O Que Significa Nazireu?

Nazireu é um termo utilizado na Bíblia cujo significado indica um voto de consagração especial que uma pessoa fazia diante de Deus. Muita gente já ouviu falar no voto do nazireado na Bíblia principalmente em conexão com a história de Sansão.

Neste estudo bíblico nós iremos entender corretamente o que era ser um nazireu nos tempos bíblicos. Também iremos conhecer tudo o que envolvia o significado do voto do nazireado.

O que é nazireu? Qual o significado de nazireu?

Na Bíblia, nazireu é o nome utilizado para se referir a uma pessoa que estava presa a um voto especial de consagração a Deus. Não se sabe ao certo quando essa prática surgiu, mas tudo indica que sua origem é pré-mosaica. Os semitas já tinham o costume de deixar seus cabelos compridos durante um tempo especifico a qual buscavam um auxílio divino.

O voto do nazireado geralmente era feito voluntariamente, e compreendia apenas um período específico de tempo. Entretanto existem referências em que os pais consagravam os filhos como nazireus por toda a vida. O caso mais conhecido certamente é o de Sansão (Juízes 13).

A palavra nazireu significa algo como “consagrado” ou “separado”. Esta palavra vem do hebraico nazir, que deriva da raiz nazar, “separar”, “consagrar” ou “abster-se”. O hebraico nezer, “diadema”, “coroa de Deus”, às vezes é aplicada em referência aos cabelos compridos e característicos dos nazireus.

Receber Estudos da Bíblia

Como era o voto dos nazireus?

Devido a sua consagração, um nazireu deveria cumprir uma série de restrições. O capítulo 6 do livro de Números fornece o texto base auxilia na compreensão de como era o voto dos nazireus. Pode-se dizer que esse capítulo registra um tipo de legislação completo do nazireado, onde podemos destacar:

  1. Os nazireus deviam adotar a abstinência do vinho e de qualquer outra bebida levedada. Em relação ao fruto da vide, essa proibição não se restringia apenas ao vinho. Ela incluía também o suco da uva e a própria uva, tanto fresca quanto passas (Números 6:3,4). Semelhantemente a um sacerdote oficiante, a renúncia ao vinho era feita para que ele pudesse se aproximar mais dignamente de Deus.
  2. Os nazireus também não podiam cortar seus cabelos durante o período de seu voto de separação (Números 6:5).
  3. Quem fazia esse voto de nazireado não podia aproximar-se de um cadáver, nem mesmo se fosse de seu parente mais próximo. Durante o voto dos nazireus, aproximar-se de um cadáver implicava em sua contaminação (Números 6:6). Essa mesma proibição também era aplicada ao sumo sacerdote. Em caso de violação dessa regra, o nazireu deveria se submeter a um detalhado ritual de purificação, e começar tudo novamente.

Ao terminar o período de seu voto, o nazireu deveria obedecer a um procedimento especial. Nesse procedimento diversas ofertas e sacrifícios prescritos deveriam ser oferecidos. Além disso, o nazireu também tinha que raspar sua cabeça e queimar os cabelos cortados sobre o altar. Todo o processo era devidamente levado a efeito pelo sacerdote (Números 6:13-21). Após todo o procedimento ser concluído, o nazireu ficava livre do voto.

De forma resumida, é possível dizer que diferentemente de outros votos, o nazireado implicava numa consagração total a Deus. O corpo do nazireu era separado completamente para o serviço santo, de modo que esse tipo de consagração era semelhante aquela que era experimentada apenas pelos sacerdotes.

Quem foi nazireu na Bíblia?

Alguns personagens bíblicos aparecem como pessoas dedicadas ao nazireado. A história mais conhecida é a de Sansão. Ele foi consagrado por seus pais desde seu nascimento (Juízes 13). Samuel foi outro personagem citado como nazireu (1 Samuel 1:9-11; 1 Samuel 1:22).

Embora o profeta Samuel não seja chamado explicitamente de nazireu no texto hebraico do Antigo Testamento, tem sido aceito pela maioria dos estudiosos que de fato ele teria sido um nazireu. Essa conclusão se apoia principalmente na descrição feita por Ana acerca do voto a qual seu filho seria submetido. Em 1 Samuel 1:22, Ana diz: “ele morará ali para sempre”. Esta frase também pode ser entendida como: “um nazireu para sempre, todos os dias de sua vida”. Na verdade é dessa forma que esse mesmo versículo aparece no texto Qumran.

É verdade também que alguns intérpretes fazem objeções quanto ao nazireado de Sansão e Samuel. No caso de Sansão, alguns alegam que a narrativa de sua vida parece claramente demonstrar que ele não se abstinha de vinho. Por outro lado, a quem defenda que o caso de Sansão só demonstra o quanto ele quebrou as regras de seu voto. Consequentemente, ele foi reprovado por Deus devido a sua desobediência.

Outro personagem que também é considerado por muitos como tendo sido um nazireu é Absalão. Nos dias de Amós, a narrativa bíblica parece indicar que os nazireus eram numerosos. Inclusive, o povo apóstata tentava forçar os nazireus a se desviarem de sua abstinência. Eles insistiam para que os nazireus tomassem vinho (Amós 2:11,12).

Em Atos 18:18, o texto fornece indícios da possibilidade do apóstolo Paulo ter feito um voto temporário de nazireado. Mais a frente, no próprio livro de Atos dos Apóstolos, Paulo foi persuadido a financiar os sacrifícios finais dos votos de nazireado feitos por quatro crentes judeus. Então juntamente com eles, Paulo deveria participar do ritual de purificação.

Essa era uma situação corriqueira da época. Os judeus ricos frequentemente pagavam pelo término dos sacrifícios. Segundo Flávio Josefo em sua obra Antiguidades Judaicas, Herodes Agripa I também fez o mesmo. Há também a sugestão defendida por alguns estudiosos de que João Batista e Tiago, irmão de Jesus, teriam sido nazireus (cf. Lucas 1:15,80).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close