A Importância de Perseverar em Oração com Fé

O verdadeiro cristão deve sempre perseverar em oração. Há muitos textos bíblicos que destacam a importância de o crente perseverar em suas suplicas diante de Deus crendo fielmente no cuidado do Pai Celestial.

Durante seu ministério terreno, Jesus Cristo ensinou que seus seguidores viver perseverando em oração. Uma dessas lições está registrada na Parábola do Juiz Iníquo. Nessa parábola Jesus fala sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

A perseverança necessária

Jesus usa a figura de uma viúva como um dos personagens centrais de sua parábola. A viúva tinha um adversário que de alguma forma estava lhe causando problemas. Jesus não entra em detalhes sobre a natureza do problema que envolvia a viúva e seu opositor.

Naquela época muitas viúvas viviam em situação extremamente precária. Muitas vezes aquelas pobres mulheres ficavam completamente desamparadas após a morte do marido. Não raramente uma viúva precisava se sujeitar uma condição serviu para quitar as dividas da família que o marido falecido não tinha conseguido liquidar. Por todos esses motivos as viúvas eram figuras constantes nos tribunais.

Quando Jesus comparou a importância da perseverança na oração com a insistência de uma viúva desamparada, Ele realmente estava fazendo uso de uma realidade bem conhecida de seus ouvintes. Jesus torna essa comparação ainda mais profunda ao contrastar o juiz terreno que julgou a causa da viúva e o Juiz Celestial que julga a causa de seus filhos.

Receber Estudos da Bíblia

A importância de perseverar em oração

A viúva da parábola de Jesus procurou um juiz de sua cidade para que ele julgasse sua causa. Mas esse juiz era mau e não queria atender ao pedido da viúva. No entanto, aquela mulher foi perseverante. Ela não desistiu diante da opressão de seu adversário e nem mesmo diante da recusa do magistrado iníquo.

A viúva mostrou tanta resiliência e importou o juiz de tal forma que no fim ela acabou sendo atendida. Em sua narrativa Jesus faz questão de destacar que a mulher teve seu pedido atendido não por causa da bondade do magistrado, mas por sua importunação.

Nesse ponto Jesus destaca a diferença da situação da viúva e da situação do cristão; do caráter do juiz terreno e do caráter do Juiz Celestial. A viúva não desanimou mesmo tendo que recorrer a um homem que não temia a Deus; ela perseverou mesmo nas piores circunstâncias. Mas os cristãos levam suas suplicas não diante de um homem mau, mas diante do Deus santo e justo. Isso significa que a perseverança na oração jamais é em vão. Isso porque Deus faz justiça aos seus escolhidos que clamam perseverantes diante dele.

Jesus garante que o Pai Celestial sempre responderá a oração de seu povo. Essa resposta, porém, pode até parecer tardia, mas ela ocorre no tempo exato determinado por Deus. Além disso, nem sempre essa resposta vem da maneira que o crente gostaria, mas sempre vem conforme os propósitos de Deus e seu cuidado especial para com aqueles clamam diante dele.

Em outra ocasião Jesus mais uma vez falou que seus seguidores deveriam sempre estar perseverando em oração. Na conclusão da Parábola do Amigo Importuno, Jesus trouxe a conhecida exortação de encorajamento: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta” (Lucas 11:9,10). Entenda o que significa “pedi, pedi e dar-se-vos-á”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close