A Queda do Ser Humano

A Queda do ser humano é um assunto essencial para entendermos o restante das Escrituras. A Queda da raça humana explica a origem do pecado entre os homens. Por isto esse triste evento deve ser entendido como histórico e literal.

Infelizmente muitas pessoas tratam da Queda do ser humano como algo simbólico ou alegórico. Porém, esse tipo de interpretação não condiz com a Palavra de Deus. Gênesis 3 é o texto que registra a Queda do ser humano. Esse capítulo é fundamental para o entendimento de todo o restante da Bíblia. Desconsiderar a historicidade desse capítulo é o mesmo que tirar a lógica das Escrituras e causar enormes contradições bíblicas.

Gênesis 3 ainda responde algumas das grandes perguntas existenciais do homem. Por exemplo: Como o pecado entrou no mundo e por qual motivo somos separados de Deus? Por que existe a morte?

É na Queda do ser humano que também vemos pela primeira vez na Bíblia a menção ao plano de salvação pela graça. Saiba mais sobre o que foi Queda do Homem.

O Novo Testamento também fala explicitamente sobre a Queda do ser humano. O apóstolo Paulo foi um dos escritores bíblicos que mais escreveu sobre este assunto em conexão com a obra redentora de Cristo. O capítulo 5 da Carta aos Romanos é um texto que fala especificamente sobre isto.

Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.
No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.
Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. (Romanos 5:12-15)

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical.Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

Antes da Queda do ser humano: o paraíso do Éden

O homem pecou enquanto ainda vivia no Éden. Sabemos pouco sobre o Éden, pois a Bíblia não nos dá muitos detalhes sobre ele. A informação que temos é que Deus plantou um jardim e o homem foi colocado nele para desempenhar algumas tarefas. Em Gênesis 2:15 podemos notar que o homem já tinha tarefas que precisavam ser realizadas.

Em primeiro lugar, o homem deveria cultivar a terra. Cultivar a terra no texto de Gênesis também implicava na ideia de dominar em ciência tudo quanto a terra teria a oferecer, como: minérios, metais e etc.

Em segundo lugar, o homem deveria guardar o Éden. A Bíblia não deixa explicito o que realmente significava “guardar o Éden”, ou guardar do “que” ou de “quem”. É mais adiante que o texto bíblico indica que o mal confrontaria o homem naquele paraíso.

É importante entender que Deus capacitou o homem com intelectualidade e discernimento. Isso significa que ao mesmo tempo em que ele era inocente, ele também era capaz de fazer escolhas livres e julgar o que era bom e o que era mal. A diferença é que Adão e Eva conheciam o mal de uma maneira bem diferente antes da queda. Podemos dizer que eles conheciam o mal como algo que fosse contrário a Deus e suas ordens. Então qualquer coisa ou situação que se encaixasse nessa descrição, seria o mal. Após a Queda o homem passou a conhecer o mal de forma experimental.

Receber Estudos da Bíblia

A tentação e a Queda do ser humano

Deus criou o Éden como um habitat perfeito para o homem. Ali havia tudo o que a raça humana precisava para viver, se desenvolver e expandir seu domínio por todo o planeta. Foi ali também que o homem cedeu à tentação do maligno.

  1. O agente ativo da tentação: sabemos que o agente da tentação foi a serpente. Satanás utilizou aquele animal astuto para tentar a Eva. Não sabemos exatamente como aconteceu isso, ou seja, se era uma serpente falante, uma serpente possuída, enfim, não sabemos os detalhes. O que sabemos é que esse fato é histórico e realmente aconteceu.
  2. O agente passivo da tentação: não é claro no texto o porquê de a serpente ter tentado Eva e não Adão. Uma explicação aceitável para isto é que Eva tinha recebido as ordens de Deus de forma indireta. Deus deu ordens a Adão, e Adão provavelmente passou tais ordens a Eva. Parece que Eva entendia que até mesmo tocar no fruto era proibido (Gênesis 3:3), embora essa proibição não fizesse parte do dialogo de Deus com Adão no capítulo 2 de Gênesis.

Infelizmente o pecado foi cometido. O processo foi iniciado quando a serpente falou com Eva e Eva considerou desobedecer à ordem de Deus. Quando Eva estendeu as mãos para comer do fruto, o pecado já havia sido formado em seu coração. Ao comer efetivamente, Eva finalmente consumou plenamente o seu pecado. Adão também comeu do fruto, e juntamente com sua mulher, introduziram o pecado no mundo. Neste ponto surgiu o que a teologia chama de Pecado Original.

O juízo de Deus sobre a Queda do ser humano

O homem foi submetido a um teste e foi reprovado. O homem era livre em suas escolhas. Ele passeava com Deus na viração dos dias. Ele possuía tudo o que era necessário para ter uma vida plena com Deus. Mas ele pecou, e sua desobediência afetou toda a raça humana. Portanto, o pecado trouxe consequências terríveis para toda a criação.

  1. Sobre a serpente: a serpente foi castigada por Deus tornando-se maldita entre todos os outros animais. A partir dali passou haver grande inimizade entre ela e as pessoas (Gênesis 3:14-15). Alguns estudiosos defendem que antes da maldição talvez a serpente tivesse patas ou asas. Mas é claro que esse tipo de afirmação não passa de especulação. Outros estudiosos defendem que a serpente já rastejava, mas somente após o castigo divino é que sua forma de se locomover seria um sinal de humilhação. O importante aqui não é discutir o estado anterior da serpente, mas se atentar ao versículo 15. Nele Deus faz a promessa de redenção e nos remete à cruz. Na cruz a serpente feriu o calcanhar do Filho de Deus, porém teve sua cabeça esmagada tendo sido derrotada de forma irreversível.
  2. Sobre a mulher: a mulher teve a sua culpa na Queda do ser humano e por isto também foi castigada por Deus. A mulher passou a ter dores no parto e ser dominada pelo marido. Devemos perceber aqui que antes mesmo da Queda do ser humano a mulher já era ajudadora do homem. Isso significa que a mulher não exercia autoridade igual ao homem. Mas após o pecado essa submissão tornou-se difícil, pois a liderança do homem também ficou contaminada pelo pecado. Saiba também se a Bíblia diz que Adão e Eva tiveram filhos no jardim do Éden.
  3. Sobre o homem e a natureza: Adão, como líder da criação, foi responsabilizado por Deus pela transgressão. Ele aparece no restante da Bíblia como o grande culpado pela entrada do pecado no mundo. Por causa de Adão a terra foi feita maldita e a natureza se tornou hostil ao homem. Nesse ponto é possível encontrar a explicação sobre a existência de desastres naturais, sobre os distúrbios da natureza e sobre a intolerância da presença do homem entre os animais selvagens. Também, nesse sentido as tarefas que o homem tinha antes do pecado foram transformadas em um peso. Isso significa que o homem precisaria se esforçar muito para poder se alimentar. Por último, Deus fez menção à morte, que a partir dali passou a ser uma realidade na raça humana.

Conclusão

É importante entendermos que a salvação não é um plano de escape realizado por Deus. Na verdade antes de o mundo ser criado, Deus, em sua soberania, bondade e justiça, já havia determinado o plano de salvação (Efésios 1:4; 1 Pedro 1:19-20).

Diante desses fatos, muitas pessoas questionam quanto à origem do mal, isto é, sobre como o pecado surgiu. Mas a Bíblia não nos fala claramente como o mal surgiu, mas nos fala claramente como o mal será destruído. O que podemos dizer sobre essas coisas é que certamente Deus não é o causador do mal, mas que o mal existe porque Deus permitiu que ele existisse. Negar essa verdade é supor a existência de algo tão poderoso quanto Deus, que conseguiria existir mesmo sem Sua permissão.

No último versículo do capítulo 3 de Gênesis vemos a última ação de punição por causa do pecado. O homem foi expulso do jardim do Éden e proibido de comer da árvore da vida. Nesse aspecto a morte passou a ser uma benção, pois após a morte, com o fim da vida terrena, o homem redimido pode novamente estar com Deus. Além disso, como seria a vida no mundo se homens como Caim, Lameque e tantos outros, ainda tivessem acesso à árvore da vida? Nesse aspecto, a morte foi uma providência divina diante da Queda do ser humano.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar