Por Que Perdoar Setenta Vezes Sete?

Setenta vezes sete é uma expressão utilizada por Jesus para indicar a abundância do perdão dispensado por seus seguidores àqueles que lhes ofendem. O versículo em que Jesus diz que seus discípulos devem perdoar não apenas sete vezes, mas até setenta vezes sete, está registrado no Evangelho de Mateus (Mateus 18:22).

Esse é um ensino muito importante, pois a disposição ao perdão é algo deve caracterizar os verdadeiros seguidores de Cristo. Assim como fomos alvos do extraordinário perdão de Deus, devemos também estar prontos a perdoar àqueles que porventura pecarem contra nós.

Quando Jesus disse que devemos perdoar setenta vezes sete?

Jesus utilizou a expressão “setenta vezes sete” como parte de sua resposta a uma pergunta feita pelo apóstolo Pedro acerca do perdão. A pergunta de Pedro foi feita num contexto em que Jesus ensinava acerca de como seus seguidores deveriam tratar um irmão culpado.

Parece que Pedro havia entendido que a repreensão e a disciplina aplicadas ao ofensor traziam consigo também a necessidade do perdão como parte fundamental (Mateus 18:15-20). Pedro sabia que deveria buscar a plena reconciliação perdoando o irmão que por acaso viesse a pecar contra ele.

Então diante disso, Pedro perguntou: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete vezes?” (Mateus 18:21). Jesus respondeu essa pergunta de Pedro de forma bem direta. Ele usou as seguintes palavras: “Eu lhe digo, não até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18:22). Depois disso Jesus exemplificou seu ensino através da Parábola do Credor Incompassivo.

Receber Estudos da Bíblia

O significado de perdoar setenta vezes sete

Como foi dito, o apóstolo Pedro tinha percebido a importância do perdão. Ele até queria saber quantas vezes a atitude de perdoar deveria ser manifestada pelos discípulos de Jesus. Mas aparentemente Pedro ainda não havia entendido parte essencial do que significa perdoar.

Parece que ele enxergava o perdão como algo quantitativo e não qualitativo. Ele perguntou a Jesus se deveria perdoar até sete vezes, como se o perdão pudesse ser mensurado. Talvez ele até pensasse que ao propor perdoar sete vezes, Jesus lhe elogiaria por tamanha generosidade.

W. Hendriksen diz que a pergunta de Pedro soava como se o espírito de perdão fosse uma mercadoria que pudesse ser pesada, medida e contada; como o ato de perdoar pudesse ser parcelado pouco a pouco até um limite bem definido. Se esse limite fosse atingido, então a distribuição do perdão deveria cessar.

Mas e resposta de Jesus definitivamente acabou com esse tipo de pensamento. Ele até respondeu a pergunta de Pedro usando da mesma lógica quantitativa; mas Jesus fez isso um modo que ficasse clara a qualidade abundante e incontável do perdão. É exatamente disso que se trata a expressão “setenta vezes sete”.

Pedro havia proposto que o limite de perdoar deveria ser sete vezes. Mas Jesus pegou o sete, multiplicou por dez e ainda multiplicou o resultado por mais sete; daí vem a fórmula “setenta vezes sete”. O resultado desse cálculo simples não era ensinar que seus discípulos deveriam perdoar quatrocentos e noventa vezes (que é o resultado de 70×7). Ao contrário disso, o objetivo de Jesus Cristo era ensinar que o verdadeiro perdão jamais poderá ser contabilizado. W. Hendriksen completa dizendo que Jesus utilizou a expressão “setenta vezes sete” para mostrar que o espírito do perdão genuíno não conhece fronteiras. O perdão é um estado de coração, não matéria de cálculo.

Então ao dizer que seus discípulos deveriam perdoar não apenas sete vezes, mas até setenta vezes sete, basicamente Jesus estava dizendo que seus seguidores deveriam perdoar sem jamais cessar; eles deveriam demonstrar essa atitude compassiva quantas vezes fosse preciso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close