Quem Foi o Rei Belsazar?

O rei Belsazar foi o governante da Babilônia que morreu em decorrência da invasão da cidade pelos medos e pelos persas sob o comando de Ciro em 539 a.C. Belsazar é mencionado pela primeira vez na narrativa bíblica no capítulo 5 do livro de Daniel.

Antes de tudo, é importante que não se confunda o nome Belsazar com Beltessazar, pois este último foi o nome babilônico dado ao profeta Daniel pelo príncipe dos eunucos na Babilônia (Dn 1:7).

O nome Belsazar significa “Bel proteja o rei” ou “Bel tem protegido o reinado”. Bel era um título utilizado na Mesopotâmia para designar diversas divindades. Na Septuaginta, versão grega do Antigo Testamento, o nome desse governante aparece como Baltasar.

Belsazar era filho de Nabucodonosor?

Não, Belsazar não era filho de Nabucodonosor. Algumas pessoas possuem essa dúvida pelo fato de o texto bíblico designá-lo como sendo filho do rei Nabucodonosor na frase: “Nabucodonosor, seu pai” (Dn 5:2).

O que acontece é que na narrativa bíblica é comum o uso da palavra “filho” com o significado de descendente, ou seja, em muitas passagens bíblicas onde se lê que A era pai de B na verdade está sendo dito que A era ancestral de B.

A Bíblia prioriza os personagens que tiveram papel relevante para a história que foi registrada, e isso acorre com frequência quando o propósito é revelar uma linhagem através de uma genealogia simples e objetiva.

Além disso, a palavra “filho” na antiguidade era comumente utilizada para se referir ao sucessor do mesmo ofício, sem ao menos ser necessário uma ligação realmente sanguínea.

Na verdade Belsazar era filho de Nabonido, e tem sido aceito que sua mãe era Nitócris, filha de Nabucodonosor. Se essa sugestão estiver correta, então é provável que Nitócris seja a rainha-mãe mencionada em Daniel 5.

O governo do rei Belsazar

Apesar de o texto bíblico chamá-lo de rei, Belsazar não reinava sozinho, pois seu governo era em regime de co-regência com seu pai, Nabonido. Essa informação foi confirmada por vários documentos babilônicos que foram encontrados, onde seu nome aparece ligado ao de seu pai na divisão do trono.

Existem muitos tábuas e inscrições babilônicas que fazem referência tanto a Nabonido quanto a Belsazar como o “príncipe coroado”. Algumas delas relatam que Nabonido permaneceu durante um longo tempo afastado da cidade da Babilônia.

A Crônica de Nabonido informa que Belsazar recebeu autoridade de governo sobre o exército e o reino em aproximadamente 556 a.C., enquanto seu pai fazia campanha na região da Arábia central, onde teria permanecido ali por pelo menos dez anos.

Assim, o relato de Daniel 5 está correto ao se referir a Belsazar como o rei governante na cidade da Babilônia. Então, quando Daniel estabelece datas sobre o período de reinado de Belsazar nos capítulos 7 e 8 de seu livro, é possível que ele esteja considerando exatamente esse período de co-regência.

Inscrições babilônicas descrevem alguns detalhes sobre a administração de Belsazar, principalmente falando sobre seus presentes e agrados para os templos e santuários da Babilônia, de Ereque e Sippar. Há um material considerável que faz referência sobre o rei Belsazar até o 14º ano do reinado de seu pai.

A escritura na parede e a morte de Belsazar

Os documentos históricos da Babilônia que fazem referências à queda da Babilônia perante o exército de Ciro, relatam apenas que o rei morreu em 539 a.C. Nabonido não foi esse rei, pois ele retornou posteriormente a Babilônia após o Império Medo-Persa já tê-la conquistado, e acabou sendo preso.

Logo, o rei morto em 539 a.C. realmente foi Belsazar. Sobre isso, sem dúvida o relato bíblico, além de estar perfeitamente sincronizado com o contexto histórico, fornece os melhores detalhes sobre como ocorreu a queda da Babilônia e a morte do rei Belsazar.

O livro de Daniel nos informa que o rei Belsazar fez um banquete blasfemo, onde utilizou os utensílios de ouro e de prata que haviam sido tirados do Templo em Jerusalém. Ele próprio, juntamente com seus convidados, suas mulheres e concubinas, tomaram vinho nos vasos sagrados e deram louvores aos falsos deuses os quais eles idolatravam. Aquela foi uma profanação terrível diante de Deus (Dn 5:1-4).

A Bíblia então nos diz que no mesmo instante apareceram dedos de mão de homem que escreviam na parede do palácio. Diante dessa cena, o rei Belsazar ficou completamente apavorado, a ponto de seus joelhos baterem um no outro (Dn 5:5,6).

Como não podia entender o que havia sido escrito pela mão misteriosa, o rei Belsazar convocou os encantadores, os caldeus e os feiticeiros, e prometeu aos sábios da Babilônia que qualquer um que conseguisse decifrar aquela escrita seria recompensado grandemente. Todavia, assim como ocorreu com o sonho de Nabucodonosor, os sábios da Babilônia não puderam revelar o significado daquela inscrição (Dn 5:5-9).

Nesse momento entrou em cena a rainha-mãe e falou ao rei Belsazar tudo sobre Daniel. Imediatamente ele mandou chamar o profeta e lhe informou sobre a escrita misteriosa na parede e sobre os presentes que lhe seria dado caso decifrasse aquele enigma.

O profeta Daniel recusou todos os presentes, mas se comprometeu em dar ao rei Belsazar a interpretação da escritura na parede. Antes, também o repreendeu por sua conduta perversa e impenitente (Dn 5:17-23).

O significado da escrita na parede

O profeta Daniel revelou que aquela escrita misteriosa vinha da parte de Deus e que seu significado se referia ao juízo de Deus que havia chegado. Daniel falou que a leitura da escrita era: MENE, MENE, TEQUEL E PARSIM. Já o significado dessa escrita era:

  • MENE: Contou Deus o teu reino.
  • TEQUEL: Pesado foste na balança e achado em falta.
  • PERES: Dividido foi o teu reino e dado aos medos e aos persas.

A Bíblia conta que naquela mesma noite o rei Belsazar foi morto e a Babilônia caiu. Dario, o medo, ficou governando a cidade. Dessa forma, Belsazar foi o último rei do Império babilônico.

Aplicativo de Estudo Bíblico

Você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. Nay La O usuário diz

    Texto excelente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.