Não Entristeçais o Espírito Santo de Deus: O Que Isso Significa?

A ordem: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus” significa que Deus se entristece quando os redimidos não andam em conformidade com sua nova posição em Cristo Jesus. O crente é chamado para uma nova vida oposta à sua velha vida de pecado. Ele é chamado a se despojar do velho homem e se revestir do novo homem, ou seja, é chamado a se despir de si mesmo para ser vestido de Cristo (Efésios 4:22-24).

Mas uma vez que os cristãos falhem em viver de acordo com essa nova realidade abraçando os velhos vícios de sua natureza pecaminosa, o Espírito Santo de Deus fica entristecido. Entristecer o Espírito Santo deve ser sempre visto como algo terrível, pois significa ir contra àquele que é a garantia da nossa salvação. Por isso o apóstolo Paulo adverte: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção” (Efésios 4:30).

Um ponto muito interessante na declaração: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus”, é o modo como ela comunica de forma clara um importante tema da Pneumatologia Bíblica. Ao falar que é possível que o Espírito Santo fique entristecido, Paulo não deixa dúvida de que o Espírito Santo é uma pessoa.

Diferentemente do que ensinam algumas falsas doutrinas que afirmam que o Espírito Santo é apenas uma energia, um poder ou uma força abstrata, a verdadeira doutrina bíblica aponta para o fato de que o Espírito Santo é mesmo uma pessoa que tem intelecto, vontades, sentimentos e responsabilidades (cf. João 14:17-26; 16:8-14; Romanos 8:27; 1 Coríntios 2:11; etc.).

Inclusive, ao afirmar a pessoalidade do Espírito Santo, o apóstolo do Paulo não estava trazendo uma ideia nova e desconhecida da Escritura. Na verdade, ao escrever: “Não entristeçais o Espírito Santo”, o apóstolo fez uso de uma profecia do profeta Isaías que já no Antigo Testamento mostrava a possibilidade de alguém entristecer o Espírito Santo de Deus (Isaías 63:10).

Não entristeçais o Espírito Santo

A observação: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus” foi registrada pelo apóstolo Paulo em sua Carta aos Efésios. Essa frase faz parte de uma seção da epístola onde Paulo traz uma série de recomendações práticas concernentes à vida cristã.

O apóstolo dos gentios enfatiza que os crentes jamais devem andar conforme o seu velho modo de vida. Antes, os crentes devem viver de forma apropriada como filhos de Deus, o que de fato são em Cristo.

Nesse sentido, é necessário dizer “não” para o pecado, e “sim” para Cristo; é necessário rejeitar os vícios da natureza caída, e abraçar os bons frutos da nova vida de santidade em Cristo. Isso envolve todas as áreas da nossa vida! Sempre que contaminamos a nossa alma, abrindo espaço a quaisquer pensamentos ou sugestões de engano, de vingança, de cobiça ou de imoralidade, estamos entristecendo o Espírito Santo (Hendriksen; W. 1968).

Portanto, precisamos ter consciência de que não devemos entristecer o Espírito Santo de Deus, seja com nossas atitudes, nossas palavras ou nossos pensamentos. A advertência: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus” deve cobrir nossa vida por completo.

Todos os dias devemos nos perguntar: Será que há algo em meu coração, em meus pensamentos, em minhas palavras ou em minhas ações que esteja injuriando e, consequentemente, entristecendo o Espírito Santo?

Receber Estudos da Bíblia

No qual estais selados para o dia da redenção

Nas Epístolas Paulinas podemos encontrar pelo menos trinta repetições dos designativos “Espírito Santo”, “Espírito de Deus”, “Espírito de Cristo”, etc. Isso é compreensível à luz da verdade de que é impossível alguém ser salvo à parte da obra do Espírito Santo.

O Espírito Santo aplica na vida do homem a obra da redenção planejada pelo Pai e executada pelo Filho. Da regeneração à santificação diária, o Espírito Santo está presente na vida do crente. Isso significa que o Espírito Santo não é apenas Aquele que nos concede a vida, mas também é Aquele que nos sustenta. Se há algo de bom e valioso em nós, sua origem está no Espírito Santo. As virtudes através das quais podemos agradar a Deus, são, na verdade, partes do fruto do Espírito (Gálatas 5).

O papel do Espírito Santo em nossas vidas é tão grande, que podemos afirmar que é n’Ele que experimentamos de forma pessoal o nosso relacionamento com Deus. Por isso a Bíblia diz que o Espírito Santo habita na vida do remido, fazendo dele o templo de Deus (1 Coríntios 3:16). Então se o Espírito que habita em nós é “Santo”, obviamente isso implica que também devemos ser santos; e a boa notícia é que no próprio Espírito Santo encontramos a fonte de toda santidade que precisamos.

Portanto, considerando o caráter fundamental da pessoa do Espírito Santo para o crente, não é estranho que logo após advertir os seus leitores a não entristecer o Espírito Santo de Deus, Paulo completou dizendo que n’Ele, isto é, no Espírito, os crentes estão selados para o dia da redenção.

O dia da redenção é o grande dia do retorno de Cristo; é o dia em que todas as coisas serão consumadas para a glória de Deus conforme o seu propósito eterno. O dia da redenção é o dia em que nossos corpos humilhados se levantarão transformados e incorruptíveis à semelhança do corpo glorioso do Cristo ressurreto.

Alguém pode perguntar: Qual a garantia de que esse dia chegará? A garantia é o próprio Espírito Santo de Deus. Ele não apenas nos salva, mas nos concede a alegria e a segurança da nossa salvação; Ele nos concede a certeza de que nossa herança é inviolável. Então é loucura negligenciarmos a ordem: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus”.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar