O Que é Uma Tenaz e o Que Significa Séquito na Bíblia?

Tenaz e séquito são duas palavras que aparecem no texto bíblico que narra a convocação do profeta Isaías e que causam curiosidade em algumas pessoas. Tenaz é uma ferramenta para manusear materiais quentes, enquanto que séquito geralmente significa “comitiva”, mas quando ela ocorre na Bíblia é necessário verificar o contexto. A seguir, conheceremos melhor o que é uma tenaz e o que significa séquito.

Significado de tenaz na Bíblia

A palavra tenaz na Bíblia traduz o termo hebraico malqahayim. Esse termo é um substantivo duplo derivado do verbo laqah que significa “pegar”, “segurar” ou “apanhar”. Essa palavra hebraica aparece em outros textos bíblicos, mas nunca no sentido específico em que foi empregada no texto do livro de Isaías.

Geralmente essa palavra é utilizada associada com “castiçal”, e nesse sentido seu significado expressa a ideia de apagar o fogo dos castiçais, o que explica sua tradução normalmente como “apagadores” ou “apagador de velas” (Êxodo 25:38; 37:23; Números 4:9; 1 Reis 7:49; 2 Crônicas 4:21).

O que é uma tenaz?

Depois de conhecer o significado de tenaz, fica fácil entender o que é essa ferramenta. Tenaz é um instrumento utilizado para pegar objetos incandescentes ou submetidos a altas temperaturas.

Essa ferramenta é utilizada desde muito cedo por ferreiros para manipular metais quentes. Por conta disso, a tenaz assemelha-se a um alicate com cabos bem compridos a fim de possibilitar segurança ao utilizador. Nos tempos bíblicos, as tenazes eram utilizadas no altar do Templo para apanhar objetos, tanto no altar do sacrifício quanto no altar do incenso.

Receber Estudos da Bíblia

A narrativa bíblia revela que o profeta Isaías ficou apavorado quando teve a visão da glória do Senhor, e declarou estar perdido pois ele era “um homem de lábios impuros”. Porém, um dos serafins voou em sua direção trazendo uma brasa viva tirada do altar com uma tenaz e tocou nos lábios do profeta.

Não é possível identificar com exatidão de qual altar a brasa foi tirada. Alguns estudiosos sugerem que ela pode ter sido tirada com uma tenaz do altar do incenso que ficava de frente para o Santo dos Santos. Outros defendem que a brasa foi apanhada do altar do sacrifício, e que nesse caso consistia numa porção carbonizada das ofertas ali queimadas. De qualquer forma, o texto enfatiza a necessidade da purificação para se aproximar de Deus.

O fato dos serafins terem tirado com a tenaz uma brasa incandescente do altar e tocado nos lábios do profeta, aponta diretamente para a obra da purificação operada por Deus, e que para o homem pecador pode representar um processo doloroso.

O que significa séquito?

Séquito significa “comitiva” ou “cortejo”, indicando o conjunto de pessoas que acompanham alguém importante. Algumas traduções bíblicas empregam a palavra séquito para traduzir o hebraico shul em Isaías 6:1.

Embora na teofania descrita por Isaías o profeta tenha presenciado uma comitiva de seres angelicais que exaltavam a santidade, a majestade e o poder de Deus, isto é, um séquito, a melhor tradução para a palavra hebraica utilizada nesse texto é “aba”, referindo-se a cauda ou orla das vestes de Deus que enchia o Templo.

Isso está de acordo com outras vezes que essa palavra é aplicada na Bíblia para se referir a “barra de uma túnica” ou a “orla, borda ou aba de um vestido” (Êxodo 28:33,34; Lamentações 1:9).

O texto bíblico diz que o profeta viu o “Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda a as abas de suas vestes enchiam o templo” (Isaías 6:1). É importante entender que Isaías não está se referindo ao Templo terreno em Jerusalém, mas ao Templo celestial, ao trono de Deus (cf. Apocalipse 4:1-6; 5:1-7).

Assim, o profeta está fazendo referência à orla da glória das vestes do Senhor. Muitos estudiosos sugerem que estas vestes de glória serviam para ocultar de alguma forma a visão plena da grandeza de Deus, pois nenhum homem jamais poderia suportar contemplar.

Portanto, em última análise não é especificamente o manto que encheu o Templo, mas o próprio Deus, e a orla das vestes do Senhor contemplada pelo profeta de forma tão espantosa, indica uma barreira que nenhum mortal pode penetrar (cf. Êxodo 24:10).

Essa verdade também explica o porquê dos serafins terem tirado com a tenaz uma brasa do altar. O profeta havia contemplado a santidade de Deus, o que o levou ao profundo quebrantamento por conta de seu pecado e de seu estado indigno diante do Senhor, mas Deus providenciou que ele fosse purificado e comissionado ao ministério para qual foi escolhido.

Tag
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close