Como O Reino de Deus é Tomado à Força?

O ensino bíblico que diz que o Reino de Deus é tomado à força, e os que se esforçam se apoderam dele, geralmente é interpretado como significando o esforço, o trabalho e o comprometimento diligente do crente no que diz respeito às coisas de Deus. Mas este não é o único significado possível.

De fato o sentido deste versículo é muito debatido entre os estudiosos. O texto de Mateus 12:11 é considerado uma das passagens mais difíceis do Novo Testamento. Isso porque o texto grego da frase “o Reino dos Céus é tomado à força, e os que se esforçam se apoderam dele” permite diferentes possibilidades de tradução e interpretação.

A construção verbal grega traduzida por “tomado à força” ou “tomado por esforço” também pode ser traduzida por “fazer violência” ou “usar a violência”. Já o substantivo cognato traduzido pela expressão “os que se esforçam” significa literalmente “pessoas violentas”.

Quando Jesus disse que o reino de Deus é tomado à força?

Para entendermos melhor a declaração de que o Reino de Deus é tomado à força, precisamos considerar o contexto em que Jesus disse essas palavras. A Bíblia diz que naquele tempo João Batista estava preso. Ele havia denunciado o pecado de Herodes Antipas. Na prisão João ouviu falar das coisas que Jesus estava realizando em seu ministério. Em seguida ele enviou seus discípulos a Jesus para confirmar sua identidade como o Messias.

Então Jesus fez dos discípulos de João Batista testemunhas dos seus milagres. Esses milagres confirmavam sua identidade, pois cumpriam o que havia sido profetizado pelos profetas. Quando os discípulos de João Batista partiram, Jesus começou a dar testemunho de João ao povo.

Ele explicou sobre como o ministério de João também havia sido profetizado nas Escrituras (Mateus 11:7-11). João era o arauto enviado por Deus para preparar o caminho do Messias. Foi então que Jesus falou: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus é tomado por esforço; e os que se esforçam se apoderam dele” (Mateus 11:12).

O que a frase “o Reino de Deus é tomado à força” não significa?

Antes de tudo, é preciso entender que o conceito bíblico de que o Reino de Deus é tomado à força não significa uma validação de uma salvação por obras. A Bíblia é suficientemente clara ao afirmar que a salvação é pela graça mediante a fé; não há nenhum mérito humano nisso (Efésios 2:8). A salvação é obra de Deus!

Algumas pessoas procuram resolver essa aparente dificuldade tentando fazer uma completa distinção entre os conceitos de salvação e Reino de Deus. O problema com isto é que no ensino de Jesus há uma conexão direta entre um e outro. A obra da salvação está inclusa na definição do que é o Reino de Deus. Não há como separar salvação e Reino de Deus. Inclusive, dependendo do contexto são ideias exatamente equivalentes.

O Reino de Deus é tratado na Bíblia tanto em seu aspecto presente quanto futuro. No aspecto presente, por vezes Jesus falou da entrada no Reino de Deus como significando a própria salvação e as bênçãos decorrentes dela. Já no aspecto futuro, Jesus também falou da entrada no Reino como sendo a consumação plena da salvação na bem-aventurança eterna no universo redimido. As parábolas de Jesus que enfocam diretamente esse tema não deixam qualquer dúvida nesse sentido.

O episódio em que um jovem rico questiona Jesus acerca do que ele precisaria fazer para herdar a vida eterna é um exemplo claro disso. Aquele jovem era amante de suas riquezas. Então Jesus falou basicamente que era impossível que alguém assim pudesse entrar no Reino de Deus. Os discípulos entenderam a associação entre “entrar no Reino de Deus” e “ser salvo”. Por isto eles reconheceram que homem algum pode salvar-se a si mesmo.

Portanto, a frase “o Reino de Deus é tomado à força, e os que se esforçam se apoderam dele” não pode estar, de forma alguma, falando que pessoas são salvas por seus próprios esforços. Dito isto, podemos falar a seguir em três interpretações principais.

O reino de Deus tomado à força fala da oposição nos dias de Jesus

Uma das possibilidades de interpretar esta frase é considerá-la no contexto da oposição que se levanta contra o Reino de Deus. Quem prefere esta interpretação diz que Jesus estava se referindo, principalmente, à oposição corrente em seus dias.

Daí geralmente a tradução adotada nesta posição diz que desde os dias em que João Batista iniciou sua pregação até aquele momento, o Reino de Deus estava sofrendo violência; homens violentos tentavam conquistá-lo. Esta interpretação prefere a tradução “sofrendo violência” ao invés de “tomado à força”. Inclusive, este é o sentido adotado na Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH).

Portanto, segundo esta interpretação, os homens que tentam se apoderar do Reino de Deus são os inimigos de Deus; são pessoas ímpias que tentam, por suas próprias forças, conquistar violentamente o Reino de Deus.

Se esta interpretação estiver correta, Herodes Antipas seria um exemplo claro disto. Ele havia perseguido, prendido e estava prestes a matar João Batista que tinha denunciado seu pecado. Ele queria calar a voz que anunciava o arrependimento como condição necessária diante da chegada do Reino de Deus. Aquele contexto de perseguição se intensificou com a oposição dos judeus contra o próprio Jesus.

O Reino de Deus tomado à força fala sobre o avanço do Reino

Esta interpretação até tem certa semelhança com a anterior. A diferença é que ela prefere entender o verbo traduzido como “tomado à força” no sentido positivo. Então a frase “o Reino dos Céus é tomado à força” é interpretada nesta tradução como: “o Reino dos Céus tem avançado vigorosamente”.

Já a sequência “e os que se esforçam se apoderam dele” é interpretada no sentido negativo, referindo-se à pessoas violentas. Nesta tradução a ideia é a seguinte: Jesus disse que desde que João começou sua pregação, o Reino de Deus tem avançado vigorosamente, apesar da forte oposição. Naquele contexto, o Reino de Deus estava crescendo e avançando mesmo com homens violentos, como Herodes Antipas, tentando dominá-lo pela força.

Em outras palavras, à medida que o Reino de Deus estava avançando poderosamente, homens violentos e astutos como Herodes e muitos fariseus, tentavam subjugá-lo pela força. Mas o Reino de Deus jamais poderá ser conquistado por força humana.

Se esta interpretação estiver correta, então talvez a ênfase esteja no contraste entre os fortes e vigorosos (no aspecto carnal) e os fracos e humildes (no aspecto espiritual). Aquele que confia em sua própria força e vigor não alcança o Reino dos Céus. Mas aquele que reconhece sua própria fraqueza e debilidade e, por tanto, depende de Deus, ouve o chamado de Jesus: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

O Reino de Deus tomado à força fala sobre o serviço dos santos

Por último, esta interpretação é provavelmente a mais conhecida. Ela entende que o versículo que diz que “o Reino dos Céus é tomado à força, e os que se esforçam se apoderam dele” fala da conduta, do empenho e do serviço dos redimidos como evidência de sua salvação.

Então a ideia é a de que o Reino de Deus tem avançado com força e vigor. No entanto, não é qualquer um que entra no Reino. Somente os enérgicos, os diligentes, os incansáveis, os esforçados, os corajosos se apoderam dele.

Isto, porém, não significa que há mérito humano na entrada do Reino de Deus. Antes, significa que as boas obras e o esforço daqueles que recebem o Reino como um dom gracioso por meio da fé, agora revelam a evidência dessa fé genuína e da graça que os alcançou.

Não é o esforço humano que faz com que alguém possa alcançar o Reino de Deus. O próprio Jesus pregou: “O tempo está cumprido, e o Reino de Deus é chegado. Arrependam-se e creiam no Evangelho (Marcos 1:15).

Mas como Tiago bem explica, a verdadeira fé que, é dom de Deus, necessariamente resulta em boas obras (Tiago 2:26). Essa consequência é tão vital e natural que é impossível separar fé verdadeira e boas obras. O apóstolo Paulo escreve que os crentes são “criados em Cristo Jesus para as boas obras; as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:10).

Então segundo esta interpretação, o ensino de que o Reino de Deus é tomado à força e os que se esforçam se apoderam dele, fala justamente do avanço do Reino; e fala também da evidência de uma vida com Deus por parte daqueles que participam dele.

Receber Estudos da Bíblia

O esforço humano não é a causa da entrada no Reino de Deus

Todas as interpretações apresentadas são possíveis à luz do texto grego. Mas seja como for, nenhuma delas ensina a entrada no Reino de Deus por meio de esforço meritório humano. Sem dúvida há uma dificuldade muito grande em entrar no Reino de Deus. Ao homem, esta dificuldade é impossível superar. Por isto somente a graça por meio da fé é capaz de transportar os pecadores do reino das trevas para o Reino de Cristo.

Mas os verdadeiros seguidores de Jesus que foram salvos unicamente pela graça mediante a fé, agora são gratamente levados a uma vida resoluta, abnegada e totalmente dependente de Deus. Essas pessoas compreendem e abraçam o custo do discipulado. Elas negam-se a si mesmo, tomam a sua cruz e seguem a Jesus.

A Bíblia diz muito claramente que o Reino de Deus não é para os inconstantes, vacilantes e descompromissados. Jesus diz: “Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus” (Lucas 9:62).

Então o crente verdadeiro terá uma vida marcada pelo esforço em prol do Reino de Deus. Ele não se esforça para ser salvo, mas ele se esforça porque é salvo. Ele foi ressuscitado de seu estado de morte espiritual! Agora, em gratidão e amor, ele procura diligentemente fazer a vontade de seu Salvador. Tudo isto está de acordo com a verdade de que o Reino de Deus é tomado à força, e os esforçados se apoderam dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close