O Monte Sinai ou Monte Horebe na Bíblia

O Monte Sinai é uma montanha mencionada em várias passagens bíblicas, na qual Moisés recebeu da parte de Deus os Dez Mandamentos. No Antigo Testamento, essa mesma montanha também é chamada de Monte Horebe.

A península do Sinai

A península do Sinai possui um formato semelhante a um triângulo invertido, com sua base medindo cerca de 240 quilômetros de extensão que fica entre o Egito e a Palestina.

Geralmente essa região é referida como sendo o deserto em que o povo de Israel peregrinou por quase quarenta anos. Próximo da extremidade sul da península do Sinai existe formações de granito que se elevam entre 1.600 e 2.900 metros de altura.

A localização do Monte Sinai

A localização exata do Monte Sinai, isto é, do cume em que Moisés subiu e recebeu a Lei, é incerta. Todavia, existe grande especulação sobre o assunto. Tem sido sugeridas pelo menos três possibilidades de forma mais oficial: a montanha de Gebel Musa; a montanha Ras Eç-çafçafeh; e Gebel Serbal.

A tradição que defende ser Gebel Serbal o local do Monte Sinai é bastante antiga, e remonta até a época de Eusébio no século 3 d.C. No entanto, o fato de não existir nenhuma planície próxima à base dessa montanha, enfraquece essa sugestão.

Já a tradição que aponta para Gebel Musa data de pelo menos o século 6 d.C. na época de Justiniano. Tanto Gebel Musa quanto Ras Eç-çafçafeh, estão localizados numa serra de granito com aproximadamente 3 quilômetros.

Gebel Musa possui cerca de 2.285 metros de altitude e fica no extremo sul, enquanto que Ras Eç-çafçafeh possui cerca de 2.000 metros e fica situada no extremo norte. Essa última montanha possui em sua base uma grande planície que tem sido apontada como um local suficientemente capaz de comportar a multidão de hebreus que ali acampou, segundo aqueles que defendem ser ela o Monte Sinai bíblico. Além disso, dessa planície é possível ver o cume do monte.

Por outro lado, a maioria dos estudiosos concorda que Gebel Musa é o local mais provável, não apenas pela antiga tradição a seu favor que data cerca de 1.500 anos, mas pela imponente formação de granito que se torna singular na paisagem, e pela rota que os israelitas fizeram até chegar nessa região.

Há também quem defenda que o Monte Sinai fica na região onde era localizada a terra de Midiã no noroeste da Arábia, ou na área próxima a região de Cades-Barnéia, mas essas sugestões não são amplamente aceitas.

O Monte Sinai foi o local da Aliança

O povo de Israel chegou à região do Monte Sinai no terceiro mês depois de ter partido do Egito. Ali eles acamparam em uma planície, de modo que podiam ver o cume do Sinai (Êxodo 19:1-20).

Foi no Monte Sinai que Deus se revelou a Moisés estabelecendo uma aliança com o povo de Israel como nação, e lhe transmitindo os Dez Mandamentos. Na ocasião, Moisés agiu como um mediador perante o Senhor e o povo, indo até o cume do monte e recebendo os mandamentos (Êxodo 19:20; 24:18).

Monte Sinai ou Monte Horebe?

Os nomes “Monte Sinai” e “Monte Horebe” parecem ser aplicados de forma alternada ao mesmo local. Entretanto, alguns eruditos preferem entender que Horebe se refere ao grupo de montanhas, e Sinai a um dos picos específicos. Outros, por sua vez, afirmam exatamente o contrário.

Em Êxodo 3:1, Horebe é o local denominado como “monte de Deus”, na qual Moisés recebeu a primeira teofania, no episódio em que ele viu uma sarça ardente em fogo que não se consumia.

A designação “Monte Horebe” recebe maior destaque no ministério do profeta Elias, sendo ali o local onde ele recebeu, entre outras instruções, a incumbência de ungir Eliseu como seu sucessor (1 Reis 19).

Alguns eruditos modernos tentam contestar a antiga tradição do Sinai entre os judeus, porém o cântico de Débora em Juízes 5:5 aponta exatamente para o contrário. Portanto, o Monte Sinai, ou Monte Horebe, é um local bastante significativo na narrativa bíblica e recebe notável proeminência no Antigo Testamento.

Aplicativo de Estudo Bíblico

Você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.