A Mordomia do Corpo

A mordomia do corpo é algo fundamental na foma como servimos a Deus. A Bíblia adverte os cristãos acerca da importância do cuidado do corpo. Os crentes devem entender que eles não são donos de seu próprio corpo, mas são mordomos dele a serviço do Senhor.

Sempre quando se fala acerca do tema da mordomia cristã, frequentemente a mordomia do corpo acaba sendo um ponto negligenciado. As pessoas enfatizam a mordomia dos dons, talentos, conhecimento e, principalmente, dos bens, mas se esquecem que diante de Deus também temos o dever de cuidar de nossos corpos.

Os redimidos também servem a Deus quando cuidam adequadamente de seus corpos. Abaixo podemos citar três motivos principais pelos quais a mordomia do corpo é uma disciplina tão importante.

1. Deus é o criador do nosso corpo

Em primeiro lugar, a mordomia do corpo é importante porque o nosso corpo foi criado por Deus. Nós não somos resultado de um processo evolutivo ou fruto do acaso. Na verdade nós somos resultado do conselho de Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1:26).

O homem foi criado por Deus com uma parte imaterial e outra material, para ambas formarem uma total unidade. Às vezes enfatizamos a importância da parte imaterial e desprezamos a parte material. Muita gente acaba repetindo o erro do antigo pensamento grego de que o que é espiritual é bom e o que é material é ruim. Porém, Deus nos criou como uma unidade perfeita, para que tanto no aspecto espiritual quanto material, possamos refletir a glória d’Ele.

O corpo humano, como obra de Deus, é realmente admirável. O corpo é formado por trilhões de células. Tamanha sua complexidade, o número exato é desconhecido pela ciência. Alguns estudiosos da área falam em números que vão desde dez trilhões até quase cem trilhões de células. Marshall W. Nirenberg, Nobel de Fisiologia de 1968, falava de algo em torno de sessenta trilhões de células.

Incrivelmente no núcleo de cada célula há cerca de dois metros de fita DNA que reúne todos os dados genéticos do ser humano. As características de cada tecido do nosso corpo, a estrutura de sua composição óssea, a arquitetura cerebral, as ramificações nervosas, o funcionamento de cada órgão; todas essas coisas servem como testemunho vivo da glória de Deus.

No Salmo 139 Davi fica admirado com a obra de Deus em relação ao corpo humano. Ao falar da formação do corpo, Davi apresenta Deus como um artista que produz sua obra-prima. Inclusive, o salmista reconhece o quão inescrutável é a ação de Deus nesse processo, e se põe a declarar: “Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem” (Salmo 139:14). Portanto, devemos olhar para a mordomia do corpo como sendo o cuidado de algo que foi cuidadosamente projetado e formado por Deus.

2. Deus cuidou de redimir o nosso corpo

A mordomia do corpo é importante porque ele também é alvo do plano de salvação concebido por Deus na eternidade. Jamais podemos falar da obra da redenção excluindo suas implicações quanto ao nosso corpo. Cristo não redimiu apenas a nossa parte espiritual, mas também a nossa parte material.

Isso significa que sem a redenção do corpo, a obra da salvação não está completa. A grande consumação de toda história da redenção ocorrerá no dia da volta de nosso Senhor Jesus Cristo, quando nossos corpos serão glorificados.

A glorificação do corpo é o último estágio do processo de salvação. Algumas pessoas erram ao pensar que viveremos eternamente como seres incorpóreos num tipo de paraíso etéreo.

Mas a verdadeira doutrina bíblica diz que nossos corpos ressuscitarão, e o que é incorruptível será revestido de incorruptibilidade, e o que é mortal será revestido de imortalidade (1 Coríntios 15:51-54). Os efeitos do pecado serão definitivamente removidos e nossos corpos glorificados serão semelhantes ao corpo do Cristo ressurreto (Filipenses 3:20,21). Será dessa forma que os crentes viverão toda a eternidade ao lado do Senhor no novo céu e nova terra.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

3. Nosso corpo é morada de Deus, para sua glória

Em terceiro lugar, a mordomia do corpo é importante porque ele é habitação de Deus. Conforme vimos no tópico anterior, nosso corpo também está incluso na obra da redenção. Isso quer dizer que aquela ideia de que Deus só quer o nosso coração, ou só quer a nossa alma, está errada! Na cruz Cristo comprou suas ovelhas por inteiro!

O apóstolo Pedro escreve que os redimidos são “propriedade exclusiva de Deus” (1 Pedro 2:9). O apóstolo Paulo escreve que o nosso corpo é Templo do Espírito (1 Coríntios 6:19). No mesmo versículo o apóstolo ainda destaca nosso papel como mordomos do corpo, pois ele não pertence a nós mesmos.

No verso seguinte, Paulo ainda destaca que os crentes foram comprados por um alto preço. Então diante dessa maravilhosa verdade, ele adverte: “Portanto, glorificai a Deus no vosso próprio corpo” (1 Coríntios 6:20).

Receber Estudos da Bíblia

A mordomia do corpo é um mandamento bíblico

Vimos que nosso corpo é criado, redimido e habitado por Deus. Logo, sua finalidade principal é glorificar a Deus. Somente através de uma boa mordomia do corpo é que podemos cumprir esse propósito.

Ninguém pode alegar que a Bíblia não é clara quanto à mordomia do corpo. De forma muito direta as Escrituras dizem que jamais devemos colocar o nosso corpo a serviço do pecado. A Palavra de Deus ensina que não devemos permitir que o pecado domine nossos corpos mortais. Nosso corpo não pode ser um meio para que obedeçamos às concupiscências de nossa velha natureza (Romanos 6:12).

Imoralidades, impurezas e vícios, são os inimigos da fiel mordomia do corpo. Então ao invés de oferecermos os membros do nosso corpo ao pecado, como instrumentos de injustiça, devemos oferecê-los a Deus, como instrumentos de justiça (Romanos 6:13).

Isso significa que na visão bíblica, o processo de santificação a Deus envolve a pessoa por inteiro; não apenas o espírito, mas também o corpo com cada um de seus membros. Paulo fala sobre a relação do nosso corpo com a adoração a Deus. Ele escreve: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12:1).

Então em tudo o que fizermos através do nosso corpo, devemos, antes de tudo, buscar a glória de Deus (1 Coríntios 10:31). Mas atenção! Bíblia diz: “fazei tudo para a glória de Deus”. Tudo é tudo, não menos que isso. Essa verdade também deve refletir no modo como cuidamos fisicamente do nosso corpo.

Seja o mordomo fiel do seu corpo

É correto enfatizarmos que o nosso corpo não deve estar a serviço do pecado. Mas e quanto ao cuidado diário com seu bem estar e saúde? Será que estamos respeitamos os limites do nosso corpo? Estamos atentos aos seus sintomas? Estamos alimentando-o corretamente e de acordo com suas restrições?

Sem dúvida tais preocupações devem fazer parte da correta mordomia do corpo. Tem gente que vive como se odiasse o próprio corpo. Mas o cuidado com o corpo é algo tão importante que na Bíblia serve como figura do cuidado de Cristo com sua Igreja (Efésios 5:29). O sábio escritor de Provérbios aconselha: “O homem bondoso faz bem a si mesmo, mas o cruel prejudica o próprio corpo” (Provérbios 11:17).

Então que possamos ser mordomos fieis do corpo que Deus nos confiou. Que a mordomia do corpo seja objeto de nossa preocupação diária. Como diz o apóstolo Paulo, que Cristo seja engrandecido em nosso corpo, tanto agora como sempre, seja pela vida, seja pela morte (Filipenses 1:20).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close