O Que São e Quais São os Dons Espirituais?

Os dons espirituais são habilidades especiais que o Espírito Santo concede aos crentes com a finalidade de equipá-los para o serviço na obra de Deus. Através do uso dos dons espirituais, os cristãos são mutuamente edificados e o Evangelho de Cristo é proclamado.

Sempre há alguma dúvida sobre quais são os dons espirituais, porque a Bíblia traz diferentes listas de dons. Na verdade, no Novo Testamento encontramos pelo menos quatro listas de dons do Espírito Santo para a Igreja.

As listas de dons espirituais

O apóstolo Paulo foi quem mais escreveu sobre os dons espirituais na Bíblia. Na Carta aos Romanos, Paulo fornece uma lista na qual ele destaca os dons de profecia, ministério, ensino, exortação, contribuição, liderança e misericórdia (Romanos 12:6-8).

Escrevendo aos coríntios, Paulo registrou uma lista mais completa de dons espirituais, incluindo os dons de sabedoria, ciência, fé, cura, operação de milagres, profecia, discernimento de espíritos, variedades de línguas e interpretação de línguas (1 Coríntios 12:4-11).

Na sequência do mesmo capítulo, Paulo repete alguns desses mesmos dons, mas também adiciona outros dons que ele ainda não tinha citado — dons de prestar ajuda e de administrar — juntamente com o que talvez podemos chamar de “dons de ofício” — apóstolo, profeta e mestre — (1 Coríntios 12:28).

Falando em dons de ofício para a Igreja, o mesmo apóstolo ainda fornece outra lista de dons dessa categoria em sua Carta aos Efésios, na qual ele destaca: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres (Efésios 4:11). Paulo fala desses ofícios como dons no sentido de que as pessoas que os exercem são, elas mesmas, dons de Deus para a Igreja.

Por fim, o apóstolo Pedro também traz a lista mais breve do Novo Testamento sobre os dons espirituais. Na realidade, parece que a lista de Pedro é mais uma lista de categorias de dons espirituais, pois ele resume os dons apenas em “dons de falar” e “dons de servir” (1 Pedro 4:11).

Considerando tudo isso, talvez seja preferível entender que quando a Bíblia fala em “dons espirituais” ou “dons do Espírito”, o seu significado pretendido é muito amplo, podendo ser aplicado em diferentes sentidos. Por isso é difícil reduzir essas expressões a uma única definição ou conceito.

Quantos dons espirituais existem?

As pessoas costumam perguntar quantos dons do Espírito Santo existem, ou quais são os dons espirituais na Bíblia. Mas a verdade é que com base nas listas bíblicas de dons espirituais que os crentes recebem de Deus, é fácil perceber que nenhuma delas é exaustiva. Isso significa que essas listas são apenas representativas, ou seja, elas apenas trazem exemplos dos mais variados dons que o Espírito Santo concede à Igreja de Cristo.

Por isso nenhuma dessas listas são exatamente iguais. Nenhuma das listas inclui todos os dons registrados nas outras listas. Inclusive, em outras passagens bíblicas mais dons são mencionados. Por exemplo: apesar de 1 Coríntios 12 ser o capítulo da Bíblia que traz a lista mais detalhada de dons espirituais, em outra parte da mesma epístola o apóstolo Paulo menciona o casamento e o celibato como dons que as pessoas recebem da parte de Deus (1 Coríntios 7:7).

Então o correto é entendermos que o Espírito Santo dá inúmeros dons ao povo de Deus. Portanto, antes de tentarmos estipular uma lista fechada de quantos dons espirituais existem, o melhor é entendermos que a Bíblia simplesmente ensina a diversidade dos dons.

Receber Estudos da Bíblia

A classificação dos dons espirituais

Tendo em vista essa variedade de dons, os estudiosos têm procurado classificar os diferentes dons espirituais mencionados na Bíblia em categorias. Nesse ponto, também não há unanimidade entre os estudiosos.

Alguns preferem organizar os dons em duas categorias: dons relacionados a capacidades naturais (ensino, misericórdia, administração, etc.) e dons relacionados a capacidades espirituais (profecias, curas, línguas, discernimento de espíritos, etc.). Com base nesse tipo de classificação, muitos comentaristas observam que há dons espirituais que são dados desde o nascimento como habilidades naturais que depois acabam sendo ainda mais desenvolvidas pelo Espírito Santo no exercício do ministério cristão, enquanto outros dons são capacitações dadas aos crentes em algum momento posterior.

Outros preferem adotar a mesma classificação apresentada pelo apóstolo Pedro: dons de falar (profecia, ensino, línguas, etc.) e dons de servir (misericórdia, administração, contribuição, etc.). De fato, todos os mais variados dons espirituais se enquadram numa dessas duas categorias.

Outra classificação muito popular dos dons do Espírito Santo é aquela que organiza os dons em três categorias: dons de conhecimento (discernimento de espíritos, palavra da sabedoria, palavra da ciência, etc.), dons de poder (operação de maravilhas, curas, fé, etc.) e dons de falar (variedade de línguas, interpretação, profecia, etc.). E há ainda a categoria dos dons de ofícios para o ministério (apóstolo, profeta, evangelista, mestre e pastor).

Quando falamos em diferentes classificações dos dons espirituais, também precisamos admitir que não é tão fácil identificar os limites entre um dom e outro. É possível que alguns dons se sobreponham uns aos outros. Por exemplo: o dom de curar provavelmente tem a ver com o dom de operação de milagres.

Qual é o dom espiritual mais importante?

As listas de dons espirituais no Novo Testamento não possuem a finalidade de estabelecer uma hierarquia de dons, visto que todos os dons espirituais são notáveis, já que são concedidos e energizados pelo Espírito de Deus.

Mas embora todos os dons espirituais sejam importantes e igualmente tenham o seu valor como dádivas do Espírito para a Igreja, parece que certos dons possuem algum tipo de primazia, pois seu impacto na edificação da Igreja é maior.

Por exemplo: Paulo inicia suas listas de dons em 1 Coríntios 12:8 e Efésios 4:11, citando, primeiramente, o ofício apostólico. Isso faz sentido, já que o apostolado era o principal ofício de autoridade no período do Novo Testamento.

Outro exemplo é a comparação que Paulo faz dos dons de profecia e de línguas. Paulo indica que o dom de profecia é mais elevado que o dom de línguas. Inclusive ele coloca o dom de línguas em último lugar em sua lista.

Com isso, o Paulo não está dizendo, por exemplo, que o dom de profecia é bom e o dom de línguas é ruim. Na verdade, ele está fazendo uma classificação entre o que é bom e o que é melhor; entre o que é elevado e o que é mais elevado. Para Paulo, o dom de línguas é bom, mas o dom de profecia é melhor, pois tem uma aplicação mais efetiva na edificação da Igreja e na proclamação da verdade de Deus ao mundo.

O significado dos dons espirituais

Não é uma tarefa fácil determinar o caráter específico de cada dom espiritual. Isso porque o Novo Testamento não traz uma descrição detalha de cada um deles. Mas em termos gerais, podemos certamente ter uma ideia do que cada um deles significam na vida prática da Igreja.

Dons de ministério

Começando com os dons de ofício ou ministério, primeiro temos apóstolos, depois profetas, evangelistas, pastores e mestres. Esses dons ministeriais dizem respeito ao governo e liderança da Igreja. Os apóstolos foram escolhidos e comissionados por Jesus para lançarem os fundamentos da Igreja servindo como agentes da revelação de Deus nos tempos em que a Escritura do Novo Testamento estava sendo produzida (Efésios 2:20).

Os profetas são aqueles que proclamam a verdade de Deus com autoridade para exortar, encorajar e advertir os crentes. Os evangelistas são pessoas que recebem um dom especial para anunciar o Evangelho. Já os pastores e mestres são aqueles que pastoreiam e instruem o povo de Deus. Obviamente aqueles que exercem esses ofícios também são capacitados com outros dons espirituais como os dons de liderança, ensino, sabedoria, conhecimento, governo etc.

Dons miraculosos, de fala e de conhecimento

Falando dos dons espirituais mais miraculosos, temos os dons da fé, cura e operação de milagres. Não sabemos por que Paulo faz essa distinção, já que uma cura sobrenatural também é uma operação milagrosa e implica no exercício do dom da fé. É possível que dentro do dom de operação de milagres, Paulo tivesse em mente outras manifestações extraordinárias do poder de Deus além da cura.

Em seguida, temos os dons de variedade de línguas e interpretação. Há muita controvérsia sobre o caráter do dom de línguas. Alguns defendem que esse dom se refere a habilidade especial de falar em idiomas estrangeiros de forma sobrenatural como aconteceu no Pentecostes (Atos 2:4-11). Outros defendem que se trata de uma habilidade para desenvolver uma fala estática que pode ser usada na oração e adoração.

O dom de profecia é outro dom espiritual sempre muito debatido. Basicamente profetizar é falar a Palavra de Deus. Mas o Novo Testamento não apresenta uma definição clara sobre a natureza do exercício desse dom.

Por isso alguns entendem que esse dom seja uma habilidade de predizer o futuro ou comunicar algo revelado por Deus de forma sobrenatural. Já outros entendem que o dom de profecia tem mais a ver com a habilidade de proclamar a vontade de Deus através da interpretação e aplicação da verdade já revelada na Escritura. Seja como for, é certo que a profecia resultante do exercício desse dom jamais pode ser equipara à Escritura.

Também é difícil saber o significado dos dons que Paulo chama de “palavra de sabedoria” e “palavra de conhecimento”. Alguns estudiosos têm sugerido que a “palavra de sabedoria” seja o dom de se pronunciar sabiamente e poder resolver questões espirituais difíceis; enquanto que a “palavra de conhecimento” talvez seja a habilidade de comunicar de forma especial o conhecimento de Deus.

Por fim, o dom de discernimento de espíritos significa a habilidade de julgar e identificar, à luz da Escritura, aquilo que procede de Deus e aquilo que é falso e contrário a Deus. Esse é um dom espiritual importante para proteger a Igreja do erro e do engano.

Dons de socorro, misericórdia, governo, liderança e contribuição

O dom de socorro é uma capacitação espiritual para o crente exercer a habilidade prestar ajuda aos outros. É claro que esse dom está diretamente ligado ao dom de misericórdia, pois aquele que socorre é aquele que se compadece da necessidade do próximo.

O dom de governo é um dom para a administração. Provavelmente esse dom também está relacionado ao dom de liderança. Já o dom de contribuição é também um dom de serviço à medida que o crente dispõe os seus recursos para o bom andamento da obra de Deus na terra.

Qual é o propósito dos dons espirituais?

Os dons espirituais possuem o propósito de equipar a Igreja para o serviço de proclamar o Evangelho e trazer glória a Deus até o retorno de Cristo (1 Coríntios 1:7). Nesse sentido, os dons espirituais servem para a edificação da Igreja como o Corpo de Cristo. Isso quer dizer que o propósito dos dons espirituais não é identificar qual dos crentes é o mais espiritual.

Os dons do Espírito possuem uma finalidade coletiva, e não uma finalidade individualista para enriquecer os indivíduos que os possuem. Por isso nenhum crente possui todos os dons; bem como todos os crente sempre possuem algum dom (1 Coríntios 12:14-21). Então fica claro que dessa forma, os dons espirituais também servem para revelar que os membros da Igreja precisam uns dos outros.

Outro ponto importante é que o Espírito Santo distribui os dons espirituais conforme a sua vontade (1 Coríntios 12:11). Por esse motivo não é correto eleger um determinado dom como sendo o sinal da operação do Espírito Santo na vida de uma pessoa. Partindo do princípio que os dons espirituais são habilidades especiais dadas aos crentes soberanamente pelo Espírito Santo, é injusta e incoerente qualquer abordagem nesse sentido.

Por exemplo: não podemos dizer que apenas aqueles que profetizam ou falam em línguas são os que possuem o poder do Espírito em suas vidas, pois a Bíblia fala que nem todos os crentes profetizam ou falam línguas; mas ainda assim ela diz que todos os crentes são batizados no mesmo Espírito (1 Coríntios 12:13-31).

Por fim, em certo sentido os dons espirituais também prenunciam o poder e as maravilhas que desfrutaremos na eternidade. A Bíblia diz que o Espírito Santo é o selo garantidor da nossa herança. Então os dons que ele concede aos crentes certamente dão uma amostra da realidade superior da bem-aventurança eterna na presença de Deus.

Por exemplo: através do dom da cura, Deus restaura a saúde de alguém, e isso nos faz vislumbrar o dia em que teremos um corpo glorificado não mais sujeito a qualquer enfermidade. Portanto, cabe a nós identificar, desenvolver e usar os dons espirituais que o Espírito Santo nos concede.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar