Casa / Estudos Bíblicos / A Região da Galileia na Bíblia

A Região da Galileia na Bíblia

Galileia é o nome da região norte da Palestina, um local que aparece com destaque no Novo Testamento e onde se desenvolveu boa parte do ministério terreno de Jesus.

Apesar da origem desse nome ser incerta, é amplamente aceito que Galileia significa “círculo”, “anel”, no sentido de “distrito” ou “região”, do hebraico galil.

Como é a geografia da Galileia?

A Galileia pode ser dividida em parte norte e parte sul. A parte norte da Galileia, também chamada de Galileia Superior, é bastante montanhosa, e está aproximadamente a 1.300 metros acima do nível do mar.

Já a parte sul da Galileia, também chamada de Galileia Inferior, é formada por planícies, com altitude entre 500 e 700 metros acima do nível do mar, porém caindo até alcançar, aproximadamente, 200 metros abaixo do nível do mar, nas margens do Mar da Galileia.

Essa parte mais baixa da Galileia era a mais propicia para se morar e praticar atividades relacionadas à agricultura, pois ficava limitada ao sul pela fértil planície de Esdrelom e pelo vale do Jordão.

A Galileia era cortada por várias estradas que favoreciam o comércio com a região da Arábia, Síria e Egito. Havia muitos pomares de frutas e oliveiras nas colinas, enquanto nos vales se concentravam as pastagens de gados.

A Galileia no Antigo Testamento

A Galileia é pouquíssimas vezes citada no Antigo Testamento. Sabemos que originalmente essa região fazia parte das terras distribuídas entre as doze tribos de Israel, mas os cananeus continuaram na região mesmo depois da invasão de Josué (Jz 1:30-33; 4:2). Logo, os judeus daquela região viviam cercados por gentios.

O rei Salomão doou 20 cidades daquela região a Hirão, de Tiro. Isso demonstra a mistura que havia na população da Galileia, entre israelitas e não-israelitas (1Rs 9:11).

Receber Estudos da Bíblia

Após os avanços assírios, por volta de 730 a.C. (2Rs 15:29), a população da Galileia se tornou predominantemente habitada por povos de outras nações. Essa característica foi observada pelo profeta Isaías que chamou aquela região de “Galileia das nações” (Is 9:1). A mesma designação também aparece no Evangelho de Mateus 4:15.

A Galileia no Tempo de Jesus no Novo Testamento

No Novo Testamento, a parte norte e mais alta da Galileia era predominante coberta de florestas e possuía uma população espalhada.

Por outro lado, a parte sul e mais baixa da Galileia era mais densamente povoada, pois contava com muitas terras férteis regadas por ribeiros que fluíam das montanhas. Essa região exportava cereais, azeites e pescados.

No tempo de Jesus, a província da Galileia formava um amplo território retangular, com aproximadamente 64 km por 40 km. Quando Herodes anexou a Galileia ao seu reino, muitos judeus passaram a habitá-la, numa espécie de recolonização.

Segundo o historiador judeu Flávio Josefo, em sua obra A Guerra Judaica, a região da Galileia chegou a ter 240 cidades e vilas, com um exército de aproximadamente 100 mil homens para resistir aos ataques dos romanos.

Durante o Império Romano, a Galileia foi governada por Herodes, o Grande, Herodes Antipas e Herodes Agripa. Nos dias de Jesus, a Galileia pertencia à tetrarquia de Herodes Antipas (4 d.C. a 30 d.C.).

As principais cidades da Galiléia no tempo de Jesus eram Cafarnaum, Nazaré e Tiberíades. Portanto, essa foi a região em que Jesus Cristo cresceu. Ao contrário do que muitos pensam, a Galileia não era exatamente uma região pouco desenvolvida, mas uma região que articulava intenso comércio de sua pesca e agricultura.

Nas parábolas de Jesus, e em muitos elementos de seu ensinamento, podemos perceber as características culturais presentes na Galileia como de pano de fundo. A maior parte do ministério de Jesus, sobretudo seu início, foi desenvolvida na província da Galileia, próximo ao seu lago, com destaque para a cidade de Cafarnaum.

Os habitantes da Galileia

A população da Galileia era formada por judeus e gentios, e possuía um contato considerável com as culturas grega e romana. Essa diversidade da população era, provavelmente, o fator que mais contribuía para o desprezo dos galileus por parte dos judeus do sul (cf. Jo 7:52).

Com exceção de Judas Iscariotes, os apóstolos de Jesus eram naturais da província da Galileia, e as cidades e aldeias dessa região serviram como o primeiro campo missionário dos mesmos. Saiba mais sobre quem eram os galileus.

A Galileia na atualidade

Na atualidade, a região da Galileia forma a área central da parte norte de Israel. Se estabelecermos uma comparação entre a Galileia atual e a Galileia do tempo de Jesus, podemos até dizer que a Galileia do Novo Testamento desfrutava de um papel mais próspero e importante na região.

Também é reconhecido que a maioria das vilas que existiam no tempo de Jesus, e que certamente foram visitadas por Ele durante Seu ministério terreno, desapareceu completamente.

Sobre Daniel Conegero

Daniel Conegero
Daniel Conegero é o líder do Projeto Estilo Adoração. Começou a pregar a Palavra de Deus com apenas 3 anos de idade. Aos nove anos começou a compor e liderar o louvor na igreja. É professor de Teologia e também da Escola Bíblica Dominical na igreja em que congrega. É formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Além disso, verifique

Cidade de Belém de Judá

Belém é uma cidade na Judéia onde Jesus nasceu. A cidade de Belém também era ...

Um comentário

  1. Post curtinho, mas bem objetivo.

    Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *