Sinceridade e Arrependimento Diante de Deus

Sinceridade e arrependimento diante de Deus são duas marcas que caracterizam o comportamento do verdadeiro cristão. Ao se voltar a Deus em sua suplica com sinceridade e arrependimento, humildemente o crente deixa claro que em sua vida não há espaço para a justiça própria.

Jesus falou sobre a importância da sinceridade e arrependimento diante de Deus em várias ocasiões de seu ministério. Numa delas Ele contou uma parábola que trata exatamente dessa questão. A Parábola do Fariseu e o Publicano mostra qual deve ser a atitude correta na oração, ao contrastar o comportamento de dois personagens completamente opostos.

A parábola de Jesus fala de um fariseu e de um publicano. O primeiro personagem pertencia a um dos principais grupos religiosos entre os judeus. Os fariseus eram extremamente legalistas, pois eram os mais rígidos quanto aos costumes e a interpretação da Lei. Na verdade eles faziam até mais do que a Lei exigia. Por diversas vezes Jesus condenou a espiritualidade hipócrita dos fariseus.

O segundo personagem pertencia a um grupo profissional atuante naquele tempo. Os publicanos eram cobradores de impostos e taxas alfandegárias em favor dos romanos. Por esse motivo eles eram desprezados e vistos como traidores pelos demais judeus.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

Sinceridade diante de Deus

Jesus Cristo diz em sua parábola que os dois personagens foram ao Templo orar. O fariseu, como de costume, possivelmente escolheu um lugar de destaque; um lugar onde poderia ser visto por todos. Ele queria alimentar sua aparência de piedade.

Em sua oração fica nítida sua falta de sinceridade. Conforme o costume do povo judeu, o fariseu orava em pé, olhando para o céu e provavelmente com as mãos levantadas. Então ele agradeceu a Deus por não ser como os demais homens, especialmente como o publicano que também estava ali orando. Então imediatamente ele começou a se vangloriar por fazer mais do que a Lei exigia (Lucas 18:11,12).

O publicano, por sua vez, escolheu um lugar mais reservado para fazer sua oração. Jesus diz que ele estava de pé, de longe, e nem mesmo queria levantar seus olhos ao céu. Ele apenas batia contra o próprio peito e com sinceridade diante de Deus clamava por misericórdia.

Receber Estudos da Bíblia

Arrependimento diante de Deus

Em nenhum momento o fariseu demonstrou sinceridade e arrependimento diante de Deus. Ao contrário disso, ele não perdeu tempo em se vangloriar de sua conduta e de suas obras. O objetivo de sua oração parece ter sido mostrar a Deus sua justiça própria.

Diferentemente dele, o publicano sabia que não havia nada que ele pudesse fazer para alcançar o favor divino através de seu próprio esforço. Então ele se achegou com sinceridade e arrependimento diante de Deus. Tudo o que ele conseguiu dizer foi uma confissão de seu estado miserável. Ele era um pecador que necessitava da misericórdia e do perdão do Senhor (Lucas 18:13).

Jesus conclui sua narrativa dizendo que o desprezado, mas penitente, coletor de impostos, foi quem saiu justificado. Depois Ele faz um importante alerta ao dizer que o aquele que se exalta a si mesmo será humilhado, mas o que se humilha a si mesmo será exaltado (Lucas 18:14).

Essa história deve servir como uma grande lição para todos nós. Ao mesmo tempo em que a Bíblia fala que devemos estar sempre perseverantes em oração, ela também nos diz que não é qualquer tipo de oração que Deus aceita. É preciso se apresentar diante de Deus com um espírito humilde, e clamar a Ele com sinceridade e arrependimento. Saiba mais sobre o que é o verdadeiro arrependimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close