A Lâmpada Arderá Continuamente

A lâmpada arderá continuamente! Esta foi a ordem que os sacerdotes receberam da parte de Deus com relação ao uso do candelabro no Tabernáculo. Deus disse através de Moisés: “Sobre o candeeiro de ouro puro conservará em ordem as lâmpadas perante o Senhor, continuamente” (Levítico 24:4).

A primeira parte do capítulo 24 do livro de Levítico traz as recomendações adicionais sobre o candelabro que era um dos utensílios do Tabernáculo e também sobre pão da propiciação (Levítico 24:1-9; cf. Êxodo 25:23-40; 27:20,21; 37:14-24; 39:36; 40:23).

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

As lâmpadas do candelabro

O candelabro ficava defronte a mesa no Santo Lugar no Tabernáculo. Ele foi feito de um talento de ouro que equivale a aproximadamente 34 kg. Na fabricação do candelabro o ouro foi batido para sugerir uma amendoeira em crescimento. A amendoeira florescia antes de outras árvores no fim do mês de Janeiro. Alguns comentaristas sugerem que por isso a amendoeira talvez servisse como um tipo de símbolo da renovação da vida.

O candelabro tinha seis hastes presas num pedestal que dava seguimento a uma haste central. Essa parte representava o tronco de uma árvore e dela saiam três hastes como ramos de cada lado. Muito provavelmente as três hastes de cada lado se elevavam até a altura da haste central. Em cada haste havia uma lâmpada, totalizando sete lâmpadas (Êxodo 25:31-40). Na literatura bíblica o número sete é usado para transmitir o significado de perfeição.

Receber Estudos da Bíblia

As lâmpadas do candelabro ardiam continuamente

As sete lâmpadas do candelabro deviam ser conservadas continuamente acessas. Para isso elas tinham que ser abastecidas de azeite puro de oliveira batido (cf. Êxodo 27:20,21). Se as lâmpadas do candelabro se apagassem, o Santo Lugar no Tabernáculo ficaria completamente no escuro. Era função dos sacerdotes garantir que as lâmpadas fossem conservadas sempre acessas (Levítico 24:4; cf. Êxodo 27:21).

Alguns estudiosos consideram uma visão do profeta Zacarias para sugerir que em certo sentido o candelabro servia como uma figura de Israel que deveria ser uma luz para as nações, conforme o propósito de Deus (Zacarias 4). Mas sem dúvida o candelabro, assim como os demais itens do Tabernáculo e seus cerimoniais, apontava diretamente para Cristo e sua obra.

O Novo Testamento revela que Jesus Cristo é verdadeiramente quem cumpre o propósito de ser luz para as nações (Lucas 2:32). O próprio Jesus declarou: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8:12).

Consequentemente, por sua intima associação e dependência de Cristo, o cristão também é identificado como um instrumento pela qual a luz da salvação de Cristo brilha ao mundo para a glória de Deus Pai (Mateus 5:16). É por isso que no livro do Apocalipse as sete lâmpadas que ardem continuamente no candelabro de ouro simbolizam as igrejas na sua função de trazer luz e testemunho a este mundo (Apocalipse 1:12).

Além do mais, é o próprio Cristo quem anda no meio dos candeeiros. Isso significa que da mesma forma com que a nuvem da glória de Deus descia para habitar no Tabernáculo, Cristo conhece e habita com sua Igreja sendo seu Senhor e Pastor (Apocalipse 1:13). Assim, alguns comentaristas vêm na ordem de que a lâmpada arderá continuamente algo que também se aplica, em certa medida, à vida da Igreja. Como candeeiros cujas lâmpadas propagam a luz do Evangelho, o brilho da Igreja jamais cessará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close