O Que Significa Hades, Seol, Gehenna e Tártaro?

Hades, Seol, Gehenna e Tártaro são palavra que aparecem na Bíblia com diferentes significados a depender de seu contexto. Mas o modo com que elas são traduzidas muitas vezes causa algumas dúvidas entre os cristãos.

Tais dúvidas decorrem do fato de que, em muitos casos, a palavra que traduz estes quatro termos em nossas versões da Bíblia é “inferno”. Neste estudo bíblico, conheceremos o significado e a aplicação de cada uma destas palavras.

O que significa Seol (ou Sheol)?

Seol é uma palavra hebraica utilizada mais de sessenta vezes em todo Antigo Testamento. A raiz da qual Seol deriva é incerta. Alguns consideram que Seol deriva de uma raiz que significa “interrogar”, transmitindo a ideia de “lugar ou estado de interrogação”. Outros defendem que Seol deriva de uma raiz que significa “concavidade”, no sentido de “profundeza”, transmitindo a ideia de “lugar profundo”.

Seja como for, a raiz da qual o termo Seol se origina não nos impede de entender seu significado e aplicação nas Escrituras. Dependendo da versão bíblica utilizada, na maioria das vezes Seol é traduzido como inferno (cf. Deuteronômio 32:22; 2 Samuel 22:6; Jó 11:8; Isaías 5:14; etc.).

Entretanto, nem sempre em tais passagens devemos entender o uso da palavra inferno como sendo uma referência ao local de tormento do ímpio. Alguns exemplos de casos assim são: Salmos 116:3; Isaías 5:14 e Jonas 2:2. Por isto em algumas versões revisadas a aplicação da palavra inferno é substituída por uma tradução mais apropriada ao contexto.

Mas como saber qual o significado correto do termo Seol em cada passagem bíblica, já que ele possui diferentes significados? Esta pergunta pode ser respondida considerando essencialmente o contexto de cada passagem onde Seol aparece.

Diferentes aplicações da palavra Seol

De maneira bem simples, podemos dizer que na Bíblia Seol se refere ao lugar para qual uma pessoa vai, ou o estado a qual ela se encontra. Sua aplicação pode ser tanto no sentido literal como figurado.

Obviamente esse conceito nos levará a diferentes significados, e como já dissemos, o contexto é que decidirá qual o significado correto. Assim, podemos dizer que nos livros do Antigo Testamento Seol pode significar:

  1. Um lugar de castigo para o ímpio, onde a ira de Deus arde como fogo (Deuteronômio 32:22; Salmos 9:17; 55:15; Provérbios 15:11,24).
  2. A própria sepultura onde todo homem, seja ímpio ou seja justo, um dia descerá com seu corpo ao morrer (Gênesis 44:29,31; 1 Reis 2:6,9).
  3. O estado de morte, ou seja, a existência desencarnada da alma. É o período em que a alma fica separada do corpo aguardando a ressurreição, seja para a bem-aventurança eterna ou para a condenação eterna. Geralmente os estudiosos se referem a esse período como “o estado intermediário dos mortos”.

Quanto a este último significado, devemos fazer uma observação. Tanto os justos como os ímpios, ao morrerem, entram no estado desencarnado. Porém, vale enfatizar que há uma diferença bem grande nos dois casos.

O ímpio, em seu estado desencarnado, permanece num lugar de tormento aguardando a ressurreição de seu corpo. Então ele comparecerá diante do tribunal de Deus para ser julgado e condenado eternamente ao lago de fogo, que é o inferno em seu estado final.

Já o redimido, ao morrer, ele vai estar com Cristo no céu, onde descansa das tribulações de sua vida terrena. Ele aguarda a ressurreição de seu corpo para habitar com Deus no novo céu e nova terra durante toda a eternidade.

O que significa Hades?

Hades é o termo grego mais próximo do hebraico Seol. Na maioria das vezes Hades é utilizado na Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento) para traduzir o termo Seol. Todavia, a palavra Hades é encontrada originalmente no Novo Testamento, o qual foi escrito em grego.

Tal como o termo Seol, Hades também possui significados diferentes conforme o contexto determina. Na Parábola do Rico e Lázaro, Hades significa um lugar de tormento para os ímpios (Lucas 16). Neste caso, Hades pode ser traduzido “inferno”, desde que se entenda que não se trata do inferno em seu estado final.

Também vale ressaltar que o Hades na Bíblia nunca significa um mundo inferior (ou subterrâneo) dividido em duas alas: uma para os justos e outras para os ímpios. O mesmo princípio também serve para o hebraico Seol. Este tipo de pensamento tem origem na mitologia grega, onde havia o conceito do Tartáro e do Elíseos. Este conceito acabou sendo incorporado em alguns materiais da literatura apócrifa judaica, mas não encontra base bíblica alguma.

Portanto, ainda na Parábola do Rico e Lázaro, o paraíso em que Lázaro aparece não é uma versão bíblica do grego Elísios. Assim também, o Hades em que o rico é atormentado não é uma versão do Tartáro. Falamos um pouco mais sobre isto no texto em que analisamos se Jesus desceu ao inferno e pregou aos mortos.

Diferentes aplicações da palavra Hades

Em Mateus 11:23 e Lucas 10:15, o termo Hades é utilizado no sentido figurado para estabelecer um contraste com o céu. Já em Mateus 16:18, Jesus diz que as portas do inferno (ou portas do Hades) não prevalecerão contra a Igreja. Nesse caso, Jesus está dizendo que a própria morte não sobrepujará sobre o seu povo. Na verdade é o seu povo quem triunfa sobre a morte, por isto suas portas não prevalecerão.

Em Atos 2:22-31, o apóstolo Pedro, citando Davi, diz que a alma de Jesus não foi deixada no Hades (algumas traduções inferno), e nem sua carne viu a corrupção. Com isto, Pedro estava dizendo que Jesus não permaneceu no estado de existência desencarnada. Ele estava apontando para o fato de que o corpo de Cristo não viu a corrupção da sepultura, ao contrário do corpo do rei Davi.

A palavra Hades também aparece no livro do Apocalipse. Isto ocorre em três passagens (Apocalipse 1:18; 6:8; 20:13,14). Nestes casos Hades significa o estado de morte, representado no sentido figurado como se fosse um lugar ou personificado como se fosse uma pessoa.

Receber Estudos da Bíblia

O que significa Gehenna?

A palavra Gehenna é usada doze vezes originalmente no Novo Testamento. Gehenna é uma adaptação grega da palavra hebraica Ge’hinnom, que quer dizer “Vale de Hinom”. O Vale de Hinom era uma terra no lado sul de Jerusalém que pertenceu a Hinom e depois aos seus descendentes.

Nesse local foi edificado um altar onde eram celebradas oferendas humanas ao deus pagão Moloque. Os reis ímpios Acaz e Manassés, por exemplo, ofereceram seus filhos em sacrifício ali (2 Crônicas 28:3; 33:6). Outros também fizeram o mesmo (Jeremias 32:35).

O profeta Jeremias profetizou acerca do juízo divino que não deixaria impune o que ocorreu naquele lugar (Jeremias 7:31-34; 19:2; 32:35). Depois, o rei Josias derrubou o altar no Vale de Hinom e pôs um fim nas abominações que aconteciam ali (2 Reis 23:10). Na sequência, aquele vale se tornou o local de incineração de tudo o que era descartado em Jerusalém. Assim, sempre havia fogo queimando alguma coisa que fora despejada naquele vale.

Considerando todos estes acontecimentos como pano de fundo, podemos claramente entender por que aquele lugar se tornou o símbolo do tormento dos ímpios. Logo, o hebraico Ge’hinnom se tornou em grego Gehenna, o lugar de castigo sem fim, isto é, o inferno.

Gehenna sempre significa “inferno”

Em todas as doze ocorrências deste termo nos livros do Novo Testamento, Gehenna sempre significa inferno (cf. Mateus 5:22,29,30; 10:28; 18:9; 23:15,33; Marcos 9:43,45,47; Lucas 12:5; Tiago 3:6). Ainda com base nestas passagens, fica claro que o Gehenna designa o local onde os ímpios são condenados ao tormento eterno. Neste local tanto seus corpos quanto suas almas serão castigados.

Mas qual é a diferença entre Hades e Gehenna, já que Hades também pode se referir ao lugar de punição dos ímpios?

A maneira mais fácil de entender tal diferença é saber que quando o lugar de tormento é chamado de Hades, a referência é ao lugar de punição da alma do ímpio antes do dia do juízo final, isto é, durante o estado intermediário. Quando esse lugar é chamado de Gehenna, a referência é ao lugar de punição do corpo e da alma do ímpio após o dia do juízo, ou seja, é o inferno em seu estado final. Entenda melhor o que é o inferno segundo a Bíblia.

O que significa Tártaro?

Em 2 Pedro 2:4, lemos a expressão “lançando-os no inferno“, que traduz o original grego “lançar no Tártaro“. Esta é a única passagem bíblica onde aparece o grego Tártaro. Nela, o apóstolo tomou emprestada a palavra para inferno da mitologia grega.

Para os gregos, o Tártaro era um lugar inferior no mundo dos mortos. Ele servia como habitação dos perversos. Então para os gregos, o Tártaro era o lugar onde os piores homens eram mantidos em eterno tormento. Como já dissemos, na mitologia grega o Tártaro era o oposto dos Campos Elísios. Neste último, segundo a cultura grega, as pessoas bondosas repousavam após a morte.

Entenda que Pedro, ao utilizar a palavra Tártaro em sua epístola, não esta ensinando e nem mesmo aprovando os conceitos da mitologia grega. Ele apenas utiliza o termo Tártaro para se expressar na linguagem de seus leitores.

Podemos dizer que é algo semelhante ao que o apóstolo Paulo fez ao citar, apropriadamente, versos de três poetas (Epimênides, Cleanto e Arato) na pregação aos atenienses registrada em Atos 17:28.

Então, em 2 Pedro 2:4, o apóstolo está fazendo uma referência ao estado intermediário de castigo dos anjos caídos. Estes anjos também aguardam o dia do juízo final. Então o apóstolo ensinando que, assim como Deus não poupou os anjos que pecaram lançando-os no inferno enquanto aguardam o julgamento, ele também não poupará os falsos mestres que intentam fazer com que o povo desvie da verdade.

Para concluir, podemos dizer que se atentar ao contexto de cada passagem é essencial quando nos deparamos com as palavras Hades, Seol, Gehenna e Tártaro na Bíblia. Uma leitura cuidadosa de cada texto indicará o significado apropriado destas palavras.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar