O Reinado de Davi

O reinado de Davi marcou um período muito importante da história bíblica. Foi enquanto Davi estava ocupando o trono de Israel que o povo israelita viveu suas maiores conquistas. Nesse tempo não apenas a cidade de Jerusalém foi capturada por eles, mas seus maiores inimigos também foram derrotados.

As conquistas que se deram durante o reinado de Davi ainda prepararam o povo de Israel para os dias de prosperidade que a nação experimentou no decorrer do governo do rei Salomão, filho e sucessor do rei Davi.

A cronologia do reinado de Davi pode ser organizada e duas grandes partes principais:

  1. Seu reinado em Hebrom.
  2. Seu reinado em Jerusalém.

O reinado de Davi em Hebrom

O reinado de Davi começou primeiramente em Hebrom. Enquanto estava em Ziclaque, ele recebeu de um mensageiro amalequita as notícias sobre a morte do rei Saul e seus filhos. Davi lamentou profundamente o fim trágico de Saul e de seu amigo pessoal Jônatas (2 Samuel 1:1-27).

Em seguida, Deus instruiu Davi a seguir para Judá – sua região natal. Em Judá ele foi ungido rei por seus compatriotas de tribo. Foi então que ele fixou residência em Hebrom. Mas os primeiros anos do reinado de Davi em Hebrom foram muito conturbados. Isso porque enquanto Davi havia sido recebido como rei em Judá, apoiadores da casa de Saul tinham feito de Isbosete – um filho sobrevivente de Saul – rei em Maanaim sobre as demais tribos israelitas.

Por conta disso, durante os primeiros dois anos do reinado de Davi houve um tipo de guerra civil dentro de Israel. Aparentemente a principal mente por de trás de Isbosete era Abner, o antigo capitão de Saul. Muitos estudiosos consideram que Isbosete era apenas uma marionete nas mãos de Abner.

Quando os dois exércitos se encontraram em Gibeom, os homens de Isbosete, sob a liderança de Abner, foram derrotados pelo exército de Davi, sob a liderança de Joabe. Abner e Isbosete acabaram se desentendendo, e Abner mudou de lado no conflito. Ele se encontrou com Davi e ambos discutiram uma possível unificação do povo com Davi como rei sobre todo o Israel. Mas tão logo Joabe perseguiu e assassinou Abner por ele ter matado o seu irmão. Depois disso Isbosete também terminou sendo morto.

Nesse contexto Davi acabou se fortalecendo. Os anciãos do povo fizeram uma aliança com Davi e ele foi ungido rei sobre as doze tribos de Israel. Ao todo, Davi permaneceu sete anos e meio em Hebrom até que transferiu sua capital para Jerusalém (2 Samuel 3-5).

O reinado de Davi em Jerusalém

Sem dúvida foi em Jerusalém que o reinado de Davi atingiu o seu auge. A cidade que era uma imponente fortaleza foi capturada dos jebuseus. Davi tomou a cidade ao invadi-la através dos túneis de Giom.

Em Jerusalém, Davi ampliou e fortificou a cidade. Ali ele ergueu um palácio, restabeleceu rotas comerciais e construiu importantes estradas. Ele não somente fez de Jerusalém o centro político de Israel, mas também o centro religioso. Em Jerusalém ele preparou um Tabernáculo para o culto ao Senhor e trouxe à cidade a Arca da Aliança que estava em Quiriate-Jearim (2 Samuel 6-7).

Embora Davi desejasse construir o Templo em Jerusalém, tal tarefa foi designada por Deus ao se filho Salomão, que edificou o Templo durante seu próspero reinado. Mas evidentemente a organização religiosa no Tabernáculo durante o reinado de Davi teve grande influência na adoração posterior no Templo de Salomão.

No campo militar, o reinado de Davi foi extremamente bem sucedido. O exército israelita subjugou sistematicamente seus inimigos. Nesse tempo velhos opressores do povo de Israel foram dominados, tais como: filisteus, moabitas, amonitas, arameus, edomitas, amalequitas e cananeus em geral. Através de conquistas impressionantes e alianças estratégicas, o reinado de Davi teve influência numa área realmente muito grande que ia desde a fronteira egípcia até o Eufrates.

Na maior parte do reinado de Davi Israel desfrutou de uma paz muito bem estabelecida. Embora Davi fosse um homem piedoso e temente a Deus, os problemas que ele enfrentou durante seu reinado resultaram de seu próprio pecado.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical.Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

A parte final do reinado de Davi

Enquanto o reino de Israel desfrutava de estabilidade política, segurança militar e fervor religioso, Davi cometeu um grave pecado. Ele adulterou com uma mulher chamada Bate-Seba, e depois de engravidá-la, tramou a morte de seu marido, Urias (2 Samuel 11).

Davi foi repreendido pelo Senhor através do profeta Natã e se arrependeu e seu pecado sinceramente. Porém, o pecado cometido trouxe consequências inevitáveis à casa de Davi. Ele teve o desgosto de lidar com o fato de um de seus filhos, Absalão, ter matado outro filho seu, Amnom, por este ter violentado Tamar, que também era sua filha. O mesmo Absalão criou um grave transtorno quando desejou se apoderar do reinado de Davi. Na ocasião Davi foi obrigado a fugir.

Quando chegou o momento de os homens de Davi ter de enfrentar os homens de Absalão, Davi implorou que a vida de seu filho fosse poupada. Contudo, Absalão acabou morrendo e Davi não pôde nem mesmo demonstrar tristeza por sua morte.

Com seu reinado em Jerusalém restaurado, Davi precisou enfrentar mais uma rebelião. Um homem da tribo de Benjamim tentou dividir o reino de Israel sugerindo que dez das doze tribos israelitas abandonassem o rei, mas rapidamente essa rebelião foi contida (2 Samuel 20:1-22).

Davi também desagradou a Deus ao fazer um recenseamento do povo israelita. Por conta disso o Senhor castigou a Israel e setenta mil pessoas morreram em apenas três dias de pestilência (2 Samuel 24:1-25; 1 Crônicas 21:1-30).

Por fim, já próximo de sua morte, outro filho de Davi tentou usurpar o trono de Israel. Adonias se empenhou em se tornar rei, mas Davi reagiu rapidamente ao plano de Adonias e cuidou para que Salomão fosse proclamado o novo rei de Israel. O reinado de Davi durou quarenta anos, sendo pouco mais de sete anos em Hebrom e trinta e três anos em Jerusalém.

Receber Estudos da Bíblia

O significado do reinado de Davi

Davi não era um homem perfeito, mas era alguém absolutamente comprometido com o zelo pelo Nome do Senhor. Apesar de seus erros, sua devoção a Deus jamais é questionada na Bíblia.

O reinado de Davi prosperou grandemente não por causa de suas próprias habilidades políticas ou destreza militar, mas por causa da bênção do Senhor. O favor especial de Deus claramente foi derramado sobre o tempo de seu reinado. Inclusive, Deus fez uma aliança com Davi, garantindo à sua descendência uma dinastia eterna.

O estabelecimento do trono de Davi para sempre encontrou seu cumprimento pleno e final na pessoa do Senhor Jesus Cristo. Ele é o Filho de Davi, bem como o Senhor de Davi. Isso significa que Jesus é o Rei eterno que Deus prometeu dar ao seu povo através da semente de Davi (cf. Mateus 1:1; 9:27; 12:23; Marcos 10:48; 12:35; Lucas 18:38,39; 20:41). Portanto, o reinado de Davi era apenas uma sombra do reinado perfeito e glorioso do Messias que jamais terá fim.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar