Estudo do Livro de Ageu

O livro de Ageu é um dos livros que compõe o Antigo Testamento. O livro de Ageu é um livro pequeno que possui apenas dois capítulos contendo quatro profecias, porém com uma mensagem muito profunda. Neste estudo bíblico, faremos um panorama geral do livro do profeta Ageu.

Quem escreveu o livro de Ageu?

É amplamente aceito que o livro de Ageu foi escrito pelo próprio profeta Ageu. Alguns estudiosos até tentam contestar a autoria do livro atribuída ao profeta de mesmo nome.

O principal argumento da crítica à autoria de Ageu é a ocorrência do uso da terceira pessoa em relação ao profeta. Entretanto, essa é uma prática usual entre os profetas escritores. Saiba mais sobre quem foi o profeta Ageu.

Data e contexto histórico do livro de Ageu

O contexto histórico do livro de Ageu é o período pós-exílico do povo judeu que retornou à Terra Prometida após o decreto de Ciro em 538 a.C. (Esdras 1:1-4). Ao retornarem à pátria, os judeus começaram reconstruir o Templo. No entanto, houve grande oposição externa que, combinado com o desânimo interno, fizeram com que o projeto de reconstrução fosse abandonado.

Tudo ficou parado por aproximadamente dezessete anos. Então em 520 a.C., no segundo ano do reinado de Dário, os profetas Ageu e Zacarias iniciaram seus ministérios (Ageu 1:1; Zacarias 1:1). Nesse período também houve oposição, desta fez por parte de Tatenai, governador persa do Trans-Eufrates. Mas Dario I reeditou o decreto de Ciro para que o Templo fosse reconstruído no prazo de quatro anos (Esdras 6:13-15).

É interessante que o próprio livro de Ageu nos informa a data em que as profecias contidas nele foram entregues, a saber, entre agosto e dezembro de 520 a.C. (Ageu 1:1).

Temas, propósito e características do livro de Ageu

O livro de Ageu possui dois temas bem definidos: o Templo e a vitória da casa de Davi. O propósito claro que pode ser notado no livro é o incentivo ao povo para reconstruir o Templo, na esperança de que isso traria grandes bênçãos para Israel nesse período pós-exílio.

Uma característica bem marcante do livro de Ageu é a organização do conteúdo em quatro mensagens. Isso significa que no livro há quatro profecias que começam com a frase: “Veio a palavra do Senhor por intermédio do profeta Ageu…” (Ageu 1:1; 2:1; 2:10; 2:20).

As quatro profecias trazem convites ao arrependimento diante da realidade da retenção das bênçãos de Deus. Elas também enfatizam as promessas de grandes bênçãos sobre o Templo e vitórias por intermédio da linhagem de Davi.

A profecia do livro de Ageu

No livro de Ageu, a expressão “Senhor dos Exércitos” é muito marcante e ocorre quatorze vezes. Também fica evidente o descaso do povo com relação à reconstrução do Templo. Os judeus não demonstravam nenhum interesse nisso, refletindo a decadência espiritual daqueles dias. O povo não desejava mais desfrutar da presença especial de Deus.

Diante dessa realidade, o povo estava sob as maldições da aliança (cf. Levítico 26:20; Deuteronômio 11:8-15; 28:29,38-40). Eles estavam experimentando dificuldades porque ainda estavam sofrendo as limitações impostas por Deus sobre a nação durante o exílio. Isso estava ocorrendo por causa da falta de arrependimento genuíno (cf. Levítico 26:20; Deuteronômio 11:8-15; 28:29,38-40). As expressões “tendes semeado muito e recolhido pouco” e “fiz vir a seca”, demonstram claramente essa realidade (Ageu 1:6,11).

Em Ageu 1:9 temos a revelação do ponto principal do problema: “cada um de vós corre por causa de sua própria casa”. Isso significa que enquanto cada pessoa estava preocupada em construir sua própria fortuna, a casa de Deus estava em ruínas. Eles não estavam nenhum pouco preocupados em edificar o reino de Deus.

Através do ministério profético de Ageu, Deus chamou o povo ao arrependimento e os convocou a reconstruir o Templo. Deus garantiu ao povo que Sua presença estava ali, assim como estivera na ocasião da libertação do Egito (Ageu 1:13; 2:4,5). Vale ressaltar que o propósito de Deus com relação à reconstrução do Templo estava baseado na sua própria soberania e desejo de ser honrado (Ageu 1:8).

As profecias de Ageu claramente transmitem a expectativa de que Deus renovaria as promessas de sua aliança. A própria reconstrução do Templo foi uma parte muito importante dessa renovação. Também é nítida a forma com que Ageu associou o Templo com a renovação da casa de Davi.

Diante das mensagens do profeta Ageu registradas em seu livro, também aprendemos que como servos de Deus, devemos estar comprometidos com a obra do Senhor. Esse comprometimento deve ser de tal modo que o reino de Deus deve ter prioridade sobre nosso conforto pessoal.

Receber Estudos da Bíblia

Referências a Cristo no livro de Ageu

Na profecia de Ageu há grande esperança de que o Ungido de Deus, o descendente de Davi, haveria de trazer sua glória, paz e prosperidade ao povo de Deus (Ageu 2:6-9). Tal profecia foi direcionada a Zorobabel, filho de Salatiel, descendente da linhagem de Davi. Naquele tempo Zorobabel prefigurou o Messias.

Então quando meditamos na profecia feita a Zorobabel à luz do Novo Testamento, entendemos que somente Jesus pôde cumprir a promessa de ser o governante real de Deus na terra. A promessa de restauração e vitória da linhagem de Davi encontra seu cumprimento final no Messias, o grande Filho de Davi (Mateus 1:1; Lucas 20:41-44; Romanos 1:3). Com sua morte, ressurreição e ascensão ao céu, Cristo foi coroado e ascendeu ao seu trono celestial. Agora Ele reina “até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés” (1 Coríntios 15:25-27; cf. 1 Pedro 3:22).

A própria reconstrução do Templo também aponta para Cristo e sua Igreja. O Templo na antiga dispensação era o local onde a presença de Deus se revelava de forma especial; ali era onde o santo nome de Deus habitava (1 Reis 8:27-30). O Templo era um local de oração, adoração, perdão e comunhão de Deus com seu povo.

Agora, o Novo Testamento nos revela que Cristo é o Templo final (João 2:21-22). Então é na Igreja, sendo o corpo de Cristo, que hoje essa mesma presença habita, pois a Igreja é o templo do Espírito Santo, identificada pelo apóstolo Paulo como o templo de Deus (1 Coríntios 3:16,17; cf. 1 Coríntios 6:19-20).

Esboço do livro de Ageu

O conteúdo do livro de Ageu é dividido em quatro mensagens que são organizadas da seguinte forma:

  • Ageu promove o envolvimento do povo e conclama o arrependimento para que o Templo fosse reconstruído (Ageu 1:1-15).
  • A glória maior do novo Templo e as bênçãos de Deus (Ageu 2:1-9).
  • A garantia das bênçãos futuras que Deus derramaria (Ageu 2:10-19).
  • A promessa de vitória para o povo de Deus (Ageu 2:20-23).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close