O Que é a Grande Tribulação? Quando Será a Grande Tribulação?

A grande tribulação é um período de terrível sofrimento mencionado na Bíblia. Esse período ocorrerá nos momentos finais da História. Praticamente todos os cristãos concordam que haverá a grande tribulação, embora discordem sobre sua cronologia e finalidade.

Na atualidade, apenas alguns poucos cristãos entendem que não haverá uma grande tribulação final. Normalmente eles adotam uma interpretação mais preterista dos textos bíblicos que falam sobre a grande tribulação. Esses cristãos são mais comuns dentro de uma posição escatológica chamada “Pós-Milenismo”.

Muitas passagens bíblicas falam de uma grande tribulação futura. Entre elas, a mais conhecida é aquela em que Jesus falou sobre a grande tribulação em seu sermão profético (Mateus 24; Marcos 13; Lucas 21). O apóstolo Paulo também se referiu ao período da grande tribulação (2 Tessalonicenses 2).

O livro do Apocalipse em diversas passagens fala sobre ela (ex. Apocalipse 7:13,19; 13; 19; 20). Numa passagem muito difícil, muitos estudiosos também concordam que o profeta Daniel profetizou sobre a grande tribulação (Daniel 9:26,27).

Quando ocorrerá a grande tribulação?

A Bíblia não estabelece uma data sobre quando a grande tribulação acontecerá. Ela apenas nos informa que será nos momentos finais da presente era. Também é dito que a grande tribulação é antecedida pelo “princípio de dores”, um período que abrange desde o primeiro século até os dias em que culminam nos dias finais de tribulação.

Mas realmente há muita discussão sobre essa questão cronológica. Por causa da dificuldade de interpretação dos textos bíblicos sobre os acontecimentos do fim dos tempos, os cristãos têm assumido diferentes posicionamentos.

Basicamente existem três interpretações sobre a cronologia da grande tribulação. Há aqueles cristãos que defendem que a grande tribulação começará após o arrebatamento da Igreja. Eles dividem a volta de Cristo em duas etapas: a primeira será num arrebatamento secreto para buscar a Igreja; e a segunda será visível e em glória para livrar Israel e os convertidos da grande tribulação. Esse período durará sete anos. Segundo essa interpretação, a Igreja não passará pela grande tribulação.

Essa interpretação é chamada de Pré-Tribulacionismo, e é a interpretação mais recente dentro do Cristianismo. Ela começou a ser ensinada de forma oficial somente após o século 19. Hoje ela representa o pensamento da maioria dos cristãos.

Há também aqueles que entendem que a grande tribulação acontecerá antes da vinda de Cristo, com a Igreja ainda na terra. Essa interpretação é chamada de Pós-Tribulacionismo. Ela é a interpretação mais tradicional dentro do Cristianismo histórico. Antes do século 19, a maioria esmagadora dos cristãos era pós-tribulacionista. Na atualidade essa posição voltou a crescer.

Por fim, há também os cristãos que entendem que a grande tribulação começará antes da vinda de Cristo, mas que o arrebatamento acontecerá no meio dela. Essa interpretação é chamada de Midi-Tribulacionismo. Ela representa a minoria entre os cristãos.

Receber Estudos da Bíblia

Como será a grande tribulação?

Jesus avisou que a grande tribulação será um período de sofrimento tão grande como nunca foi visto desde o começo do mundo. Ele ainda disse que se esses dias atribulados não fossem abreviados, ninguém escaparia. Mas também afirmou que por causa dos escolhidos, os dias de grande tribulação serão abreviados (Mateus 24:21,22). Daí podemos entender que a grande tribulação será muito intensa, mas também relativamente curta.

O apóstolo Paulo também escreveu que a grande tribulação será um período de grande apostasia (2 Tessalonicenses 2:3). O mesmo disse o apóstolo Pedro. Ele afirmou que os dias que antecederão a segunda vinda de Cristo serão marcados por pessoas descrentes que zombam da Palavra de Deus. Esse tipo de comportamento sempre existiu, mas se intensificará no período final (2 Pedro 3:3-5).

Algo característico na grande tribulação será o aparecimento do Anticristo escatológico. Muitos anticristos já surgiram ao longo da história (1 João 2:18; 4:3). No primeiro século, os cristãos reconheceram o Império Romano como um “sistema anticristo”. Esse império era violento e opressor, e liderado por imperadores que se intitulavam “deuses” (dominus et deus).

Mas na grande tribulação haverá um sistema ainda pior. Esse sistema maligno será conduzido pelo Anticristo final, o pior de todos eles. Ele é chamado de homem do pecado, filho da perdição, e abominável da desolação (Mateus 24:15; 2 Tessalonicenses 2:4). Entenda quem será o Anticristo.

Também vale saber que alguns dos textos que falam sobre a grande tribulação registram o que chamamos de “profecias de dupla referência”. Isso significa que eles descrevem profecias que encontram seu cumprimento pleno em diferentes ocasiões. Por exemplo: Jesus em seu sermão falou sobre a destruição de Jerusalém em 70 d.C. Mas ao mesmo Ele também falou da grande tribulação. Isso significa que a destruição de Jerusalém tipificou a grande tribulação.

A natureza da grande tribulação

Vimos que os cristãos assumem diferentes interpretações sobre a cronologia da grande tribulação. Por conta disto, naturalmente eles também possuem diferentes opiniões sobre sua natureza.

Aqueles que acreditam que a Igreja não passará pela grande tribulação, entendem que ela será o período em que Deus castigará o mundo ímpio. Para eles, a grande tribulação será o derramamento da ira de Deus sobre o mundo impenitente. Nesse período também haverá um tratamento direto de Deus para com Israel.

Já os que acreditam que a Igreja passará pela grande tribulação, entendem que ela será o período em que o mundo ímpio, liderado por Satanás, perseguirá ferozmente a Igreja. A Igreja tem sofrido perseguições em toda a sua História, porém no período final que antecede a volta de Cristo, tais perseguições se intensificarão. É nesse cenário que Cristo voltará, em glória e poder, para abreviar os dias difíceis e livrar o seu povo.

Quem defende essa interpretação acredita que Deus castiga o mundo derramando a sua ira sobre os incrédulos, sobretudo em resposta às orações da Igreja. Mas também afirma que a ira de Deus será completamente consumada no dia do juízo que ocorrerá por ocasião da segunda vinda de Cristo. Saiba o que é o juízo final.

Independentemente da posição adotada, o mais importante é entender que Deus cuida de seu povo. Algumas pessoas ficam apavoradas com a possibilidade de a Igreja passar pela grande tribulação. Mas se ela tiver que passar, devemos ficar confortados na verdade que Deus a guardará, e ela suportará até o fim. Todo sistema perseguidor maligno um dia cairá diante da majestosa vinda de Cristo, e a Igreja se levantará gloriosa para encontrar com seu Noivo. Saiba também o que é o arrebatamento da Igreja na Bíblia.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Etiquetas

4 Comentários

  1. Graça e Paz! Creio que a grande tribulação acontecerá antecedendo o arrebatamento dos salvos e ressurreição dos que dormem em Cristo. O Espírito Santo deixará de convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Será um período difícil para igreja de Cristo, mas a grande notícia é que se por um lado o Espírito Santo deixará de exercer esse ministério, por outro Ele se voltará para a Igreja que será revestida de um grande poder, para suportar a tribulação. Muitos salvos morrerão com certeza, mas farão isso cheios de fé, de poder que vem do alto e certos de que Cristo virá com juízo e galardão. O Senhor da Igreja um dia morreu por ela e agora é a vez da noiva também se entregar por amor. Maranata vem Jesus!

  2. O estudo do Apocalipse se torna cada dia mais importante, pois os sinais que precedem a vinda de Cristo se intensificam. Creio que o
    Arrebatamento da Igreja acontecerá, antes do anticristo surgir como líder mundial. Aliás, justamente quando a Igreja for arrebatada será o momento da sua aparição pública para, supostamente, colocar ordem na desordem que se instalará com o sumiço de um grande números de pessoas, (santos). As pessoas que sumiram são aquelas conhecidas como devotas a Deus e que anunciavam, pelo comportamento ou por palavras, a volta de Cristo.
    Existe muitas confusões, ainda, na mente das pessoas com relação a volta de Cristo. No arrebatamento, o Senhor não vai pisar na terra, Ele virá nas nuvens, ao soar das trombetas. O Espirito Santo levará a Igreja para se encontrar com o Senhor nos ares. Após, a grande tribulação, que durará 7 anos, o Senhor virá, com glória resplandecente para estabelecer o milênio na terra.

  3. Boa tarde, graça e paz…

    Nesta oportunidade, gostaria de expor uma síntese do nosso estudo escatológico, adquirido em 35 anos de pesquisas, com a sequência bíblica dos sinais tribulacionais que antecederão a vinda de Jesus:

    OS QUATRO PRINCIPAIS SINAIS PERIÓDICOS DA GR. TRIBULAÇÃO
    Ao contrário do que pregam a maioria teológica (Pré, Meso e Pós-tribulacionista sistemáticos), a grande tribulação não se refere à apenas a última semana de Daniel ou o governo das duas bestas (sete anos); mas, sim, a quatro períodos tribulacionais ou quatro principais sinais periódicos; seguidos de sub sinais que ocorrerão distintamente em cada período; a saber:

    1-Primeiro período tribulacional: O Princípio de Dores – a terceira guerra mundial – ira das nações (Mat. 24:7-8 – Apoc. 11:18).

    2-Segundo período tribulacional: Os 42 meses da 1ª besta (os primeiros 3.5 anos da última semana). Perseguição mundial aos cristãos (Mat.24:9 a 13 – Apoc. 13:7). Aliança de paz com Israel (Dan. 9:27a.). Construção dum falso terceiro templo em Jerusalém (Zac. 6:12). OBS: Esta profecia de Zacarias, diz respeito à Cristo; porém, em sua manifestação, a 1ª besta se fará passar pelo Messias, copiando algumas das características do Rei vindouro, para enganar aqueles que não conhecem as Escrituras (lembre-se: Que Deus, enviará a operação do erro neste tempo).

    ——————————————————————————–
    FECHAMENTO DA PORTA DA GRAÇA AOS GENTIOS À MEIA NOITE TRIBULACIONAL (Mat. 25:6).
    Até à metade da última semana de Daniel, o número pleno gentios salvos terá sido completado (Rom. 11:25), então virá o fim, o da pregação do Evangelho à toda a criatura (Mat. 24:14 – Luc. 13:25 a 28). Depois deste tempo, Deus somente tratará da salvação do remanescente israelita, depois da última semana em diante.
    ——————————————————————————–

    3-Terceiro período tribulacional: Os 1.290 dias do filho da perdição (a segunda metade da última semana). Rompimento da aliança com Israel (Dan. 9:27b.). Perseguição mundial aos israelitas – angústia de Jacó (Jer.30:7). A Mulher – Igreja, verá 30 dias do anticristo, para testemunho da Palavra de Deus (Mat. 24:15); depois Ela será levada, protegida e alimentada no deserto os restantes dos 1.260 dias do iníquo (Apoc. 12:6 e 14).

    4-O quarto período tribulacional: A VINDA DE JESUS – O Grande Dia da Ira do Senhor: A assinalação dos 144 mil israelitas. As seis trombetas das pragas. A Sétima e última trombeta (a dos dias do arrebatamento). As sete taças da Ira de Deus. A Batalha do Armagedom. O juízo das nações (separação dos bodes dentre as ovelhas – Mat. 25:31). Bodas do Cordeiro (Apoc. 19:7) e Milênio (Apoc. 21:5-6); depois o Juízo Final e a Eternidade, na Nova Jerusalém, no novo céu e na nova terra (Apoc. caps. 20;21 e 22).

    Conheçam o estudo da Grande tribulação parte 1-2, acompanhado dos 10 gráficos escatológicos, que anuncia a sequência e a cronologia perfeita do Apocalipse, vinda de Jesus e o arrebatamento da Igreja (exceto o dia, a hora e o momento da vinda do Senhor), solicitando gratuitamente pelo nosso E-mail: Jaime.ap@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar