Quem Escreveu o Livro do Apocalipse?

Quem escreveu o livro do Apocalipse foi um homem chamado João (Apocalipse 1:1-9; 22:80). No entanto, ao longo dos séculos, tem sido discutido quem é esse João autor do Apocalipse. Para muitos se trata do apóstolo João, enquanto que para outros, tal escritor é um cristão do primeiro século até então desconhecido.

Quem escreveu o Apocalipse?

As maiores evidências apontam para o apóstolo João, o discípulo amado, como sendo o escritor do livro do Apocalipse, mas como foi dito, há quem conteste esta possibilidade. Quem sugere que o apóstolo João não é o autor do Apocalipse, geralmente se baseia em algumas características do próprio livro:

1) Existe uma diferença significativa entre o estilo de escrita do Apocalipse e as outras obras escritas pelo apóstolo João (o Quarto Evangelho e as três Epístolas).

2) Fazendo uma comparação entre o Quarto Evangelho e o Apocalipse, é possível perceber que o Evangelho é escrito em um grego mais culto e refinado, enquanto que o livro do Apocalipse é escrito em um grego mais bruto e com expressões hebraístas.

3) Em seus outros escritos o apóstolo João jamais se identifica nominalmente como faz o escritor do Apocalipse.

Receber Estudos da Bíblia

4) Alguns também alegam que existem diferenças teológicas e doutrinárias entre o Apocalipse e os livros escritos pelo apóstolo João.

5) É comum que em obras apocalípticas os autores se identifiquem com pseudônimos. Então, um cristão do primeiro século, talvez discípulo do próprio apóstolo João, poderia ter sido o autor do Apocalipse e se escondido atrás de seu nome.

O debate sobre a autoria do livro do livro do Apocalipse vem desde muito cedo. Já no século 3 d.C., por exemplo, Dionísio de Alexandria defendeu que o escritor do Apocalipse é outro João e não o discípulo de Jesus. O importante historiador Eusébio também adotou a mesma interpretação.

Por outro lado, quem defende que o autor do livro do Apocalipse realmente foi João, o apóstolo de Jesus, levanta os seguintes argumentos:

1) O fato de o autor do Apocalipse se identificar apenas como “João” não deve ser tomado como uma fraqueza, ao contrário, pois que o outro João do primeiro século poderia se identificar às igrejas da Ásia Menor simplesmente como “João”? Obviamente o apóstolo João era o “João” mais conhecido de sua época entre os cristãos.

2) Realmente existem diferenças no estilo e na gramática entre o livro do Apocalipse e as demais obras do apóstolo, mas isto pode ser perfeitamente compreendido. Talvez João tenha tido o auxílio de assistentes que lhe serviram como secretários quando ele escreveu o Quarto Evangelho e as Epístolas, algo comum na época. Por outro lado, quando escreveu o livro do Apocalipse, João estava exilado na Ilha de Patmos, e provavelmente o escreveu de próprio punho, o que explica tais diferenças.

3) Ainda com relação às diferenças, também é justo considerar que não se pode exigir total semelhança em uma série de textos com naturezas diferentes. O Evangelho narra eventos históricos, as Epístolas é uma carta pessoal do próprio apóstolo com objetivos doutrinários, e o Apocalipse é o registro de uma revelação com muito conteúdo escatológico.

4) Também é correto observar que quando o autor do livro do Apocalipse o escreveu, ele estava submetido a uma condição emocional singular, recebendo uma série de visões profundas do próprio Deus. Além disso, é notável o uso maciço de textos do Antigo Testamento em sua composição, o que naturalmente já ocasionaria algumas diferenças de estilo.

5) Se por um lado é correto admitir as diferenças entre o Apocalipse e os demais escritos joaninos, por outro também é correto admitir as semelhanças. Comparando o Apocalipse com o Quarto Evangelho, tais semelhanças podem ser vistas tanto na repetição de expressões em comum como na estrutura do próprio texto, por exemplo:

  • No Evangelho encontramos os sete “Eu sou” de Jesus (João 6:35,51; 8:12; 9:5; 10:7,9; 10:11,14; 11:25,26; 14:6-7; 15:1,5), assim como no Apocalipse o padrão de “sete” na organização do conteúdo é marcante (ex.: o livro é dividido em sete seções, existem sete referências à volta de Cristo, sete bem-aventuranças, sete igrejas, sete selos, sete taças, sete trombetas etc.). Saiba mais sobre como estudar o Apocalipse.
  • No Quarto Evangelho e no Apocalipse, Jesus é apresentado como o Cordeiro de Deus (ex.: cf. João 1:29 e Apocalipse 5:12).
  • No Quarto Evangelho e nas Epístolas, João aplica o título de “o Verbo” ao Senhor Jesus, exatamente como acontece no Apocalipse (cf. João 1:1; 1 João 1:1 e Apocalipse 19:13).

6) A Igreja Primitiva afirmou de forma praticamente unânime que quem escreveu o Apocalipse foi o apóstolo João. O próprio Irineu no século 2 d.C., que foi discipulado por um discípulo do apóstolo João, atribuiu a ele a autoria do livro do Apocalipse. Justino Mártir (140 d.C.), Clemente de Alexandria (200 d.C.), Tertuliano (220 d.C.), Orígenes de Alexandria (225 d.C.) e Hipólito (240 d.C.), também reconhecem que o apóstolo João foi o autor do Apocalipse.

7) Existe uma tradição muito respeitada na História do Cristianismo que afirma o exílio do apóstolo João na Ilha de Patmos, e que depois seus últimos dias se deram vivendo em Éfeso. Aqui vale lembrar que a primeira das sete cartas do Apocalipse foi dirigida justamente a igreja em Éfeso.

O grande Autor do Apocalipse

Quando se discute quem escreveu o livro do Apocalipse, obrigatoriamente devemos lembrar que João apenas recebeu as revelações e registrou a mensagem que foi derivada diretamente de Jesus Cristo e de Deus Pai. Na verdade, o próprio escritor do livro enfatiza este princípio, e faz questão de atestar sua plena autoridade divina (Apocalipse 1:10,11; 22:16-20).

Portanto, se as maiores evidências apontam que quem escreveu o livro do Apocalipse foi o apóstolo João, toda essa discussão é ofuscada diante da realidade de que o grande autor do livro do Apocalipse é o próprio Deus.

Tag
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close