Quem Foi o Rei Josafá?

Josafá foi um rei de Judá que sucedeu seu pai, Asa. O reinado de Josafá está registrado nos livros de 1 Reis (22:42-50) e 2 Crônicas (17-21). Antes de falarmos sobre quem foi Josafá, precisamos saber que existem outros homens com esse nome além do rei Josafá.

Os principais personagens bíblicos chamados de Josafá são:

  • Um cronista que viveu durante os reinados de Davi e Salomão, mencionado como um dos principais oficiais do reino (2Sm 8:16; 20:24; 1Rs 4:3).
  • Um sacerdote que foi designado para tocar a trombeta diante da Arca da Aliança quando esta foi levada para a cidade de Davi (1Cr 15:24).
  • Um dos doze oficiais de Salomão citado no livro de 1 Reis (4:17). Ele tinha a responsabilidade de coletar os impostos do distrito de Issacar.
  • O pai de Jeú, rei de Israel (2Rs 9:2,14).

O rei Josafá

O rei Josafá reinou aproximadamente entre 872 e 848 a.C. Ele reinou em Judá, ou seja, no reino do sul que consistia no território das tribos de Judá e Banjamim, na época em que o reino estava dividido. Para saber mais sobre isso, leia o texto “Reis de Israel e Reis de Judá“.

Como já dissemos, Josafá era filho de Asa. Sua mãe era Azuba, filha de Sili. Josafá foi contemporâneo de Acabe, Acazias e Jeorão de Israel. O nome “Josafá” significa “Jeová tem julgado”.

Apesar de ter um relato oficial de seu reinado no livro de 2 Reis (22:41-50) é no livro de 2 Crônicas (17-21) que estão os registros mais detalhados sobre sua história. No livro dos Reis , Josafá também é citado outras vezes, porém nessas ocasiões o foco da narrativa é o reino do norte, e não o seu reinado.

O reinado de Josafá

Quando tinha 35 anos, Josafá se tornou co-regente com seu pai, Asa, até o ano de 870. O rei Josafá reinou por 25 anos. No começo de seu reinado, ele se concentrou nas questões referentes à segurança de seu reino contra possíveis ataques externos, principalmente em relação ao reino do norte (Israel).

Ele tratou de fortalecer as defesas ao longo da fronteira norte, designando soldados que ficavam de forma permanente nas aldeias próximas a fronteira com Israel. Os filisteus e os árabes lhe pagaram tributo durante seu reinado.

Aproximadamente no terceiro ano de reinado, Josafá tomou algumas medidas com o intuito de melhorar a situação religiosa do reino. Além de instruir o seu povo, ele enviou levitas com os livros da Lei para ensinar nas cidades de Judá (2Cr 17:7-9).

Entretanto, mais tarde Josafá foi persuadido por Acabe e se propôs a solucionar o problema de inimizade com Israel, um conflito que já perdurava desde seus antecessores. Essa aproximação com Israel ocorreu através de uma aliança de casamento com a casa de Onri (1Rs 22:44).

Na verdade, esse acordo de paz era muito mais vantajoso para Israel do que para Judá, pois ao invés de possuir um inimigo em sua fronteira sul, teria um aliado que, talvez, poderia ser útil frente às constantes ameaças que sofriam por parte da Síria.

O casamento ocorreu entre o filho do rei Josafá, Jorão, com a filha do rei Acabe e Jezabel, Atalia. Esse casamento trouxe terríveis consequências para Judá, como a abertura posterior à adoração a Baal e os graves conflitos que levaram a descendência de Davi à beira da extinção.

Muitos comentaristas entendem que Judá se tornou praticamente subordinado a Israel após a aliança que firmaram. Esse entendimento deriva do comportamento aparentemente inferior do rei Josafá em relação a Acabe na batalha contra Ramote-Gileade (1Rs 22:4,30). Muitos também consideram o papel desempenhado por Jeorão na campanha contra Moabe, como mais uma prova de que Judá dependia de Israel.

Apesar disso, a verdade é que não há qualquer evidência realmente clara de que Judá se subordinava a Israel, ou seja, não existem provas satisfatórias para tirarmos tal conclusão.

Por sua associação com Acabe, Josafá foi duramente repreendido pelo Profeta Jeú (2Cr 19:1,2). Depois, Josafá mais uma vez encorajou o povo a adorar ao Senhor (1Cr 19:4).

Com o fortalecimento das fronteiras de Judá, e com o controle sobre Edom durante seu reinado (2Cr 17:1-2; 1Rs 22:47), o rei Josafá detinha o comando das rotas de caravanas da Arábia (2Cr 17:5; 18:1), o que lhe rendia boas riquezas.

Aliado a Acazias, rei de Israel, Josafá tentou construir um frota de navios de Tarsis para Ofir por causa do ouro, mas os navios acabaram destruídos em Eziom-Gebe e o acordo comercial fracassou. Por conta desse tratado, Josafá novamente foi repreendido através da profecia de Eliézer (2Cr 20:37).

Em Judá, o rei Josafá foi um grande administrador, conhecido como um homem de eminente piedade. Ele reorganizou o poder judiciário, designando juízes para todas as cidades importantes de Judá, e estabeleceu uma importante corte de apelações especiais em Jerusalém, composta por levitas, sacerdotes e anciãos, sob a liderança do sumo sacerdote (2Cr 19:5-11).

A vitória do rei Josafá sobre Moabe e Amom

Já próximo do fim de seu reinado, os moabitas, os amonitas e os edomitas, se uniram com o objetivo de invadir Judá, cruzando o que é hoje a região do mar morto. Nesse momento, a Bíblia relata que o rei Josafá sentiu medo e buscou ao Senhor (2Cr 20:3).

O rei Josafá proclamou um jejum no reino de Judá, e todo o povo se comprometeu em buscar o auxílio do Senhor. Josafá então reuniu a todos, homens, mulheres e crianças (até as de colo), e, em frente ao pátio novo, no Templo do Senhor, ele orou a Deus (2Cr 20:6-12).

A resposta do Senhor veio por meio de Jaaziel, filho de Zacarias, neto de Benaia, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias, levita e descendente de Asafe (2Cr 20:14). Deus disse a Josafá e ao povo que eles deveriam se acalmar, e apenas contemplar a salvação do Senhor a favor deles, pois Deus é quem iria pelejar aquela batalha (2Cr 20:15-17).

O rei Josafá fez conforme o Senhor lhe havia ordenado. Josafá nomeou alguns homens para cantar cânticos de louvor ao Senhor à frente do exército. Enquanto cantavam, o Senhor preparou emboscadas contra os inimigos de Judá, de modo que destruíram-se uns aos outros (2Cr 20:20-30).

Quando as outras nações souberam o que o Senhor fez em favor de Seu povo, temeram profundamente. Então, o reino de Josafá se manteve em paz, pois Deus lhe concedeu paz em todas as fronteiras de Judá (2Cr 20:29).

O fim do reinado do rei Josafá

O reino de Josafá pode ser considerado como tendo sido um período de prosperidade em Judá. A Bíblia nos diz que “ele andou nos caminhos de Asa, seu pai, e não se desviou deles; fez o que o Senhor aprova” (2Cr 20:32).

Entretanto, o rei Josafá não conseguiu acabar com os altares idólatras, e durante seu reinado o povo ainda não havia firmado o coração em fidelidade a Deus (2Cr 20:33).

Nos últimos cinco anos de seu reinado, o rei Josafá teve seu filho, Jeorão, como co-regente (2Rs 8:16). Josafá morreu com a idade de sessenta anos, e foi sepultado na cidade de Davi (1Rs 22:50).

Aplicativo de Estudo Bíblico

Você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. José Filho O usuário diz

    ótimo super dezzzz

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.