Quem Foi Bartolomeu na Bíblia? Bartolomeu é Natanael?

Bartolomeu foi um do doze discípulos de Jesus. As únicas referências bíblicas sobre ele encontramos justamente nas listas dos nomes dos discípulos (Mateus 10:3; Marcos 3:18; Lucas 6:14; Atos 1:13). Algo curioso é o fato de Bartolomeu sempre ser mencionado nessas listas após Filipe.

Alguns estudiosos acreditam que havia um agrupamento quádruplo dos discípulos que trabalhavam em duplas. De acordo com essa possibilidade, então Bartolomeu e Filipe eram companheiros no segundo grupo, liderado por Filipe.

O nome Bartolomeu, Bartholomaios, translitera o aramaico que significa “filho de Tolmai”. Esse nome é encontrado na Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento) e nas obras de Flávio Josefo em várias formas.

Quem foi Bartolomeu? Ele é o mesmo Natanael?

Desde o século 9, muitos intérpretes têm identificado Bartolomeu como sendo o Natanael que aparece no Evangelho de João. O nome Natanael significa “Deus deu” ou “dom de Deus”. Essa sugestão é levantada pelo fato de que os Evangelhos Sinóticos mencionam Filipe e Bartolomeu onde o Evangelho de João menciona Filipe e Natanael. Além disso, João nunca menciona Bartolomeu em sua narrativa.

Apesar de parecer fácil estabelecer essa relação, a evidência não é conclusiva. Outras tentativas de identificar Natanael como um dos doze foram feitas. As sugestões sobre quem seria Natanael são: Mateus, Matias e João filho de Zebedeu. Mas obviamente a melhor possibilidade é de que Natanael é o mesmo Bartolomeu dos Sinóticos. Se isto estiver correto, então provavelmente seu nome principal era Natanael, e Bartolomeu era uma indicação de seu relacionamento filial, isto é, ele era filho de Tolmai.

Receber Estudos da Bíblia

A história de Bartolomeu

Como já foi dito, pouco se sabe sobre quem foi Bartolomeu na Bíblia. A melhor forma de se ter alguma informação sobre sua pessoa é considerando que Bartolomeu é mesmo o Natanael citado no Evangelho de João. Então nesse caso vemos Bartolomeu aparecendo na narrativa bíblica num diálogo com Filipe, onde é informado que sua cidade natal era Cana da Galileia (João 1:45,51).

Ao se encontrar com Bartolomeu, Filipe lhe disse com muito entusiasmo que havia encontrado o Messias de quem Moisés e os profetas testificam. Quando Filipe acrescentou que se tratava de Jesus, o filho de José de Nazaré, Bartolomeu fez a conhecida pergunta: “Pode sair alguma coisa boa de Nazaré?” (João 1:46). Essa pergunta indica que até aquele momento Bartolomeu nunca havia percebido alguma profecia messiânica relacionada aquela cidade. Alguns comentaristas enxergam nessa pergunta uma tipo de preconceito para com a cidade de Nazaré.

Embora de fato houvesse esse preconceito, é bem pouco provável que Bartolomeu tivesse isto em mente. Em outras palavras, talvez ele apenas estava dizendo: “Será que Moisés e os profetas realmente falaram de Nazaré numa categoria messiânica?”. Filipe nem se propôs a discutir esse questionamento com Natanael. Sua resposta foi a mais esclarecedora possível: “Venha e veja”. Saiba mais sobre quem foi Filipe.

O chamado de Bartolomeu

Bartolomeu acompanhou Filipe até o Senhor Jesus. Ao ver Natanael se aproximando, Jesus disse: “Vejam, aí está um israelita em quem não há falsidade” (João 1:47). Com isto Jesus não estava indicando que Bartolomeu era perfeito, mas que em seu caráter honesto, ele se diferenciava da maioria dos judeus.

Ao ouvir as palavras de Jesus, Bartolomeu sinceramente lhe perguntou: “Como me conheces?”. É possível que naquele instante Natanael tivesse suspeitado que Filipe já havia falado sobre ele. Mas logo Jesus tratou de acabar com qualquer suspeita: “Antes que Filipe o chamasse, quando você estava debaixo da figueira, eu o vi” (João 1:48). Diante de tal declaração, Natanael reconheceu: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel” (João 1:49).

Depois do testemunho de Natanael, Jesus lhe fez uma promessa de que coisas maiores ainda lhe seriam reveladas. Jesus lhe prometeu que ele iria ver o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem (João 1:51). Essa promessa de Jesus era uma referência clara à história de Jacó, no episódio em que ele viu uma escada que ia da terra ao céu, com anjos do Senhor subindo e descendo por ela. Naquela ocasião Jacó recebeu a promessa de que todas as famílias da terra seriam abençoadas em sua descendência (Gênesis 28).

Essas palavras se cumprem em Cristo. Ele é a ligação entre o céu e a terra, Aquele que reconcilia o homem com Deus, a Escada entre Deus e o ser humano, o único Caminho para o Pai (João 14). É através de seu sacrifício que um povo proveniente de todas as nações da terra é redimido de seus pecados.

A morte de Bartolomeu

Depois do registro de sua convocação para ser apóstolo do Senhor Jesus, sabe-se que Bartolomeu foi um dos discípulos a quem Jesus apareceu ressurreto junto ao mar da Galileia (João 21:2). Mais tarde ele também é mencionado na companhia dos apóstolos na reunião da Igreja em Jerusalém (Atos 1:13).

Além dessas referências, nada mais é dito sobre a história de Bartolomeu no Novo Testamento. Existem certas tradições na História da Igreja, desde Eusébio (325 d.C.), que especulam sobre sua vida no período da Igreja Primitiva. No geral elas dizem que ele pregou o Evangelho na região da Ásia menor.

Essas tradições também falam sobre seu possível martírio, mas diferem na forma como isso ocorreu.  Algumas dizem que ele foi esfolado vivo e depois crucificado, enquanto outras dizem que ele foi açoitado até a morte. Entretanto, existem muitos conflitos entre tais histórias, tornando essas tradições nada confiáveis. O testemunho do Novo Testamento é tudo o que realmente se sabe de certo sobre quem foi Bartolomeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close