Quem Foi Eúde na Bíblia?

Eúde foi um dos juízes levantados por Deus para libertar o povo de Israel da opressão moabita. Ele ficou conhecido na narrativa bíblica como sendo “um homem canhoto”. Sua história está registrada no Antigo Testamento no capítulo 3 do livro de Juízes.

A história de Eúde, um homem canhoto

Eúde era filho de Gera, e pertencia a tribo de Benjamim. Na época em que viveu, o povo de Israel estava subjugado pelo governo moabita, sob a liderança de Eglom, o rei de Moabe. O domínio de Eglom foi resultado da desobediência de Israel. Os israelitas fizeram o que era mau perante o Senhor! Então o próprio Deus deu poder a esse rei pagão para ser um instrumento de juízo para os filhos de Israel (Juízes 3:12-14).

A opressão dos moabitas sobre os israelitas durou 18 anos, até que o Senhor levantou Eúde como libertador em resposta do clamor de Israel (Juízes 3:15). A designação “canhoto”, traduz uma expressão idiomática do hebraico que literalmente significa “restringido em sua mão direita”, embora essa não seja uma expressão hebraica usual para significar “canhoto”.

Receber Estudos da Bíblia

Eúde mata Eglom e liberta o povo de Israel

Eúde colocou em prática um engenhoso plano para atacar o rei moabita. Ele fez um punhal de dois gumes do tamanho de um côvado curto, ou seja, com aproximadamente 30 centímetros. Depois ele colocou esse punhal por baixo de sua roupa no lado direito.

Então, ele foi até Eglom para lhe entregar os tributos dos filhos de Israel. Na condição de uma nação subjugada, Israel deveria pagar tributos a Moabe. Após entregar o tributo, Eúde, e os demais que estavam com ele, partiram na viagem de volta. Mas ao chegarem ao ponto em que estavam as imagens de escultura ao pé de Gilgal, Eúde retornou ao palácio de Eglom. Ele disse ao rei que tinha uma mensagem secreta para lhe dizer (Juízes 3:19).

Ambos ficaram sozinhos numa sala do palácio. Então Eúde disse a Eglom que a mensagem que tinha a lhe dizer era uma palavra da parte de Deus. Eglom se levantou de sua cadeira e Eúde rapidamente empunhou a pequena espada com sua mão esquerda e a cravou na barriga de Eglom.

Como Eglom era um homem muito gordo, o punhal foi cravado inteiro em seu ventre, de modo que a gordura o escondeu (Juízes 3:17). Eúde ainda conseguiu trancar as portas da sala e escapar pelo pórtico. Os servos de Eglom demoraram até encontrarem seu rei morto no chão (Juízes 3:24,25).

Enquanto isso, Eúde se reuniu com os israelitas e os liderou contra Moabe. Eles derrotaram um exército de cerca de dez mil homens moabitas (Juízes 3:27-29). Eglom e seu povo serviram como ferramenta do juízo de Deus contra Israel. Porém, agora esse mesmo juízo havia sido derramado sobre eles. O Deus Soberano conduz a história segundo os seus propósitos.

O próprio Eúde claramente atribuiu aquela vitória não a sua sagacidade, coragem ou inteligência, mas a ação do Senhor em favor de Israel. Após a vitória de Israel sob a liderança de Eúde, “a terra ficou em paz oitenta anos” (Juízes 3:30). Além da referência no livro de Juízes, Eúde também é citado em uma genealogia no livro de 1 Crônicas (8:6).

Tag

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close