Perdoamos Porque Fomos Perdoados

Como seguidores de Cristo, nós perdoamos porque fomos perdoados. Uma das declarações da oração ensinada pelo Senhor Jesus diz: “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores” (Mateus 6:12).

O perdão é parte fundamental na vida cristã. Em diversas ocasiões de seu ministério Jesus falou sobre a importância do ato de perdoar. Duas das parábolas de Jesus falam exatamente sobre essa questão: A Parábola do Credor Incompassivo (Mateus 18:21-35); e A Parábola dos Dois Devedores (Lucas 7:36-47).

As duas parábolas possuem uma mensagem semelhante no que diz respeito à gratidão e o perdão. A primeira foi contada por Jesus ao responder uma pergunta do apóstolo Pedro. Jesus estava falando da disciplina na Igreja, e Pedro queria saber do Mestre quantas vezes uma pessoa ofendida deverias perdoar aquele que lhe ofendeu.

A segunda parábola foi pronunciada por Jesus durante um jantar na casa de Simão, um fariseu. Naquela ocasião uma mulher pecadora ungiu o Senhor Jesus com unguento que trazia num vaso de alabastro. Essa atitude despertou a critica oculta de Simão.

  • Veja também: Quer melhorar o aproveitamento de suas aulas da EBD? Conheça um curso completo de formação para professores e líderes da Escola Bíblica Dominical. Conheça aqui! (Vagas Limitadas)

Fomos perdoados

Na Parábola do Credor Incompassivo, um servo devia a um rei dez mil talentos. Essa era uma soma absurda, pois um talento equivalia a seis mil denários que era o salário pago pela diária de um trabalhador comum.

O servo do rei não tinha nenhuma condição de pagar a divida, e por isso deveria ser vendido juntamente com todos os seus bens e sua família em lugar da divida. Ele implorou para que o rei tivesse misericórdia. Movido de compaixão, o rei então lhe soltou e perdoou sua dívida.

Na Parábola dos Dois Devedores dois homens também deviam a um agiota. A dívida do primeiro homem era maior, enquanto a divida do segundo era menor. Mas nenhum dos dois tinha como pagar a divida. Conforme o costume da época, o credor daqueles homens tinha o direito de prendê-los para reaver seus bens. Mas ele teve uma atitude inesperada. Ele perdoou a divida dos dois homens e os deixou livres. No final da parábola Jesus Cristo enfatiza que aquele que recebeu maior perdão também foi o aquele que demonstrou maior gratidão.

Da mesma nós fomos perdoados. Cada um de nós tinha uma divida impagável perante a justiça de Deus. Nossos pecados nos colocavam numa divida eterna perante o Criador. Não havia nada que pudéssemos fazer para pagar essa divida.

Estávamos mortos em delitos e pecados (Efésios 2:1). Não merecíamos de forma alguma o perdão de Deus. Na verdade éramos merecedores da morte, porque o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23). Mas pelos méritos de Cristo nós fomos perdoados. Pela obra de Cristo no Calvário recebemos o perdão de Deus.

Jesus na cruz tornou-se pecado por nós (2 Coríntios 5:21). Durante a crucificação que o levou à morte, Ele cancelou a sanção de condenação que havia contra nós por sermos transgressores da Lei de Deus (Colossenses 2:14). Diante de tudo isso, devemos demonstrar gratidão a Deus pelo derramamento de sua graça salvadora. Tal como na parábola de Jesus registrada em Lucas, devemos ser muito gratos a quem muito nos perdoou (Lucas 7:47).

Receber Estudos da Bíblia

Então nós perdoamos

Todos aqueles que conhecem a misericórdia e o perdão de Deus devem agir segundo o princípio da misericórdia e do perdão. Nós, que recebemos tamanho perdão, devemos também perdoar.

Na Parábola do Credor Incompassivo, o homem que foi perdoado pelo rei de uma divida impagável não soube perdoar. Ele foi cruel e inflexível com seu devedor que lhe devia um valor insignificante perto da dívida que ele devia ao rei. Por não ter demonstrado compaixão com seu próximo, aquele servo mau foi castigado pelo rei.

Jamais devemos insistir na injustiça se fomos alvos da misericórdia e do perdão de Deus. Segundo a parábola de Jesus, aquele que insiste na injustiça e se nega a demonstrar misericórdia, não recebe misericórdia e deve ser condenado justamente. Por isso, nós perdoamos porque fomos perdoados.

1 comentário em “Perdoamos Porque Fomos Perdoados”

  1. Muito bom esses estudos. Sou leitora assídua dos seus conteúdos Daniel Conegero, e sempre indico seu site pra meus amigos. Obrigada por deixar Deus te usar pra nos ensinar. Vá em frente. Não pare. Pois o resultado do seu trabalho, inspirado por Deus, tem salvado muitas vidas, assim como tem me edificado diariamente. Que o Senhor conserve tua mente e coração sempre puros e dependentes do Espírito Santo. Paz do Senhor.
    Att. Adriana Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close