O Que é Graça de Deus?

Graça é um favor ou uma benevolência que não merecemos. Por isso a teologia apresenta a definição clássica de graça como “favor imerecido”. Isso quer dizer que a graça de Deus é algo que recebemos d’Ele sem que tivéssemos o direito de receber.

Quando falamos sobre o que é graça e o seu significado bíblico, geralmente temos em mente a salvação. A Bíblia ensina a salvação pela graça mediante a fé. Essa graça que salva normalmente é chamada na teologia de graça salvadora.

Mas o favor de Deus para com os homens também pode ser visto em outras instâncias e não somente nas questões da salvação. Esse tipo de favor mais geral de Deus estendido à humanidade é chamado de graça comum. Em todos esses sentidos, porém, a graça de Deus jamais é o cumprimento de uma exigência, mas sempre é uma prerrogativa divina.

O significado da graça na Bíblia

Na Bíblia, a palavra “graça” traduz alguns termos originais hebraicos e gregos. Por exemplo: no Antigo Testamento a palavra hen indica um favor não merecido recebido de alguém que está numa posição superior. Ainda no Antigo Testamento, o termo hesed é outro termo usado no texto hebraico para falar da benevolência distribuída entre pessoas que estão num relacionamento.

Já no Novo Testamento o termo mais usual para “graça” é o grego charis. Esse termo era usado com um significado muito amplo na literatura grega, mas sua aplicação mais básica geralmente enfatizava os sentidos de favor, perdão, consideração favorável e gratidão. Mais raramente o Novo Testamento também usa a palavra eleos, que possui o sentido de “misericórdia”, mas geralmente é traduzido pela palavra “graça” por se ajustar melhor ao sentido pretendido no texto.

Mas sem dúvida, nenhuma palavra é capaz de transmitir de forma completa o que de fato significa a graça. Na verdade, o significado de graça só pode ser compreendido adequadamente à luz da obra de Cristo.

Graça e justiça

Já falamos que a definição de graça é “favor imerecido”. De acordo com esse conceito, o significado de graça se distingue radicalmente do significado de justiça. Isso porque a justiça é essencialmente algo merecido. A justiça fala de uma retribuição sob um padrão de mérito. Em outras palavras, a justiça é merecida ou conquistada através de obras e condutas que foram observadas previamente por alguém.

Mas por outro lado, a graça é algo ofertado a alguém que não merece receber nada. Enquanto a justiça é devida, a graça é simplesmente dada espontaneamente. Isso quer dizer que a graça não é uma retribuição justa por algo realizado, mas é um presente; é um favor não conquistado com base em méritos prévios. Esse contraste nos ajuda a entender o contexto bíblico da graça de Deus.

Muita gente questiona a existência do sofrimento no mundo, ou o fato de nem todas as pessoas serem salvas. Infelizmente algumas vezes essas pessoas ficam inclinadas a duvidar do caráter de Deus. O erro dessas pessoas está justamente em não compreender o que é graça. Essas pessoas pensam que Deus deve algo ao homem.

Mas a verdade é que Deus não está numa posição em que Ele seja obrigado a agir de forma favorável à humanidade. Se Ele derrama do seu favor sobre o homem, isso é graça, não dívida. O que de fato o homem merece receber de Deus é a sua justiça.

Porém, sabemos que a justiça recompensa o inocente e castiga o culpado. O problema é que a Bíblia diz que não há um único homem justo, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus (Romanos 3). Então diante de Deus todos os homens são transgressores que merecem receber o peso da justiça divina.

Mas engana-se quem pensa que a graça de Deus anula a sua justiça. O fato de Deus agir graciosamente para conosco não significa que sua justiça fica insatisfeita. Para entendermos isso precisamos olhar para como a graça de Deus é revelada em Cristo.

Receber Estudos da Bíblia

A graça de Deus revelada em Cristo

Soberanamente Deus resolveu agir de forma favorável para aqueles que mereciam o castigo. Ele resolveu declarar inocentes aqueles que mereciam ser condenados. Mas Ele não fez isso apenas ignorando o erro dessas pessoas, pois se fosse assim Ele não seria justo.

Então nesse ponto encontramos Cristo nos mostrando o que de fato é a graça de Deus. O que aconteceu foi que o erro dessas pessoas culpadas foi punido na pessoa de Cristo; a dívida dessas pessoas alienadas foi colocada na conta de Cristo e quitada integralmente por Ele. Nesse sentido, a obra expiatória de Cristo é a maior expressão da graça de Deus.

Por isso é muito apropriado que a Bíblia fale da salvação em termos econômicos, ou seja, ela fala que o crente foi redimido por Cristo. Redenção diz respeito a um pagamento. Ser redimido significa basicamente ser comprado. Nos tempos antigos esse termo às vezes era empregado para se referir à libertação de um escravo mediante um pagamento oferecido por um redentor.

Essa era justamente a nossa situação. Éramos escravos do pecado e não tínhamos como pagar a nossa dívida. Então quando Cristo veio ao mundo para resgatar pecadores miseráveis que mereciam o inferno, a palavra graça assumiu o seu significado mais pleno.

Dessa forma, a salvação é um dom de Deus para nós, e sendo um dom, ela não vem em resposta às nossas boas obras ou em recompensa aos nossos méritos. A salvação é graça, e graça é justamente aquilo que não temos direito algum de receber. Então como diz o antigo hino de Jonh Newton, o que podemos dizer é: “Graça maravilhosa, quão doce é o som que salvou um desgraçado como eu”.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar