Quem foi Barnabé na Bíblia?

Muitos cristãos ficam curiosos para saber quem foi Barnabé por conta de sua parceria com o apóstolo Paulo descrita no livro de Atos dos Apóstolos. Nesse texto nós conheceremos um pouco mais sobre a história de Barnabé, e o importante papel que ele desempenhou na Igreja Primitiva.

Quem foi Barnabé?

Barnabé foi um membro da Igreja Primitiva de Jerusalém, descendente da tribo de Levi, originário de uma família sacerdotal judaico-cipriota. Em Atos 4:36, somos informados que Barnabé vendeu uma propriedade, talvez em Chipre, e trouxe o dinheiro da venda do imóvel aos apóstolos para que as necessidades dos membros mais pobres da igreja de Jerusalém fossem supridas.

Sobre Barnabé, Lucas escreve o seguinte perfil no livro de Atos dos Apóstolos:

Este, ali chegando e vendo a graça de Deus, ficou alegre e os animou a permanecerem fiéis ao Senhor, de todo o coração.
Ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé; e muitas pessoas foram acrescentadas ao Senhor.
(Atos 11:23,24)

O ministério de Barnabé ficou mais notório quando chegou a Jerusalém a informação de que na Antioquia da Síria os cristãos helenistas, que haviam se refugiado ali devido à perseguição que se iniciou na Judéia após a morte de Estêvão, estavam promovendo uma grande evangelização.

Barnabé, então, foi enviado para lá, com o intuito de verificar a situação, e agir conforme achasse mais apropriado. Ao chegar ali, Barnabé ficou maravilhado por ver muitos gentios pagãos se convertendo ao Evangelho pela graça de Deus. Logo, ele foi de grande valia para que aquela evangelização ganhasse ainda mais força. Barnabé era primo de João Marcos de Jerusalém (Cl 4:10)

O que significa Barnabé?

Poucas pessoas se lembram, mas “Barnabé” foi um nome dado pelos apóstolos. Seu nome verdadeiro era José (At 4:36). Lucas interpreta o nome Barnabé como “filho da consolação” ou “filho da exortação”. Na verdade a etimologia desse nome não é tão fácil, e envolve alguma dificuldade com a transcrição grega.

O importante é que Lucas não se concentrou nessa questão da etimologia, nem mesmo se propôs a apresentar uma explicação detalhada sobre o assunto. O objetivo de Lucas era apenas indicar o caráter do personagem, e isso foi plenamente cumprido.

Paulo e Barnabé

Barnabé teve uma contribuição significativa no ministério do apóstolo Paulo. Em Atos 9:27 ele apresenta e recomenda Saulo de Tarso aos apóstolos, quando este retornou a Jerusalém no terceiro ano após a sua conversão. Os cristãos de Jerusalém estavam desconfiados sobre Saulo, muitos achavam que ele era um espia. Então Barnabé convenceu-os que Saulo era um cristão verdadeiro.

Então Barnabé o levou aos apóstolos e lhes contou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado corajosamente em nome de Jesus.
(Atos 9:27)

Quando Barnabé foi enviado para Antioquia, após algum tempo de trabalho, ele viu a necessidade de auxilio naquela obra. Na ocasião, ele percebeu ser uma oportunidade propícia para Paulo. Logo, mandou trazer Paulo. Ali foi o início de uma grande obra missionária.

Houve uma época de grande fome e escassez e Paulo e Barnabé visitaram Jerusalém para levar uma oferta de auxilio contra a fome que assolava a região (At 11:30). Na ocasião, foi reconhecida o chamado de ambos para trabalharem entre os gentios (Gl 2:9).

Um fato interessante é que mesmo Barnabé, acostumado a trabalhar com os gentios, para não se indispor na presença do apóstolo Pedro quando este não resistiu à pressão dos judaizantes, também interrompeu temporariamente a comunhão na mesa com os irmãos gentios, e participou do que Paulo chamou de “hipocrisia“.

Pois, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele comia com os gentios. Quando, porém, eles chegaram, afastou-se e separou-se dos gentios, temendo os que eram da circuncisão.
Os demais judeus também se uniram a ele nessa hipocrisia, de modo que até Barnabé se deixou levar.
(Gálatas 2:12,13)

Apesar desse episódio, Barnabé demonstrou em várias ocasiões que havia aceitado sem restrições os gentios na fé em Jesus Cristo (At 13:46). Isso podemos ver tanto pelo seu grande trabalho em Antioquia, quanto nos resultados da viagem juntamente com Paulo, onde, começando por Chipre e indo até bem dentro da Ásia Menor, resultou na plantação de várias comunidades cristãs predominantemente gentias.

Uma segunda vez Barnabé e Paulo precisaram ir até Jerusalém, para participarem do Concílio relatado no capítulo 15 do livro de Atos, onde foi discutido e decidido com os líderes da igreja em Jerusalém, a maneira a qual os gentios convertidos seriam admitidos à comunhão da Igreja de Cristo.

Na época, grupos judaizantes estavam forçando cristãos gentios a observarem costumes judaicos. Ficou certo nesse Concílio que isso deveria ser combatido, e que os cristãos gentios não tinham qualquer obrigação concernente a esses costumes.

Na primeira viagem de Paulo e Barnabé, até um determinado momento Barnabé era o líder. Após o abandono de seu primo João Marcos, que desistiu da viagem e voltou para Jerusalém, nitidamente Paulo assumiu a liderança.

A deserção de João Marcos causou impacto até mesmo na segunda viagem planejada por eles. Barnabé insistiu que Marcos deveria ser incluindo na viagem, porém Paulo não aceitou, o que acabou dividindo o itinerário da viagem, com Barnabé ficando em Chipre (At 15:36-40). Paulo seguiu com seus planos e Silas foi quem o acompanhou.

Mesmo tendo tomado rumos diferentes, a amizade entre Paulo e Barnabé não foi desfeita. Todas as vezes que Paulo se refere a Barnabé, ele demonstra respeito, afeição e estima, reconhecendo-o como seu companheiro missionário para os gentios (1Co 9:6).

O próprio Paulo, anos mais tarde, escrevendo a Timóteo, pediu que João Marcos fosse encontrar-se com ele, pois acreditava que ele lhe seria muito útil para o ministério (2Tm 4:11). Isso pode significar que Barnabé fez um ótimo trabalho preparando João Marcos.

Nós nunca saberemos o quanto Barnabé contribuiu para o grandioso ministério de Paulo, isso apenas o próprio Paulo saberia responder. Sabemos que quando o apóstolo escreveu a Primeira Epístola aos Coríntios, Barnabé ainda estava vivo e sustentava-se sem depender das igrejas (1Co 9:6), de maneira semelhante ao próprio Paulo.

Receber Estudos da Bíblia

O que mais sabemos sobre a história de Barnabé?

Fora esses relatos bíblicos, tudo o que se sabe sobre Barnabé é contado por algumas tradições sem muita fundamentação. Tais tradições o associam com Roma e Alexandria. Existe uma epístola anônima proveniente de Alexandria a qual algumas dessas tradições o vinculam a ela.

Além disso, Barnabé é considerado entre um dos possíveis autores da Epístola aos Hebreus. Seu nome tem sido ligado a essa carta desde os tempos de Tertuliano. Vale ressaltar também que o Evangelho de Barnabé nada tem haver com ele. Na verdade trata-se de uma obra medieval não-cristã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close