Leia diariamente estudos bíblicos, devocionais, esboços de pregações, parábolas de Jesus, artigos teológicos, curiosidades bíblicas, escola dominical (EBD) e muito mais!

História do Rei Davi: Quem Foi Davi na Bíblia?

A história de Davi é uma das mais conhecidas da Bíblia Sagrada. O rei Davi foi o segundo monarca de Israel, o homem escolhido por Deus para liderar seu povo. A vida de Davi é narrada no Antigo Testamento, nos livros de 1 e 2 Samuel, 1 Reis e 1 Crônicas.

O significado do nome “Davi”, dawid, é incerto, porém uma das possibilidades mais aceitas é a de que Davi significa “amado”, procedente do hebraico dod. Já foi sugerido também que dawid deveria ser equiparado ao termo dawidum, “chefe” ou “oficial do exército”, e que, portanto, seria um título ao invés de um nome próprio, porém essa sugestão é muito improvável.

Quem foi Davi?

Davi era o filho mais novo de Jessé, pertencia à tribo de Judá, e era neto da moabita Rute com o judeu Boaz. Ele nasceu em Belém, uma cidade que ficava aproximadamente 10 quilômetros ao sul de Jerusalém, e seu pai era um homem rico e respeitado na cidade.

Davi foi criado como pastor de ovelhas, uma profissão que lhe ensinou muitas qualidades que ele pôs em prática ao longo de sua vida, especialmente quando assumiu o trono de Israel, como a coragem, dedicação e o cuidado com o povo. O texto bíblico afirma que Davi era ruivo, do hebraico ‘admoni, “vermelho”, e possuía boa aparência (1Sm 16:12).

O texto bíblico de 1 Samuel 17 também nos informa que Davi, exercendo sua profissão ao apascentar as ovelhas de seu pai, em algumas ocasiões se viu obrigado a enfrentar urso e leão (1Sm 17:34-37).

Davi é ungido rei por Samuel

A primeira vez que Davi é mencionado na Bíblia é no texto que descreve a ocasião da visita do profeta Samuel a Belém. Deus havia rejeitado Saul como rei de Israel, e revelou que seu sucessor estava na casa de Jessé.

O profeta Samuel entrevistou os irmãos de Davi como possíveis candidatos ao trono. Inicialmente Davi não estava presente, porém quando nenhum dos outros filhos de Jessé atendeu as especificações divinas, Davi foi chamado do campo onde cuidava do rebanho.

Quando Davi se apresentou, Deus confirmou ao profeta Samuel que ele era o escolhido, e assim Davi foi ungido na presença de seus irmãos (1Sm 16:13), apesar de que o propósito de tal unção não foi revelado publicamente naquela ocasião. A maioria dos comentaristas entende que provavelmente os que estavam presentes naquele momento entenderam que talvez Samuel estivesse ungindo um possível sucessor em seu ministério profético, algo semelhante ao que fez o profeta Elias ao ungir o jovem Eliseu como seu sucessor.

Seja como for, o importante é que a Bíblia afirma que a partir daquele dia “o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (1Sm 16:13). Apesar de ter sido escolhido por Deus, ainda demoraria algum tempo até que Davi fosse reconhecido pelo povo como rei.

Davi e Golias

Um episódio que trouxe um extremo reconhecimento a Davi entre o povo de Israel foi quando ele enfrentou e matou o gigante filisteu Golias (1Sm 17). Davi havia saído de casa para levar alimento aos seus irmãos que eram guerreiros, bem como colher informações para seu pai sobre a batalha contra os filisteus.

Já no campo de batalha, Davi tomou conhecimento do desafio imposto por Golias ao exército de Israel, que consistia numa batalha individual contra o escolhido do lado hebreu e o lado vencedor determinaria o resultado da batalha.

Esse desafio já durava quarenta dias, mas ainda ninguém havia sido escolhido para lutar contra Golias, pois tal atitude parecia ser um suicídio. O próprio rei Saul entendia os riscos daquela escolha, e ofereceu muitas recompensas para quem se prontificasse a lutar contra Golias, inclusive a mão de sua filha em casamento.

Quando Davi se ofereceu para aceitar o desafio do gigante filisteu, ele recebeu o melhor equipamento militar entre os hebreus, porém recusou a oferta, pois não conseguiu manejar a armadura. Na ocasião do combate, Davi utilizou a pedra e uma funda como arma. O gigante foi derrotado, sua cabeça foi cortada e a vitória do jovem pastor evidenciou que o Senhor dos Exércitos estava com ele.

Davi na corte de Saul

Não é possível precisar com exatidão a cronologia dos eventos que seguem a unção de Davi por Samuel, a vitória sobre Golias e sua atuação na corte de Saul. O que sabemos é que Davi foi recomendado como músico para aliviar a melancolia de Saul (1Sm 16:18), e quando enfrentou o Golias ele se revezava como pastor do rebanho de seu pai e suas tarefas na corte de Saul.

Além de músico particular do rei, Davi também começou a ser o portador da armadura de Saul, já que o rei se afeiçoou a ele (1Sm 16:21-23). Após o ato heroico de Davi derrotando o gigante, sua popularidade cresceu grandemente entre o povo.

A amizade de Davi com Jônatas e a inveja de Saul

Foi após a vitória sobre Golias que a amizade entre Davi e Jônatas nasceu, uma amizade proverbial que foi destacada na literatura bíblica. A amizade entre o príncipe de Israel e Davi um exemplo de companheirismo, lealdade, integridade e sinceridade (1Sm 18:1-4).

Essa amizade forte e verdadeira sobreviveu aos períodos de provação, e a aliança feita por Davi e Jônatas perdurou mesmo após a morte do filho de Saul, quando o rei Davi mandou buscar o aleijado Mefibosete e lhe designou a herança da família de Saul (2Sm 9:7-13).

Foi também nesse período que a ira invejosa de Saul cresceu contra Davi. Ele havia se tornado o favorito do povo (1Sm 18:5), tanto que começaram a compor músicas para Davi enaltecendo seus feitos mais do que os feitos do próprio rei.

Saul não conseguiu lidar com aquela situação, e em várias ocasiões tentou prejudicar e até matar Davi, tanto diretamente como indiretamente (cf. 1Sm 18:11; 19:10). O principal motivo para essa perseguição era que Saul sabia que a popularidade de Davi ameaçava seriamente a continuidade de sua família no trono.

De fato isso era verdade, o que torna a amizade entre Davi e o príncipe Jônatas, ainda mais extraordinária, pois Jônatas reconheceu que realmente o plano do Senhor para o futuro de Israel incluía Davi como rei (1Sm 23:16-18). Jônatas até tentou apaziguar a ira de seu pai contra Davi, mas não obteve êxito, e Davi finalmente precisou fugir.

Davi, o fugitivo

Quando Davi fugiu de Saul, ele buscou abrigo primeiramente em Ramá, ao lado do profeta Samuel. O rei ainda continuava empenhado em capturá-lo, mas não teve sucesso (1Sm 19:18-24).

Depois de Ramá, Davi foi até o santuário de Nobe, onde garantiu alimento e armas para sua jornada até Gate, uma cidade dos filisteus. Foi nessa cidade onde Davi recebeu treinamento que o capacitou como um grande guerreiro.

Nesse período Davi também começou a formar um exército improvável, composto por homens considerados miseráveis, devedores e descontentes, e entre seus leais companheiros muitos nem eram hebreus.

Nesse período Davi foi conquistando a confiança de clãs de Judá que não estavam insatisfeitos com o papel desempenhado por Saul, porém enquanto o rei esteve vivo, Davi não tentou nada contra sua vida. É nesse contexto que ele pronunciou uma frase bastante conhecida e também interpretada equivocadamente por muitos, de que não se pode tocar no ungido do Senhor.

A história de Davi como rei

A história de Davi como rei começou ainda antes de ele assumir o trono de Israel. Primeiramente ele tornou-se rei da tribo de Judá em Hebrom (2Sm 2-4), um local cerca 50 quilômetros de Jerusalém, e que passou a ser sua capital.

Como rei em Hebrom Davi fez importantes alianças estratégicas, e aos poucos começou a conquistar as principais lideranças de Israel, e a contornar a indisposição com aqueles que apoiavam a casa de Saul. Davi ficou em Hebrom durante sete anos e meio.

Davi, rei de Israel

Após a morte de Isbosete, filho de Saul que havia sido empossado como rei após a morte de seu pai por alguns apoiadores, como o antigo capitão de Saul, Abner, que também foi morto, Davi se tornou rei sobre as doze tribos de Israel, ainda em Hebrom, porém pouco depois transferiu sua capital para Jerusalém (2Sm 3-5).

Dessa forma, o rei Davi se tornou o primeiro a governar Israel como um império unificado. Mesmo com a divisão que ocorreu após a morte de seu filho, o rei Salomão, a dinastia da casa de Davi durou aproximadamente 425 anos.

Já em Jerusalém, Davi construiu seu palácio no Monte Sião, após conquistar a região dos jebuseus (2 Sm 5:6-9), e também construiu várias outras construções importantes. Davi também centralizou a adoração a Deus em Jerusalém, colocando a Arca da Aliança na capital do império, e desejava construir um Templo ao Senhor, porém essa tarefa Deus não lhe permitiu executar, ficando a cargo posteriormente de seu filho, Salomão.

O rei Davi também estabeleceu um poderoso exército profissional, e conquistou vitórias lendárias contra os edomitas, filisteus, cananeus, moabitas, amonitas, arameus e amalequitas. O rei Davi edificou estradas, fortaleceu rotas comerciais, e suas ações trouxeram grande prosperidade ao povo de Israel.

A vida pessoal do rei Davi

O rei Davi teve ao longo de sua vida muitas esposas e concubinas, das quais ele foi pai de muitos filhos. Os filhos mais conhecidos de Davi na narrativa bíblica foram: Absalão, Adonias, Amom, Salomão e Tamar, sua filha.

Se o reinado a frente de Israel era próspero e exemplar, o mesmo não pode ser dito de sua vida familiar. A família do rei Davi sempre esteve cercada de conspirações, intrigas, rivalidades e tragédias.

Um exemplo claro disso são os episódios envolvendo Absalão, que matou Amom por ter violentado Tamar, e que depois ele próprio acabou sendo morto por Joabe, sobrinho do rei Davi, por traição. O rei Davi conseguiu unir doze tribos, mas não conseguiu unir os próprios filhos.

O pecado do rei Davi

Foi no período de grande prosperidade do reino de Israel que Davi experimentou seu tombo mais amargo, onde conspirou adulterou com Bete-Seba e conspirou a morte de Urias, esposo da mulher.

O rei Davi foi duramente repreendido pelo profeta Natan, expondo um pecado que até então parecia que ficaria encoberto. Davi casou-se com Bate-Seba, se arrependeu profundamente, Deus o perdoou, mas não deixou de castigar o seu pecado (2Sm 12). Da união entre Bate-Seba e Davi nasceu seu herdeiro no trono de Israel, o rei Salomão.

As consequências do pecado de Davi puderam ser vistas claramente na sequencia da história de Israel. Certamente esse pecado descrito nas Escrituras é um alerta para cada um de nós, pois o caráter santo e justo de Deus não tolera esse tipo de coisa.

O caráter do rei Davi

O rei Davi estava longe de ser um homem perfeito, porém ele era alguém sincero, fiel, leal aos seus amigos e, principalmente, sensível à voz de Deus.

O rei Davi era alguém que tinha seu coração completamente inclinado a Deus, e sabia sua condição humana diante um Deus Todo-Poderoso, e dessa forma era verdadeiro em se arrepender e buscar o favor divino.

O salmista Davi

O rei Davi é descrito como “o doce salmista de Israel” (2Sm 23:1). O próprio Antigo Testamento faz inúmeras referências a Davi como tendo sido um tipo de líder da adoração musical de Israel, inventor de instrumentos musicais e um habilidoso compositor (Ne 12:24-46; Am 6:5).

De todos os salmos registrados na Bíblia, 73 deles atribuem a autoria a Davi em seus títulos, sendo que alguns deles são identificados claramente como sendo salmos messiânicos. Na verdade o próprio Jesus atribui a autoria de um desses salmos a Davi (Lc 20:42).

O rei Davi no Novo Testamento

O rei Davi é citado inúmeras vezes não apenas no Antigo Testamento, mas também no Novo Testamento. Obviamente a menção mais importante sobre sua pessoa é como sendo um ancestral segundo a carne de nosso Senhor Jesus (Rm 1:3), sendo citado na genealogia de Jesus nos Evangelhos.

Ao todo, existem pelo menos 58 referências ao rei Davi no Novo Testamento, incluindo, é claro, o título frequentemente utilizado para se referir a Jesus como “Filho de Davi”. No livro do Apocalipse, o apóstolo João registrou as seguintes palavras ditas pelo próprio Jesus: “Eu sou a raiz e a geração de Davi” (Ap 22:16).

Além de tudo isso, uma das descrições mais conhecidas sobre quem foi Davi está registrada no livro de Atos dos Apóstolos, onde lemos que o rei Davi era um homem “segundo o coração de Deus” (At 13:22).

Aplicativo de Estudo Bíblico

1 comentário
  1. Anderson santos O usuário diz

    Graça e paz dá parte do nosso Deus seja com todos , estou muito feliz e me edificando cada vez mais com os estudos dá palavra de Deus através de vocês .
    Oro e peço ao senhor Jesus Cristo que continue abençoando , protegendo , e lhes dando cada dia mais sabedoria e autoridade dos céus para continuarem com esse maravilhoso trabalho .

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.