Leia diariamente estudos bíblicos, devocionais, esboços de pregações, parábolas de Jesus, artigos teológicos, curiosidades bíblicas, escola dominical (EBD) e muito mais!

O Que é Longanimidade?

Longanimidade é a característica daquele que é tardio em irar-se, ou seja, a pessoa longânime possui uma tolerância que a capacita a suportar situações adversas com paciência, firmeza e serenidade. Neste texto entenderemos melhor o que é longanimidade e qual o seu significado.

O que significa longanimidade

Longanimidade é um substantivo feminino, e em português deriva do latim longanimitas. O significado de longanimidade está bastante relacionado à paciência e à temperança. Na Bíblia, essa palavra geralmente traduz dois termos originais, um hebraico e outro grego.

O hebraico ‘erek ‘aph é utilizado no Antigo Testamento e transmite a ideia de “longo”, “comprido”, significando literalmente “respiração longa” ou “nariz longo”. Esse significado literal se refere ao conceito de que quando a ira se manifesta ela é acompanhada de uma respiração rápida e curta, ao contrário da respiração calma e longa daquele que é paciente e longânime.

O grego makrothymia é utilizado no Novo Testamento, e significa “paciência”, “tolerância”, “clemência”, “constância”, “perseverança” ou “firmeza”.

A longanimidade no Antigo Testamento

Nem sempre a palavra longanimidade é utilizada para traduzir o hebraico original no Antigo Testamento, pois ao invés dela, muitas versões utilizam a expressão “tardio em irar-se”. A longanimidade é frequentemente aplicada a Deus (Êx 34:6; Nm 14:18; Sl 88:15; Ne 9:17; Jl 2:13; Na 1:3).

Quando a Bíblia diz que Deus é longânimo, devemos entender que está sendo feita uma referência especial ao seu caráter misericordioso para com os homens pecadores, que pela rebeldia, mereciam nada mais do que apenas a severa punição. Assim, a longanimidade é uma das características reveladas através dos atributos de Deus.

Algumas pessoas tem tido dificuldade em compreender o uso do conceito de longanimidade feito pelo profeta Jeremias, ao dizer: “Não me deixes perecer por causa da tua longanimidade”, pois aparentemente parece ser uma aplicação negativa da qualidade de ser longânimo.

Todavia, essa frase está dentro de um contexto de lamentação, onde o profeta apenas está se queixando por Deus permitir que ele fosse maltratado devido à longanimidade divina para com seus inimigos.

No livro de Provérbios, o rei Salomão ressaltou que a longanimidade é uma qualidade essencial que contribui para a preservação da paz e para o bom convívio humano (Pv 15:18; 25:15).

A longanimidade no Novo Testamento

Tal como no Antigo Testamento, a longanimidade também aparece no Novo Testamento como uma das qualidades de Deus, onde o apóstolo Paulo enfatizou a paciência de Deus para com os incrédulos (Rm 9:22).

Ainda na Carta aos Romanos, o apóstolo apontou para o fato de que os homens se recusam a reconhecer a bondade de Deus que inclui sua benignidade, paciência e longanimidade. Ao fazerem isso, tais pessoas mostram desprezo para com o próprio Deus (Rm 2:4).

O mesmo apóstolo recomendou fortemente a longanimidade como uma virtude essencial que deve estar presente na vida do verdadeiro cristão, e que é indispensável para a comunhão entre os irmãos (2Co 6:6; Ef 4:2; Cl 3:12; 2Tm 3:10; 4:2; cf. 1Ts 5:14), e também ressaltou que ele próprio foi alvo da “completa longanimidade de Cristo”, ensinando que a vida cristã depende totalmente dessa qualidade de nosso Senhor Jesus.

Finalmente na Epístola aos Gálatas, Paulo mencionou a longanimidade como um dos frutos do Espírito Santo, expondo assim que a verdadeira virtude do longânimo não tem origem em sua própria natureza, mas é produzida pelo Espírito que o capacita a ter uma vida que agrada a Deus refletindo o caráter de Cristo (Gl 5:22).

Tiago também utilizou o conceito de longanimidade, transmitindo, sobretudo, o sentido de perseverar pacientemente, onde os cristãos são convidados a seguir o exemplo do agricultor enquanto permanecem firmes aguardando à vinda do Senhor (Tg 5:7). Em sua exposição, Tiago estabeleceu uma ligação bastante clara entre a longanimidade e a aflição (Tg 5:10).

O apóstolo Pedro foi outro que falou sobre essa qualidade. Ele também apontou para a longanimidade de Deus revelada aos homens, e ainda lembrou que os homens do tempo de Noé negligenciaram a longanimidade de Deus e o fim deles foi a destruição nas águas do Dilúvio (2 Pe 3:9,20).

Para nós, cristãos, é primordial entendermos o que é a longanimidade, pois além de ser uma das qualidades de Deus, também é uma das virtudes características daquele que foi regenerado.

Aplicativo de Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.