O Que é a Revelação Geral?

A revelação geral é o conhecimento que Deus dá de si mesmo a todas as pessoas, de todos os lugares e de todas as épocas. É a auto-revelação de Deus manifestada a todo ser humano. Isso significa que todas as pessoas que passam por este mundo têm contato com a revelação geral de Deus.

A revelação geral é assim definida por dois motivos básicos. Em primeiro lugar, como foi dito, essa revelação é geral porque todos têm acesso a ela de igual forma. Como diz R. C. Sproul, o mundo inteiro é a audiência de Deus.¹

Em segundo lugar, a revelação geral não fornece detalhes sobre a pessoa de Deus, as obras de Deus, os propósitos e a vontade de Deus. Em outras palavras, como o próprio nome diz, essa revelação é geral porque ela fornece apenas um conhecimento geral de Deus.

Por exemplo: a revelação geral testifica que há um Deus, mas não explica que esse Deus subsiste nas pessoas do Pai, do Filho e do Espírito. Sobre isso, Sproul explica que uma pessoa não pode estudar o pôr do sol e ver os céus declarando o plano de salvação. Para ter esse conhecimento, se faz necessária a revelação especial. A Escritura tem a informação específica que ninguém pode obter de um estudo da natureza.¹

Então a revelação geral proporciona ao homem uma verdade objetiva e um conhecimento cognitivo sobre Deus. Mas o homem não pode chegar a um conhecimento salvífico de Deus através da revelação geral. Para isso é preciso a revelação especial que conduz o homem a um relacionamento íntimo e pessoal com Deus através da pessoa de Cristo.

Os meios da revelação geral

A revelação geral de Deus ocorre por meio da natureza, da História e da constituição do ser humano.² Aqui os estudiosos também fazem uma distinção entre o que chamam de “revelação mediata” e “revelação imediata”.

A revelação geral de Deus na natureza e nos acontecimentos da História, é chamada de revelação mediata. Isso porque a natureza e a História são meios da revelação geral de Deus, ou seja, elas mediam essa revelação.

Já a revelação geral de Deus na constituição do ser humano é uma revelação imediata. Isso significa que o acesso a esse conhecimento se dá diretamente do próprio Deus, e não por uma mediação. Conforme o apóstolo Paulo explica, as exigências da lei de Deus estão gravadas no coração do homem, e sua consciência e seus pensamentos dão testemunho disso (Romanos 2:15).

Vejamos cada um desses três aspectos da revelação geral de Deus.

A revelação geral na natureza

A Bíblia confirma claramente como a revelação geral de Deus está disponível na natureza. O salmista escreve: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Salmo 19:1).

Paulo e Barnabé em Listra também falaram sobre a revelação geral de Deus na natureza. Eles explicaram que o Deus que criou o céu, a terra, o mar e tudo que neles há, não se deixou a si mesmo sem testemunho (Atos 14:15-17).

O mesmo apóstolo, em sua Carta aos Romanos, trás um dos textos mais emblemáticos acerca da revelação geral de Deus na natureza. Ele escreve: “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” (Romanos 1:20).

Portanto, a natureza é um grande teatro que revela a glória de Deus.¹ Uma pessoa comum que contempla o nascer do sol, um astrônomo que estuda a posição das estrelas, um biólogo que se ocupa da análise de um organismo vivo, ou mesmo um médico numa sala de cirurgia, todos estes estão expostos a manifestações da grandeza de Deus através do mundo criado.

A revelação geral no governo do Universo e da História

A Bíblia também diz que Deus não é somente o criador do Universo, mas é também o seu sustentador. Nada do que foi criador poderia continuar existindo se não fosse pelo cuidado providencial de Deus. Por isso no livro de Jó lemos: “Em sua mão está a vida de cada criatura e o fôlego de toda a humanidade” (Jó 12:10; cf. Salmo 104:27-30). Isso significa que Deus atua ativamente no mundo e conduz a História de acordo com o seu propósito.

Em seu discurso no Areópago, Paulo falou sobre como a revelação geral de Deus também se dá por meio do governo divino providencial do mundo e da História: “De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. Pois nele vivemos, nos movemos e existimos, como disseram alguns dos poetas de vocês: Também somos descendência dele” (Atos 17:26-28).

Receber Estudos da Bíblia

A revelação geral na pessoa do homem

Por fim, Deus também se revela de forma geral na constituição do ser humano. Há um conhecimento geral de Deus plantado na alma dos homens. Deus dá aos homens uma consciência, por meio da qual Ele se revela interiormente às pessoas.

Isso quer dizer que os homens fazem julgamentos morais, pois Deus concede a todos os seres humanos um senso de certo e errado, e esse senso moral também consiste numa revelação geral de Deus (Romanos 2:14,15). Além disso, a humanidade, de modo geral, possui uma natureza religiosa. João Calvino chamou isto de “senso do divino”

Entretanto, por causa do pecado, essa natureza religiosa foi corrompida, e o homem passou a nutrir uma ideia desfigurada e distorcida acerca do que lhe é sagrado. Mas ainda assim, essa consciência religiosa do homem não deixa de ser um testemunho de que há um Deus – embora ele tenha trocado a glória do Deus verdadeiro pela adoração aos falsos deuses (Romanos 1:23).

Sobre a revelação geral: ¹ Sproul, R.C.. Somos Todos Teólogos: Uma introdução à Teologia Sistemática. Editora Fiel. ² Erickson, Millard. Teologia Sistemática. Editora Vida Nova.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar