternativas que sugerem que Jesus morreu numa quarta-feira ou numa quinta-feira, esbarram em vários problemas de falta de evidências, e são facilmente refutadas por uma consideração mais apurada da cronologia do ministério de Jesus. Além disso, a grande fraqueza desse tipo de interpretação é que a Bíblia é muito clara ao dizer que os eventos relacionados à crucificação de Jesus se deram na sexta-feira.

Para tanto, os textos bíblicos aplicam uma palavra grega que significa literalmente “o dia antes do sábado” ou “véspera do sábado” (Marcos 15:42; cf. Lucas 23:54; João 19:14,30,42). Inclusive, essa mesma palavra ainda é usada no grego moderno para indicar a sexta-feira. Então se é evidente que Jesus morreu na sexta-feira, como Ele pode ter ressuscitado no terceiro dia, sendo esse terceiro dia o domingo?

Jesus ressuscitou ao terceiro dia

Em primeiro lugar, é preciso entender que os judeus contavam o tempo de uma forma um tanto quanto diferente à forma que usamos atualmente. Basicamente o dia começava e terminava com o pôr do sol — por volta das 18:00 horas. Esse período de aproximadamente 24 horas formava o que era chamado entre os judeus de onah — que incluía um dia e uma noite.

No entanto, para os judeus, uma vez que um onah era iniciados, considerava-se um onah inteiro. Em outras palavras, uma parte de um dia era como o total dele para fins de contabilização.

Isso ajuda a entender a declaração de Jesus de que Ele ficaria no coração da terra durante três dias e três noites. Nesse sentido, a expressão “três dias e três noites” era uma expressão idiomática usada pelos judeus não com o objetivo de se referir ao período exato de 72 horas — três dias e três noites inteiros —, mas com o objetivo de se referir a três unidades de tempo.

Por isso podemos dizer que expressões como: “ao terceiro dia”, “no terceiro dia”, “depois de três dias” e “três dias e três noites”, significam a mesma coisa e são usadas na Bíblia de forma intercambiável.

Por exemplo: em certa ocasião Jesus disse que “depois de três dias” ressuscitaria (Marcos 8:31). Em outra ocasião Ele disse que ressuscitaria “ao terceiro dia” (Mateus 17:23). Quando os líderes judeus falaram a Pilatos sobre a promessa da ressurreição, eles disseram que Jesus tinha prometido ressuscitar “depois de três dias”, e pediram que o sepulcro fosse guardado até “ao terceiro dia” (Mateus 27:62-64).

O erro de muitas pessoas é entender as expressões “ao terceiro dia”, “no terceiro dia” ou “depois de três dias” como que significando “após o terceiro dia”. De fato, “após o terceiro dia” equivale ao quarto dia, e não mais ao terceiro dia. Inclusive, no Antigo Testamento há várias referências que indicam que nem sempre o terceiro dia era um dia inteiro (Ester 4:16; cf. Gênesis 42:17-18; 1 Samuel 30:12,13; 2 Crônicas 10:5,12).

Receber Estudos da Bíblia

A cronologia da ressureição

Voltando ao fato de que Jesus ressuscitou ao terceiro dia, podemos perceber a seguinte lógica. Jesus morreu na sexta-feira (primeiro dia), permaneceu morto no sábado (segundo dia) e ressuscitou no domingo (terceiro dia).

Sendo ainda mais detalhado, temos a seguinte lógica: Jesus morreu e foi sepultado na sexta-feira antes do pôr do sol. Como para os judeus uma parte de um dia — período aproximado de 24 horas que separava um pôr do sol de outro — contava como um dia inteiro, então já na sexta-feira idiomaticamente era possível falar que Jesus esteve morto um dia e uma noite, já que a sexta-feira começava com o pôr do sol da quinta.

No sábado, que começava com o pôr do sol da sexta, Jesus permaneceu morto. Nesse caso, de acordo com a expressão idiomática, Jesus já estava sepultado durante dois dias e duas noites. Em algum momento do domingo pela manhã Jesus ressuscitou. Como o domingo começava com o pôr do sol do sábado, então nos termos judaicos de contagem do tempo, Jesus permaneceu três dias e três noites morto e sepultado, ainda que isso não significava que Ele havia estado morto por 72 horas.

Portanto, Jesus ressuscitou ao terceiro dia. Usando a expressão idiomática judaica, de fato Ele ficou morto e sepultado três dias e três noites, e isso não significa uma contradição com a informação bíblica de que a crucificação ocorreu na véspera do sábado.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar