O Que é o Anjo da Morte na Bíblia?

O anjo da morte é uma figura comum em várias religiões e muito popular no imaginário das pessoas. Geralmente o conceito do anjo da morte indica um ser espiritual que é responsável por ceifar a vida das pessoas quando o seu tempo na terra chega ao fim; ou pelo menos, assistir às pessoas no momento de suas mortes acompanhando suas almas na transição para o mundo dos mortos.

Muitas pessoas também acreditam que esse tipo de conceito de anjo da morte é baseado em passagens bíblicas. Inclusive, uma das passagens mais lembradas nesse sentido é aquela que registra as dez pragas do Egito quando, na décima praga, o destruidor passou naquela terra e todos os primogênitos egípcios foram mortos.

Anjos destruidores que trouxeram morte na Bíblia

Existem algumas passagens bíblicas que relatam que anjos do Senhor estiveram envolvidos nas mortes de muitas pessoas. No tempo do rei Davi, por exemplo, a Bíblia diz que Deus enviou uma praga como juízo sobre Israel que matou setenta mil homens. E naquele contexto havia um anjo destruidor da parte do Senhor (2 Samuel 24:15,16).

Séculos depois, no tempo do rei Ezequias em Judá, Senaqueribe, rei da Assíria, anunciou que haveria de destruir Jerusalém, e que o Deus de Israel nada poderia fazer. Então, a Bíblia registra que durante a noite o Anjo do Senhor passou pelo acampamento assírio e matou cento e oitenta e cinco mil homens do exército assírio de Senaqueribe (2 Reis 19:35).

Muito tempo antes desses acontecimentos, a Bíblia também fala sobre como todos os primogênitos do Egito morreram com o derramamento do juízo de Deus na décima praga. Mas essa passagem bíblica é discutida entre os estudiosos.

Alguns defendem que naquela ocasião foi o próprio Deus quem executou o julgamento. Isso porque o texto bíblico de Êxodo não diz claramente que um anjo ficou responsável por essa tarefa. O texto diz que Deus haveria de passar para ferir os egípcios, mas não deixaria “o destruidor” entrar nas casas dos israelitas que tinham nos umbrais de suas portas o sangue dos cordeiros sacrificado para a primeira Páscoa. Quem pensa assim, entende que a expressão “o destruidor” pode ser apenas uma forma personificada de falar do julgamento de Deus (Êxodo 12:23).

Já outros, acreditam que o destruidor citado no texto do livro de Êxodo faz referência a um anjo enviado por Deus ao Egito para executar o seu juízo. Então, nesse contexto específico, esse anjo agiu como um anjo da morte, ou seja, um anjo exterminador. No Novo Testamento, ao citar esse acontecimento, o escritor de Hebreus fala sobre o “exterminador de primogênitos” (Hebreus 11:28). Por isso, muitos cristãos costumam dizer que o anjo da morte passou pelo Egito na décima praga.

Não existe um anjo da morte específico na Bíblia

À luz dessas passagens bíblicas, fica claro que, apesar de em alguns textos os escritores bíblicos realmente atribuírem aos anjos de Deus a tarefa de trazer a morte sobre a terra ao servirem como agentes do julgamento de Deus, em nenhuma parte a Bíblia diz que existe um anjo da morte específico.

Em outras palavras, não há base bíblica para identificar um anjo especial que supostamente seria o responsável por ceifar a vida das pessoas; ou ainda por cuidar da transição de suas almas do estado de vida presente para a vida no além.

No entanto, com base na parábola do rico e Lázaro — que muitos intérpretes acreditam ter sido o relato de Jesus a respeito de uma história real — é possível entender que os anjos do Senhor assistem os crentes na hora de suas mortes, conduzindo-os ao paraíso (Lucas 16:22). Mas o texto bíblico não aprofunda essa questão fornecendo mais detalhes sobre essa provável função dos anjos do Senhor.

Receber Estudos da Bíblia

Por que as pessoas acreditam na existência de um anjo da morte?

Alguns cristãos acreditam que o anjo da morte existe, porque eles interpretam errado as passagens bíblicas que falam de anjos do Senhor que trouxeram a morte aos homens como julgamento de Deus. Já outros, simplesmente reproduzem um tipo de pensamento popular que é fortemente influenciado por antigas lendas e tradições.

Na verdade, desde muito tempo as pessoas têm associado a morte com algum ser sobrenatural. Nas mitologias grega e romana, por exemplo, havia a figura de uma divindade que era a própria personificação da morte e tirava a vida das pessoas. Até mesmo nas tradições judaica e islâmica existe a figura de um anjo da morte.

No entanto, por mais que a existência de um anjo da morte específico seja extremamente difundida entre as pessoas e esteja presente em muitas lendas e tradições religiosas, ela é estranha à verdade bíblica.

A Bíblia simplesmente apresenta os anjos como mensageiros divinos, ou seja, os anjos são agentes de Deus. E quando algum desses anjos, de forma extraordinária, traz morte aos homens, isso não quer dizer ele tem autoridade em si mesmo para fazer esse tipo de coisa; mas que ele simplesmente está cumprindo a vontade de Deus. Apenas Deus tem autoridade para decidir sobre a vida e a morte. Além disso, vale lembrar que na Bíblia, a morte é o julgamento de Deus por causa do pecado universal.

Então se por um lado a Bíblia não fala da existência de um anjo da morte, por outro lado ela mostra que em certas ocasiões um anjo do Senhor pode ser o responsável por causar morte. Isso aconteceu algumas vezes nos tempos bíblicos, e voltará a acontecer de forma intensa no fim dos tempos (cf. Mateus 13:41,42).

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar