Qual é a Diferença Entre Provação e Tentação?

Tentação e provação sãos dois tipos de testes com propósitos e naturezas diferentes. Por isso entender a diferença entre tentação e provação é algo fundamental ao cristão. Muitos, porém, não conseguem identificar essa diferença, principalmente porque normalmente a tentação e provação ocorrem simultaneamente.

As palavras “tentação” e “provação” traduzem exatamente os mesmos termos originais nos idiomas bíblicos. Isso significa que no hebraico e no grego as palavras para tentação e provação são as mesmas. De forma geral, o significado dessas palavras possui o sentido de “testar o valor, a qualidade e o caráter de alguém”.

Na verdade o uso exclusivo e limitado da palavra “tentação” como significando um teste sedutor com má intenção, é algo recente. Como foi explicado, os escritores bíblicos usaram a mesma palavra para indicar tanto testes bons quanto testes maus.

Mas isso não significa que o ensino bíblico não diferencia um teste de outro, pelo contrário. O capítulo 1 do livro de Tiago, por exemplo, revela o quanto é importante entender a diferença entre tentação e provação. Para Tiago, todo cristão deve ter ciência disso ao saber diferenciar a origem e o propósito do teste que lhe aflige.

Por isso algumas traduções bíblicas mais recentes procuraram facilitar a identificação entre esses dois tipos de testes. Essas traduções passaram a designar o teste malicioso com a palavra “tentação” e o teste benevolente com a palavra “provação”. Saiba o que significa uma provação na Bíblia.

Diferenciando tentação de provação

Se a provação e a tentação são testes, qual seria a diferença entre uma e outra? Em primeiro lugar, seguramente pode-se dizer que a principal diferença entre tentação e provação está na origem de cada uma. A tentação provém da própria corrupção da natureza humana e também de Satanás.

Tiago diz que cada um é tentado, quando atraído e seduzido por seus próprios desejos (Tiago 1:14). Além disso, o Diabo é apresentado na Bíblia como sendo um perigoso tentador (cf. Mateus 4:3; 1 Tessalonicenses 3:5).

Aqui é importante entender que Deus nunca tenta alguém. O mal moral não vem de Deus e Ele não induz ninguém ao pecado (Tiago 1:13). Por outro lado, a provação vem de Deus. O Senhor frequentemente testa o seu povo submetendo-o às provações.

Em segundo lugar, a diferença entre provação e tentação pode ser percebida através de seus propósitos diferentes. O objetivo da tentação é destruir o homem. A tentação quer levar o homem ao erro, expor suas debilidades, afundá-lo no pecado, enfraquecê-lo espiritualmente e afastá-lo de Deus. Entenda o que é uma tentação.

Já a provação possui finalidade pedagógica. O objetivo da provação é aperfeiçoar o homem. A provação serve para fortalecer espiritualmente o cristão, para amadurecer o seu caráter, para capacitar o cristão diante dos problemas, para desenvolver sua fé e aproximá-lo de Deus.

Então basicamente é possível dizer que tentação e provação são testes que se distinguem em origem e propósito. Quando o teste for feito com o propósito malicioso de expor a fraqueza de alguém ou induzi-lo ao pecado, chama-se de tentação. Obviamente um teste assim jamais será proveniente de Deus. Já quando o teste for feito com o propósito benevolente de provar e aperfeiçoar a qualidade de alguém, chama-se de provação, e Deus testa o seu povo dessa forma.

Quando a tentação e a provação ocorrem simultaneamente

Normalmente uma provação vem acompanhada pela tentação. Isso não significa que é Deus quem envia a tentação, mas significa que durante uma provação enviada por Deus o crente pode ser tentado a pecar por causa da própria corrupção de seu coração ou pela ação maligna.

Há vários exemplos bíblicos de como isso acontece. A história de Jó é um desses exemplos. Da parte de Deus Jó foi provado, ele teve sua fé e fidelidade ao Senhor testadas. Isso, no entanto, ocorreu porque Deus permitiu que Satanás tentasse Jó. Então da parte de Satanás, Jó foi tentado a abandonar sua fé e blasfemar contra Deus. Mas Satanás operou dentro dos limites estabelecidos por Deus. Nesse sentido Satanás foi apenas um instrumento de Deus para demonstrar que Jó seria capaz de suportar as provações.

Na história de Abraão também encontramos um dos exemplos mais conhecidos de provação. Deus provou sua fé e obediência pedindo-lhe seu filho Isaque em sacrifício. Esse foi o teste que veio da parte de Deus e teve como objetivo revelar e aperfeiçoar ainda mais a fidelidade de Abraão. Mas se por acaso em algum momento Abraão pensou na possibilidade de não obedecer a ordem de Deus, isso consistiu numa tentação que não teve origem em Deus, mas em seu próprio coração falho.

Isso nos ensina que nossa natureza pecaminosa pode transformar uma provação em tentação. Por exemplo: Deus pode provar um crente através de um período de desemprego. Mas se durante esse tempo o crente considerar obter recursos de forma ilícita, a provação passará a ser uma tentação e Deus de forma alguma será culpado disso. O homem é seduzido ao pecado por sua própria vontade caída.

Em outras palavras, o servo de Deus é testado, e durante esse teste ele se vê exposto tanto às possibilidades boas e legítimas quanto às possibilidades más e ilícitas, e ele é fortemente induzido a escolher o mal; tanto por causa de sua própria natureza como pela obra de Satanás.

Receber Estudos da Bíblia

Passando pelas provações e vencendo as tentações

Mas a boa notícia e que as provações e até as tentações ocorrem dentro dos limites determinados por Deus. Mais uma vez aqui podemos recorrer à história de Jó (Jó 1:11; 2:5). Deus dá graça suficiente para que seus servos passem as provações; bem como dá o escape necessário para que eles resistam e vençam às tentações.

Por isso o apóstolo Paulo escreve: “Nenhuma tentação sobreveio a vocês exceto aquela que é comum a todos. Mas Deus é fiel, que não deixará que vocês sejam tentados além daquilo que vocês conseguem suportar; mas com a tentação Ele também providenciará o modo de escapar para que vocês a possam suportar” (1 Coríntios 10:13).

Como já foi tido, a palavra grega para tentação e provação é a mesma. Então surge a pergunta: Paulo está falando de tentação ou de provação? Muitos estudiosos consideram que talvez o apóstolo tivesse em mente ambos os sentidos, especialmente por causa da conexão que pode ocorrer entre a provação e a tentação.

Seja como for, o importante é que nada foge do controle de Deus. Além disso, os fieis que suportam as provações e vencem as tentações recebem a promessa de uma grande recompensa: a coroa da vida (Tiago 1:12; Apocalipse 2:10).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close