Como Foi a Criação do Mundo? O Que é o Criacionismo Bíblico?

Sem dúvida a criação do mundo é um dos temas mais complexos e discutidos ao longo da história da humanidade. Desde a antiguidade o homem tenta buscar respostas em relação à criação do mundo. O resultado disto foi o surgimento de várias lendas e mitos, até chegar às posições mais recentes defendidas pela ciência.

Para quem tem a Bíblia como a Palavra de Deus infalível e inerrante, as respostas sobre a criação do mundo estão bem esclarecidas. Mas ainda assim, dentro da própria narrativa bíblica, várias interpretações são discutidas e muitas pessoas acabam ficando confusas.

Quem criou o mundo e o que existia antes de sua criação?

Antes de tudo, precisamos entender que foi Deus que criou o mundo. Ele criou todas as coisas simplesmente porque Ele quis criar. Diferentemente do que muitos dizem, Deus não criou o mundo porque Ele precisava criar. Por ser Deus, Ele é autossuficiente e não precisa de nada disto. Assim, Ele criou todas as coisas simplesmente pelo livre conselho de sua vontade perfeita, e unicamente para a Sua glória (Apocalipse 4:11).

Muita gente também se pergunta o que existia antes da criação do mundo. Antes do princípio, apenas Deus existia, de eternidade em eternidade, completamente satisfeito em si mesmo. Se porventura Ele não tivesse criado todas as coisas, ainda assim Ele continuaria sendo Deus da mesma forma. Sabemos também que foi na eternidade, antes da criação do mundo, que Deus concebeu o plano de Salvação (Atos 4:28; Efésios 1:4; 2 Timóteo 1:9 1 Pedro 1:20).

Como foi a criação do mundo?

Nos dois primeiros versículos do livro de Gênesis encontramos uma informação muita importante para entendermos a criação do mundo. Neles, temos uma apresentação mais do que suficiente de quem é o nosso Deus. Esses versículos revelam que Deus é eterno, possuí um poder inimaginável, e criou o mundo quando não existia nada.

No princípio criou Deus o céu e a terra.
E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
(Gênesis 1:1,2)

Quando o texto diz “no princípio”, do hebraico ber’shith, ele nos mostra a primeira menção de tempo. Isso expressa claramente a eternidade de Deus que existe desde sempre. Foi Ele quem criou o tempo para submeter ao tempo as suas criaturas que são temporais.

Isso significa que a matéria não é eterna, Deus é quem é eterno. Em outras palavras, Deus não precisa do tempo, pois Ele é de eternidade em eternidade. Porém, todas as outras coisas são reguladas pelo tempo. A palavra traduzida por “criou” é o hebraico bara, um termo que podemos dizer que só Deus é capaz de usa-lo, pelo fato de descrever um milagre completo. Sempre que é aplicado na Bíblia, seu significado implica na ideia de “criar do nada”.

Assim, nas Escrituras somente Deus é o sujeito do verbo bara. Os homens fazem (do hebraico asah), mas na Bíblia apenas Deus cria (bara). Então com relação a criação do mundo, Deus do nada criou algo absolutamente novo. Isso é algo impossível para o homem, já que qualquer coisa que coisa que “criamos” ou “façamos”, é em função de outra já existente.

Então Deus criou os céus e a terra, e a terra ainda estava sem forma e vazia, e não havia luz. Contudo, o Espírito de Deus se movia continuamente sobre a face das águas. Os textos bíblicos que fazem referência a criação do mundo também afirmam de forma inegável a verdade sobre a Santíssima Trindade. O único Deus que subsiste em três Pessoas distintas igualmente eternas e divinas, Pai, Filho e Espírito, agiu ativamente na obra da criação do mundo (Gênesis 1:2,26; João 1:1-3; Colossenses 1:16,17). Saiba o que é a Trindade.

Alguns estudiosos também localizam no primeiro dia da criação a ocasião em que os anjos foram criados. Segundo eles isto teria ocorrido em algum momento depois da criação dos céus e antes da criação da terra, para se adequar ao que diz em Jó 38:4-7.

Já outros, acreditam que Deus criou os anjos em algum momento até o final do segundo dia. Sobre esta questão, a Bíblia não nos esclarece nada. Não existem referências explicitas sobre a origem dos anjos ou algum processo relacionado a isto. Sabemos apenas que eles também são criaturas de Deus.

Já em Gênesis 1:3, podemos identificar a primeira ordem de Deus registrada na Bíblia: “Haja luz”. Existe uma ênfase bastante grande na palavra falada de Deus, sendo que em cada dia criativo podemos identificar uma ordem ou expressão da vontade de Deus por Sua palavra.

Essa luz mencionada no versículo não se tratava do sol ou quaisquer outros luminares que ainda seriam criados. Muitos intérpretes entendem que essa luz descrita no começo da criação do mundo emana do próprio Deus. Outros afirmam ser simplesmente um tipo de luz que pode ser identificado no espaço, como as colunas de luzes, e que não é produzida por nenhuma estrela. Esse foi então o primeiro dia da criação do mundo.

No segundo dia da criação do mundo, aconteceu a separação das águas, e assim Deus fez o firmamento e o chamou de céu. A palavra original no hebraico, raquia, traz a ideia de algo que foi pressionado, estendido, para cobrir uma superfície extensa.

No terceiro dia da criação do mundo vemos uma ênfase maior na própria terra como sendo preparada para servir de habitat. Deus, por sua palavra, ajuntou as águas para que a terra seca pudesse aparecer. Ele ordenou que a vegetação cobrisse a terra, com plantas e árvores.

No quarto dia da criação do mundo vemos Deus, por sua palavra, criando os luminares. O maior Ele criou para o dia, e o menor para a noite. No mesmo dia também foram criadas as estrelas. Aqui temos um grande contraste com várias lendas pagãs sobre a criação. O sol, a lua e as estrelas não são divindades como os povos acreditavam, mas são apenas obras das mãos de Deus.

No quinto dia da criação do mundo podemos perceber que já havia um cenário pronto, apenas esperando as criaturas que iriam habitá-lo. Então Deus ordenou o surgimento, em espécies, dos seres vivos que habitam as águas, e das aves que voam no céu. Deus também deu outra ordem para que as espécies se multiplicassem e povoassem as águas e o céu.

No sexto dia da criação do mundo aconteceu algo semelhante ao que ocorreu no quinto dia. Deus ordenou que a terra produzisse seres vivos separados em espécies, e assim foi. Também foi no sexto dia da criação do mundo que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, para que dominasse sobre toda a criação na terra (Gênesis 1:26,27). Entenda o que significa o homem ser criado à imagem e semelhança de Deus.

Receber Estudos da Bíblia

A criação do mundo e o capítulo 2 de Gênesis

Alguns estudiosos insistem em afirmar que o capítulo 2 do livro de Gênesis retrata uma ordem diferente da criação. Outros dizem até haver alguma alteração na criação da raça humana, principalmente em relação à mulher. Influenciado por antigos folclores, alguns afirmam que a mulher do capítulo 1 não é a mesma do capítulo 2.

Esse tipo de afirmação não encontra nenhum apoio bíblico. Afirmar uma interpretação assim resulta em defender uma teoria que contradiz a própria Bíblia. Portanto, podemos concluir seguramente que o capítulo 2 de Gênesis apenas aprofunda a história da criação do mundo, dando ênfase especial à criação da raça humana já descrita, de forma introdutória, no capítulo 1. Entenda também se os dias da criação foram literais.

A criação do mundo foi concluída

Este é um ponto muito importante que precisamos considerar sobre a criação do mundo. O livro de Gênesis nos mostra a criação como um processo finalizado e completo. Isto significa que a criação não está mais acontecendo, pois ela já foi concluída por Deus.

O que temos agora, com relação as modificações que existem na criação, são processos normais e naturais, constantes da natureza. Esses processos ocorrem de forma providencial, mas não implicam num processo de criação em si. Dentro dessas características, temos, por exemplo, as alterações geológicas e as micro-evoluções dentro das espécies. Esse tipo de coisa em nada contradiz os relatos bíblicos.

Podemos dizer que o mundo é o mesmo desde que foi criado, no sentido de que nada mais está se criando, mas não no sentido de fixismo. Isso significa que as espécies se adaptam para sobreviverem em seus ecossistemas, e as atividades sísmicas alteram aspectos geológicos. O importante é compreender que essa verdade é muito diferente de uma teoria de macro-evolução.

Além disto, também é fundamental saber que tudo isto está sob o controle de Deus, ou seja, nada do que acontece no mundo é obra do acaso, Deus não é apenas o criador do mundo, mas também o sustentador de todas as coisas (Hebreus 1:3; cf. Isaías 42:5; João 5:17). Saiba se a Bíblia diz quantos anos tem a Terra.

A criação do mundo e as teorias antigas do Oriente

Existem vários mitos que foram desenvolvidos em diversas civilizações do antigo Oriente. Esses mitos não tratam explicitamente sobre toda a criação do mundo, mas trazem dentro de seus contos os pontos de vista dos povos sobre um tipo de organização do universo. Os mitos mais conhecidos são os de origem babilônica, egípcia e grega.

O que todos eles possuem em comum é a visão politeísta sobre a criação do mundo. Todos eles falam de disputas entre deidades sobre uma supremacia divina. Algumas coisas parecem ser derivadas de uma fonte comum, que em alguns detalhes até se assemelham com o relato da criação do mundo que temos na Bíblia.

Um exemplo disto é que alguns desses contos mencionam uma “deusa da costela”, e também um “deus doente por comer um fruto”. Isso parece se assemelhar com o relato bíblico de que a mulher foi criada da costela do homem, e que ambos desobedeceram a Deus quando comeram do fruto da árvore do conhecimento. Saiba o que foi a Queda do homem.

Todavia, a história bíblica da criação do mundo se difere de todos esses mitos por sua simplicidade, clareza, e, principalmente, por sua ideia monoteísta. Além disso, diferentemente de todos eles, a história bíblica da criação é a única que possui total confiabilidade e autoridade para instruir nossas vidas e responder aos nossos questionamentos acerca da origem do universo. De forma bem direta, as Escrituras declaram que a criação do mundo, e de tudo que nele há, é obra das mãos do único e verdadeiro Deus.

Tag

2 comentários em “Como Foi a Criação do Mundo? O Que é o Criacionismo Bíblico?”

  1. Amém! Somos criacionistas! Eu vou escrever de maneira bem resumida. talvez muita gente não saiba é que a máquina fotográfica foi inventada a partir da compreensão da visão humana, ao passo que o computador foi inventado a partir da compreensão do cérebro humano. Pelo menos foi o que fiquei sabendo mediante um artigo que li numa revista.
    Assim o homem faz, inventa coisas a partir das coisas que já existem. Agora Deus fez todas as coisas mediante a sua palavra. Deus ia dizendo e as coisas iam surgindo; sol , lua, estrelas, animais.. Gênesis 1
    Hebreus 11.3

  2. O mundo é tão belo e tão harmônico que não poderia ter sido criado sozinho, por si mesmo. Além do mais, a sincronia dos sóis, dos planetas, das estrelas e das galáxias é mantida como um relógio e não poderia sê-lo pelo acaso, porque, inexoravelmente, estaria tudo destruído. Assim, segundo Santo Agostinho, o mundo foi criado, dirigido e mantido por uma força suprema, infinita, inteligente, eterna e imutável, superior a tudo o que existe, que é Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close