Quem Escreveu o Livro de Eclesiastes?

Não se sabe ao certo quem escreveu o livro de Eclesiastes, mas para muitos eruditos seu autor foi o rei Salomão. Na verdade o autor do livro de Eclesiastes se autodenomina apenas como “o Pregador”, ou seja, ele não registra especificamente seu nome.

O significado de “Eclesiastes”

Antes de falarmos sobre o autor do livro de Eclesiastes, é interessante saber que a palavra “Eclesiastes” significa “aquele que reúne a comunidade da Aliança”, do original hebraico qoheleth. Por isso o título do livro também pode ser traduzido como “Pregador”.

O que se sabe sobre o autor de Eclesiastes: foi ele Salomão?

No livro de Eclesiastes encontramos algumas pistas sobre seu autor:

  • O autor de Eclesiastes era um descendente do rei Davi (Ec 1:1).
  • O autor de Eclesiastes alega ter sido rei sobre Israel em Jerusalém (Ec 1:12).
  • O autor de Eclesiastes era muito sábio (Ec 1:16).
  • O autor de Eclesiastes era muito rico e poderoso (Ec 2:4-9).

Com base nessas características, pode-se concluir que a melhor possibilidade é a de que o sábio rei Salomão foi quem escreveu esse livro. Além disso, no último capítulo do livro encontra-se uma provável homenagem e referência a sabedoria de Salomão (Ec 12:9-14).

Entretanto, alguns intérpretes apontam que o estilo de linguagem hebraica empregada na construção do livro, combinado a crítica a respeito dos governantes encontrada nele, podem indicar que o escritor do livro de Eclesiastes viveu num período posterior ao de Salomão (Ec 4:13; 7:19; 8:2-4; 10:4-7).

Se for esse o caso, então o livro de Eclesiastes é uma obra pertencente à tradição sapiencial e que usa o nome de Salomão como referência por ter sido este o expoente máximo dessa tradição.

Se realmente Salomão for o autor de Eclesiastes, então é razoável assumir que esse livro passou por um tipo de modernização da linguagem num período posterior, o que explicaria o estilo do hebraico que não condiz com a época em que ele viveu.

Também é possível que o escritor do livro na verdade tenha utilizado como texto fonte alguma obra de Salomão contendo um comentário sobre a vida, “Vaidade de vaidades, tudo é vaidade”, e construiu toda a argumentação do livro em cima dessa reflexão, demonstrando que até mesmo o sábio e rico Salomão tinha tal perspectiva.

Outra possibilidade também é a de que o autor de Eclesiastes pode ter utilizado propriamente uma coleção de provérbios de Salomão e apenas tê-la organizado e estruturado no formato final a qual conhecemos tal livro.

Considerando todas essas possibilidades, ainda assim é mais provável, e amplamente aceito, que realmente o sábio rei Salomão foi quem escreveu o livro de Eclesiastes.

Quando o escritor de Eclesiastes escreveu esse livro?

A resposta para essa pergunta dependerá da resposta adotada sobre quem escreveu o livro de Eclesiastes. Para quem defende que Salomão é o autor em questão, então o livro foi escrito durante seu reinado a partir do século 10 a.C.

Já para quem entende que Salomão não escreveu Eclesiastes, então a melhor data para esse livro ter sido escrito foi em algum período após o exílio na Babilônia, portanto, a partir do século 6 a.C. Alguns estudiosos sugerem uma data bem recente, em cerca de 200 a.C.

Receber Estudos da Bíblia

Qual é a mensagem principal do livro de Eclesiastes?

O escritor de Eclesiastes examina a vida de todas as perspectivas, procurando analiticamente onde se pode encontrar satisfação e contentamento nela. A conclusão dele é que a vida não tem sentido, a menos que se deposite a confiança em Deus, pois nele está a chave para a realização humana.

Portanto, o escritor de Eclesiastes reflete sobre a futilidade da vida e apresenta a resposta da fé prática como algo fundamental. Com isso, o autor aconselha seus leitores a viver a vida dia a dia, passo a passo, glorificando ao Senhor por cada detalhe de seu cotidiano que é recebido de suas mãos, confiando que somente Ele é quem conhece todas as coisas e conduz a História segundo os seus propósitos. Assim, cabe ao homem se contentar com tudo aquilo que Deus o dá (Ec 2:24-3:15; 5:18-20).

O autor também reflete sobre o problema da injustiça, e aponta para a verdade de que Deus julgará a todos (Ec 3:17). O ponto mais conhecido do livro de Eclesiastes é quando seu autor aconselha seus leitores a lembrar-se de Deus ainda na mocidade, antes que a idade avance e enfraqueça as faculdades (Ec 11:9-12:8).

A pergunta principal que permeia todo o livro, feita pelo autor de Eclesiastes: “Que proveito tem?”. Ele contrasta a sabedoria humana frente os insondáveis desígnios de Deus (Ec 6:8-12:7), e aconselha que o homem deve desfrutar da vida, trabalhando com todo vigor, apesar das incertezas e dificuldades, sabendo que tudo o que acontece, seja bom ou ruim, nada foge do controle de Deus e está debaixo de seus desígnios soberanos (Ec 7:13-14).

O escritor de Eclesiastes enfatiza tanto a responsabilidade humana em obedecer ao Senhor como a soberania de Deus, inclusive expondo que se nós o obedecemos é porque, por sua soberana provisão, ele nos capacitou a isso.

Independentemente da discussão sobre quem escreveu o livro de Eclesiastes, o importante é reconhecer que Deus é o seu verdadeiro autor, visto que toda a mensagem do livro consiste no sábio conselho de que devemos viver uma vida temente a Deus, mesmo que muitas vezes a achamos difícil ao não compreendermos os propósitos divinos, visto que um dia haveremos de prestar-lhe contas de tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close